Nova espécie de dinossauro revela porque é que as aves não têm dentes

Yu Chen / LiveScience

Limusaurus inextricabilis

Limusaurus inextricabilis

Uma equipa de cientistas chineses identificou as primeiras espécies de dinossauros conhecidas que tiveram dentes que cresceram durante juventude mas caíram na vida adulta, o que pode explicar o facto de as aves terem bico e não terem dentes.

O estudo publicado esta quinta-feira na Current Biology explica que a espécie descoberta – o dinossauro Limusaurus inextricabilis – é do grupo dos terópodes, a partir do qual evoluíram as aves.

“Descobrimos um fenómeno muito raro e muito interessante num dinossauro em que as mandíbulas dos juvenis com dentes passaram para mandíbulas bicudas sem dentes nos indivíduos mais maduros”, revela Shuo Wang, da Universidade Normal de Pequim.

Os especialistas analisaram restos fossilizados de 13 ceratossauros terópodes, encontrados no noroeste da China. Estes fósseis permitiram aos cientistas reconstruir o crescimento dos dinossauros desde o nascimento até à idade adulta.

“O dinossauro provavelmente comia carne quando era jovem, mas depois desenvolveu um bico com o qual possivelmente se alimentava de plantas“, afirmam os cientistas.

Segundo Wang, a perda de dentes não é um fenómeno assim tão raro em animais vivos. No entanto, é a primeira vez que se observa algo do género em répteis.

“Esta mudança dramática na anatomia sugere que existiu uma grande mudança na dieta do Limusaurus da adolescência para a vida adulta”, disse James Clark, investigador da Universidade George Washington, nos EUA, e co-autor do estudo.

Os fósseis analisados indicam que os Limusaurus inextricabilis jovens eram carnívoros ou omnívoros, o que explicaria a presença de dentes pequenos e afiados. Já os adultos seriam herbívoros porque a ausência de dentes impediria o consumo de carne.

A hipótese de mudança na dieta é apoiada por análises químicas aos ossos dos animais.

Devido às diferenças morfológicas entre os dinossauros jovens e adultos, os cientistas chegaram a pensar que os fósseis encontrados eram espécies diferentes.

“Inicialmente, pensávamos que tínhamos encontrado dois ceratossauros diferentes, um com dentes e outro sem, e até começamos a descrevê-los separadamente”, adiantou Wang.

Mas depois, os especialistas perceberam que os fósseis eram bastante parecidos e concluíram que os exemplares eram da mesma espécie, só que alguns eram mais jovens e tinham dentes.

Segundo Wang, a perda de dentes não é um fenómeno assim tão raro em animais vivos, mas é a primeira vez que se observa algo do género em répteis.

BZR, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Inscrição hebraica com 2.800 anos revela antigo nome bíblico

Uma equipa de arqueólogos encontrou um jarro com 2.8000 anos com a inscrição em hebraico "Benayo" no sítio arqueológico de Abel Beth Maacah, no norte de Israel, local várias vezes mencionado na Bíblia Hebraica.  De …

Braga vence FC Porto e conquista Taça da Liga. Sérgio coloca lugar à disposição

O Sporting de Braga venceu hoje o FC Porto por 1-0 e conquistou a Taça da Liga, com Ricardo Horta a marcar o golo decisivo aos 90+5, garantindo um troféu que os bracarenses já tinham …

Rara moeda de ouro com a cara de Eduardo VIII vendida por preço recorde

Uma rara moeda de ouro com o perfil do rei britânico Edward VIII foi vendida a um comprador particular pelo valor recorde de 1,3 milhões de dólares. A informação é avançada pela Royal British Mint, a …

Depois dos incêndios, Austrália está prestes a experimentar uma "bonança" de aranhas mortais

Depois dos incêndios florestais que assolaram o país, os australianos começaram a implorar por chuva. O bónus de aranhas mortais não estava incluído no pedido, mas os especialistas do Australian Reptile Park acreditam que é …

Governo admite retirar cidadãos nacionais de Wuhan

As autoridades portuguesas estão a cooperar com outros países europeus para reforçar o apoio aos cidadãos nacionais que se encontram em Wuhan, onde ocorreram os primeiros casos do novo coronavírus, admitindo a possibilidade de retirá-los …

Os cogumelos podem ser muito mais antigos do que pensávamos

Os cogumelos podem ser mais antigos do que pensávamos, concluíram cientistas que dataram vestígios de micélio (constituinte dos cogumelos) com 800 milhões de anos, divulgou esta quarta-feira a Universidade Livre de Bruxelas, na Bélgica. Estudos anteriores …

Comer iogurte natural pode ajudar a reduzir o risco de cancro da mama

Uma das causas mais apontadas para o cancro da mama é a inflamação causada por bactérias nocivas. Esta tese ainda não foi provada, mas é apoiada pelas evidências até agora disponíveis de que a inflamação …

Primeiro caso suspeito de infeção por coronavírus detetado em Portugal

Foi detetado o primeiro caso suspeito de infeção infeção pelo novo coronavírus , em Portugal, anunciou este sábado a Direção-Geral de Saúde. “Este doente, regressado hoje [este sábado] da China, onde esteve na cidade de Wuhan …

Slava Semeniuta transforma chuva em atmosfera néon

O artista e fotógrafo russo Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, mistura elementos naturais e faz mágica com eles. Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, retoca fotografias de poças de água para criar composições …

Empresa quer vender dispositivos que extraiem água potável do ar

A empresa israelita Watergen está a planear começar a vender uma versão para o consumidor do seu aparelho que extrai água potável do ar ainda este ano. A tecnologia do gerador atmosférico da empresa está em …