Nova teoria da Física explica o Universo sem precisar da energia ou da matéria escura

NASA, ESA e equipa do Frontier Fields do Hubble (STScI)

Um dos maiores enigmas da astronomia é a origem da energia e da matéria escura. Os dois componentes foram propostos em momentos diferentes para explicar o que vemos no Cosmos, mas mesmo depois de décadas de pesquisa, ainda não estamos nem perto de entender o que são e se realmente existem.

Agora, um novo estudo sugere uma maneira de se livrar dos dois. André Maeder, professor da Universidade de Genebra, na Suíça, propôs voltar às equações fundamentais da relatividade e da gravidade newtoniana para encontrar uma maneira de abandonar o modelo do Universo recheado de energia e matéria escura.

Com esta hipótese, publicada no Astrophysical Journal, o físico conseguiu reproduzir a expansão acelerada do Universo sem usar energia escura. Isso explicaria o movimento de galáxias dentro do Universo observável sem precisar da existência da matéria escura.

“No modelo atual, há uma hipótese inicial que não foi tida em consideração. Estou a falar da invariância de escala no espaço vazio. Noutras palavras, o espaço vazio e as suas propriedades não mudam após uma dilatação ou contração“, afirma Maeder em comunicado.

O “ajuste” feito pelo físico cria um pequeno termo de aceleração que pode ser usado para entender recursos atualmente explicados por energia ou matéria escura. Por exemplo, explica as velocidades dos grupos de galáxias do Universo com base apenas na matéria visível.

Com este “ajuste”, é possível também explicar como as estrelas se movem dentro das galáxias, sem a necessidade de matéria escura.

Na verdade, explicar a movimentação de estrelas foi o principal motivo pela qual Vera Rubin, astrónoma que propôs a existência da substância, usou a matéria escura nas teorias que defendia. Mas a introdução da invariância de escala pode, claramente, explicar as características que verificamos no Universo.

Seria realmente um fim para a energia e a matéria escura? Não é assim tão simples.

A hipótese só funciona para características largas e gigantescas, uma vez que a invariância de escala só pode ser encontrada na relatividade geral. Isto porque, para a teoria de Einstein, o espaço vazio está vazio.

Entretanto, o espaço vazio não está totalmente vazio de acordo com a mecânica quântica.

No mundo quântico, todo o espaço-tempo muda quando está dilatado ou comprimido. E, de acordo com a mecânica quântica, há uma coisa chamada energia de vácuo, que foi associada à energia escura, embora os valores das observações astronómicas sejam diferentes dos da teoria quântica.

Embora ainda não saibamos o que é a energia ou matéria escura, as substâncias continuam a ser a melhor teoria para explicar o que acontece no Cosmos. Porém, ainda são necessárias mais pesquisas sobre a invariância de escala para maiores conclusões.

EM, Ciberia // IFLScience

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

    • E, entretanto, são essas mesmas teorias “de dar ao gato” que permitem o desenvolvimento da tecnologia necessária para o Paulo Silva escrever este mesmo comentário… irónico não?

      • O caro amigo Gabriel não conhece o gato do Paulo Silva… se conhecesse, via que é uma profunda intelectualidade e fonte de enorme sapiência do nosso cosmos. Absorve, reflete profundamente em torno de cada uma destas teorias… e ronrona sobre as mesmas. Está bem alimentado… intelectualmente falando

  1. Se esse individuo prova que a terra é plana esta o caldo entornado. Todos sabemos que tudo o que nós conhecemos se baseia na teoria da terra redonda. Toda a tecnologia, tal como a aeronáutica, a navegação por satelite, entre muitas outras coisas foram feitas e sao utilizadas com base na terra esférica. Mudar tudo isso seria o caos. É bem melhor que o senhor fique sossegado pois a humanidade já tem problemas suficientes. Que meeeedooo…..

