/

Gary Neville identificou o ponto fraco de Cristiano Ronaldo

7

Sebastien bozon / AFP

Gary Neville diz que Cristiano Ronaldo “não trabalha o suficiente nos grandes jogos”. O ex-futebolista alerta o treinador do United para tomar medidas para precaver isto.

Apesar dos seus feitos extraordinários, Cristiano Ronaldo é um ser humano como todos nós — e, como tal, tem os seus defeitos. O antigo jogador e agora comentador desportivo Gary Neville já identificou qual é o ponto fraco do internacional português: “Ronaldo não trabalha o suficiente nos grandes jogos”.

“Ele traz muitos aspetos positivo, mas também alguns problemas. Ronaldo está a jogar na frente, mas nunca o vão ver pressionar. Se pensam que o Manchester United vai ser uma equipa pressionante, isso nunca irá acontecer. CR7 não pressionava há 10 ou 15 anos. O que isso faz ao estilo de jogo do United? Vão ser uma equipa mais de contra-ataque? Isso será mais complicado porque jogam mais vezes contra equipas inferiores”, disse Neville em declarações no The Overlap Fan Debate da Sky Bet.

“Digamos que o Ronaldo tem de ser gerido. Em 2008, na meia-final da Champions com o Barcelona, fora de casa, ele jogou lá na frente com o Rooney e o Ji-Sung Park por fora e o Tévez ‘em cima’ do Busquets. Isto porque o Cristiano não trabalha o suficiente nos grandes jogos”, acrescentou.

O calendário do Manchester United não se avizinha fácil. Os próximos jogos dos red devils são: Leicester, Atalanta, Liverpool, Tottenham, novamente Atalanta, Manchester City, Watford, Villarreal, Chelsea e Arsenal.

“O Ole vai ter de tomar grandes decisões nas próximas semanas para compensar a chegada do Ronaldo. Eles precisam de encontrar uma forma de jogar com o Ronaldo na equipa. Eu apoiei o seu regresso, ele é fantástico, adoro-o, mas o United tem de encontrar uma forma de jogar para compensar a sua presença em campo”, disse ainda Neville.

  Daniel Costa, ZAP //

7 Comments

  1. Mas que cromo este neville. Basta pensar que na seleção nacional e nas várias equipas por onde o Ronaldo passou, praticamente marca sempre em momentos decisivos.

  2. Não tenho dúvidas que Gary Neville goste muito do Cristiano Ronaldo para só agora publicar o que é óbvio há mais de 15 anos: CR só trabalha para ele e para a sua paranóia gananciosa, por todos os clubes por onde passa, o depois é a desertificação. Mesmo no Real Madrid, ainda que aqui Florentino Perez pareça ter o processo sob controlo, a sua prioridade, no momento, é o novo “Bernabéo” e não a equipa de futebol. O United entrou em decadência com a saída (forçada) de CR, a Juve está metida numa fossa e o United vai apenas ficar mais decadente com este hipócrita “regresso a casa”. Sejam felizes, o marketing de CR tratará de proclar que a culpa não é dele, é sempre dos outros, ele está acima de tudo e todos: dirigentes, treinadores, jogadores.

    • Acho que nessa “cabezorra” é que existe a total desertificação de neurónios! Os anti Ronaldo sempre a aparecerem para o criticar, mais concretamente conhecidos como os “benfiquistas zangados por Ronaldo ser de longe melhor que Eusébio”, é assim designado o vosso “movimento”! Já dizia o filósofo: “não é preciso plantar idiotas pois eles nascem espontaneamente!” Viva o Ronaldo… quem não gosta que se agarre à estátua do Eusébio e não venha para aqui destilar azia!

      • Discurso ronaldete, obviamente. a roçar a narrativa LBTG. É verdade, o Cristianinho R. não excita a minha libido, física, clubista ou patrioteira. Cresça, boy.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE