Descoberta uma nova forma de poluição com plástico na Madeira

Ignacio Gestoso et all / MARE

Investigadores do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) descobriram nova forma de poluição na Madeira.

Investigadores do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) descobriram na ilha da Madeira rochas com crostas de plástico que acreditam poder ser uma nova forma de poluição.

Denominado “Plasticrusts” ou “plasticrosta” pela equipa de cientistas liderada por Ignacio Gestoso, este fenómeno é composto por polietileno, mas falta ainda saber qual a sua proveniência.

A primeira hipótese avançada é que se trate de fragmentos de plástico que foram chocando contra as rochas da costa sul da Madeira por causa das ondas e marés.

Os cientistas publicaram as conclusões do seu estudo no boletim científico “Science of the Total Environment” e esperam agora continuar a investigação para saber mais sobre como se forma esta “plasticrosta”.

“Provavelmente, as crostas foram formadas pelo choque de pedaços de plástico maiores contra a costa, o que levou a que o plástico formasse uma crosta, da mesma maneira que as algas e líquenes”, explica Ignacio Gestoso ao site Earther.

O investigador do MARE assinala que o plástico pode, gradualmente, substituir outras coberturas naturais das rochas que são o habitat e a fonte de alimentação de cracas ou burriés.

A equipa de Gestoso verificou que havia burriés a alimentarem-se de algas que cobriam a crosta de plástico, o que levanta a hipótese de os animais estarem também a comer plástico, podendo levar a que partículas do material bloqueiem o canal digestivo ou levem poluentes para dentro do seu sistema.

A primeira vez que as crostas de plástico foram detectadas aconteceu em 2016, mas no início deste ano, a equipa do centro da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa voltou ao local e viu que o plástico ainda estava incrustado nas rochas, no que poderá vir a ser considerado “uma nova categoria de lixo marinho”, refere o MARE em comunicado divulgado pela agência Lusa.

“O potencial impacto que esta nova ‘plasticrosta’ pode ter precisa ainda de ser mais explorado”, mas a sua “potencial ingestão por organismos intertidais pode supor um novo caminho para a entrada de plásticos nas cadeias alimentares marinhas“, destacam os investigadores no artigo científico.

A equipa de Gestoso vai agora procurar perceber a dimensão do problema, tentar apurar se a “plasticrosta” é um fenómeno localizado ou generalizado, bem como tentar compreender como é que é gerado. Depois disso, será possível avaliar com maior precisão o real impacto e os perigos que coloca.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Febre do lítio pede licença para chegar a Portugal

Com o potencial de ter as maiores reservas da Europa, a febre do lítio chegou a Portugal, onde se registaram duas dezenas de solicitações de prospecção este ano, embora as empresas mineiras continuem à espera …

Virgin Galactic abre as portas do primeiro aeroporto espacial do mundo

A empresa norte-americana Virgin Galactic, do bilionário Richard Branson, está a preparar o primeiro aeroporto espacial comercial do mundo, tendo revelado esta semana algumas das imagens daquelas que vão ser as instalações. O aeroporto, localizado …

A Internet está a regar esta planta há três anos

A comunidade online do Reddit tem tratado de uma planta durante três anos. Os utilizadores escolhem diariamente se a planta de ou não ser regada. Tudo começou com uma pequena brincadeira no Reddit, um dos maiores …

O pulmão de um chinês colapsou (e a culpa foi do karaoke)

O pulmão de um homem de 65 anos, na China, colapsou após ter tentado atingir uma nota alta durante uma intensa sessão de karaoke. O homem, residente em Nanchang, na província de Jiangxi, teria estado a …

"Emergência nacional". Deputados pedem a Boris que convoque imediatamente o Parlamento

Mais de 100 deputados britânicos pediram, numa carta divulgada este domingo, ao primeiro-ministro Boris Johnson para convocar imediatamente o Parlamento e voltar a debater o Brexit. As férias de verão do Parlamento terminam normalmente a 03 …

Rambo Luso. Há um português a viver na selva venezuelana há 25 anos

Há 25 anos que o português António Pestana Drumond realiza expedições às regiões de selva do Delta Amacuro e do Parque Nacional Canaima, leste da Venezuela, onde é conhecido pelos indígenas locais como o Rambo …

Já é possível saber se alguém está a mentir. Basta olhar nos olhos

Os olhos não mentem. Pelo menos é o que acham os investigadores da Universidade de Stirling, na Escócia, que criaram uma prova que diz se a pessoa está a mentir ou não com a monitorização …

A NASA detetou (e mediu) o primeiro choque interplanetário

A Multiscale Magnetospheric Mission (MMS) da agência espacial norte-americana conseguir fazer as primeiras medições de um choque interplanetário. Em comunicado, a NASA explica que os choques interplanetários são um tipo de choque sem colisão, no …

Quem ganhou a Segunda Guerra Mundial? Aliados e Eixo dizem que foram eles próprios

Em média, tanto os cidadãos de países dos Aliados como cidadãos de países do Eixo dizem que foram eles mesmos os vencedores da Segunda Guerra Mundial. Se perguntarmos a qualquer um dos poucos veteranos remanescentes da …

Norte-americano passou 30 anos na prisão por erro. Vai ser indemnizado em 10 milhões

Um norte-americano que há 30 anos foi erradamente condenado a 57 anos de prisão por violação e roubo vai agora receber uma indemnização de quase 10 milhões de dólares, avança o jornal New York Post. …