  2. Gostam de se aparecer, mas fazer o trabalhinho sério dá pouco jeito é muita dureza!
    Na concepção do modelo de universo explanada por Newton tinhamos um universo cartesiano ou seja de escalas lineares e invarantes em 3D.
    Já no U. de Einstein a escala das variáveis do espaço e tempo não são lineares variam em função da variável gravitacional. Quanto maior fôr esta, maior a compressão do espaço e mais lento o tempo decorre!
    Assim sendo tenho muitas vezes feito o alerta para o facto de ainda não se ter apresentado um modelo que leve em conta os efeito da diminuição da força gravitica decorrentes da expansão do universo e das alterações na escala do espaço tempo.
    Quando se fala em vazio temos de saber se tal apenas significa a ausencia de particulas ou átomos ou outra coisa. Os campos de forças atuam como se sabe no vazio e neste portanto existem vários sendo que a força gravitica é um bem conhecido e de longo alcance!
    Depois seria necessário distinguir os vários conceitos de vazio, espaço, tempo et. Nas diferentes teorias.
    Muito boa gente ainda considera como entidades reais de existencia fisica conceitos puramente abstratos e matemáticos como a noção de espaços lineares de duas ou três dimensões ou universos a quatro ou mais dimensões.
    O espaço tempo de Einstein tem dimensoes variáveis e complexas nos seus efeitos ainda muito mal compreendidas!
    Num local de grande massa (buraco negro ) as distorções nas escalas temporais e espaciais são tão significativas que a Luz não escapa e nas proximidades sofre forte desvio para o vermelho e tudo decorre muito mais lentamente o espaço comprimido afecta tudo que conhecemos!
    Agora imaginem isso nas condições em que o universo se iniciou que seria dessas escalas o tempo parado o espaço infinitanente comprimido ou quase!!!?

RESPONDER

Morreu o cantor Roberto Leal

Morreu o cantor Roberto Leal, confirmou o antigo secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local. Tinha 67 anos e lutava contra um cancro. A notícia foi avançada pelo antigo secretário de Estado das Comunidades …

Estudo mostra que o canguru gigante tinha uma parecença com os pandas

O já extinto canguru gigante tinha uma característica muito semelhante com o panda-gigante dos dias modernos: grandes mandíbulas que lhe permitiam comer alimentos que outros animais não conseguiam. Há mais de 40 mil anos, o sudoeste …

Assunção Cristas contra o "ditador" verde e André Silva contra a "despesista" demagoga

O debate deste sábado, transmitido pela RTP3, sentou frente-a-frente os líderes do CDS e do PAN. Assunção Cristas contou quantas vezes o programa do adversário usa a palavra "proibir" e André Silva acusou os centristas …

Poluição no rio Lis arrasta-se há mais de 20 anos

A poluição na bacia hidrográfica do rio Lis arrasta-se há mais de duas décadas, com o contributo das descargas ilegais das suiniculturas, mas a construção da estação de tratamento de efluentes suinícolas tem sido adiada …

No Quénia, há meninas a faltar às aulas por não terem acesso a tampões

No Quénia, há adolescentes que não têm dinheiro para comprar pensos higiénicos ou tampões. Por isso, faltam às aulas. O Expresso conta a história de uma menina queniana, de 14 anos, que não aguentou ser humilhada …

As sestas podem ser boas amigas do coração

Fazer uma sesta uma ou duas vezes por semana pode reduzir o risco de ataque cardíaco ou AVC. No entanto, se fizer mais sestas do que o recomendado, os benefícios desaparecem. Uma equipa de cientistas decidiu …

Qual o tamanho mínimo para que um planeta possa ser habitável? Cientistas responderam

Uma equipa de cientistas de Harvard revelou o tamanho crítico abaixo do qual um planeta nunca pode ser habitável, mesmo que esteja numa área com uma distância à sua estrela que permita a existência de …

Criatura com "cabeça de canivete suíço" deu origem aos escorpiões e às aranhas

Encontrada no Canadá, esta nova espécie de fóssil provou ser o quelicerado mais antigo, situando a origem dos escorpiões e das aranhas há 500 milhões de anos. Com o tamanho de um dedo polegar, olhos em …

Benfica 2-0 Gil Vicente | "Águia" q.b. bate minhotos aguerridos

O Benfica cumpriu frente ao Gil Vicente, no Estádio da Luz, e venceu por 2-0, com um golo a fechar a primeira parte e outro a abrir a segunda. A formação “encarnada” sentiu muitas dificuldades para …

Há cidades que, em 2050, vão ser quentes demais para se visitar

Em 2050, há cidades que vão ser vítimas do flagelo das alterações climáticas. As altas temperaturas vão impedir que os turistas explorem cada recanto destas metrópoles. Os efeitos das alterações climáticas são cada vez mais visíveis.. …