Afinal, os neurónios não se formam ao longo de toda a vida

Uma equipa de cientista sugere que a neurogénese diminui durante a infância e é indetétavel em adultos, contrariando assim a tese de que ocorre ao longo de toda a vida.

Afinal, o processo de formação de novos neurónios no cérebro diminui durante a infância e é indetétavel em adultos. Esta é a conclusão de um novo estudo, divulgado esta quinta-feira, que contraria a tese de que a neurogénese ocorre ao longo de toda a vida.

O estudo, publicado recentemente na Nature, analisou 59 amostras de tecido cerebral de uma região específica, o hipocampo, considerado essencial para a aprendizagem e a memória. É nesta região do cérebro que os cientistas têm, ao longo do tempo, procurado indícios de que novos neurónios continuam a nascer ao longo da vida.

No entanto, esta investigação contraria o que se pensava até agora: o nascimento de novos neurónios no hipocampo humano reduz na infância e a neurogénese em adultos, observada em aves e roedores, aparentemente não acontece, nota em comunicado a Universidade da Califórnia, nos EUA, que lidera o trabalho.

“Se a neurogénese é tão rara que não podemos detetá-la nos adultos, poderá estar realmente a desempenhar um papel importante na plasticidade ou na aprendizagem e memória no hipocampo?”, questiona Shawn Sorrels, um dos co-autores do artigo científico, citado pela universidade.

No estudo foram analisadas 37 amostras de tecido do hipocampo de cadáveres e 22 amostras de tecido da mesma região cerebral removidas cirurgicamente de doentes com epilepsia. As amostras de tecido são de recém-nascidos, crianças, jovens e adultos.

Assim, os investigadores estudaram alterações no número de neurónios “recém-nascidos” e de células estaminais neuronais, desde antes do nascimento até à idade adulta, usando uma variedade de anticorpos para identificar células de diferentes tipos e estados de maturidade. A forma e a estrutura das células foi também analisada.

De acordo com as conclusões, ao observar uma média de 1618 neurónios “jovens” por milímetro quadrado de tecido cerebral no momento do nascimento, a neurogénese abunda no desenvolvimento pré-natal do cérebro e em recém-nascidos.

No entanto, o número de células recém-nascidas cai significativamente nas amostras de tecido cerebral obtidas durante os primeiros anos de vida. O número de novos neurónios numa criança de dois anos era cinco vezes menor do que o verificado em recém-nascidos.

O declínio do processo de formação de novos neurónios no cérebro continua na infância, com o número de novas células a diminuir 23 vezes entre um e os sete anos de idade e mais 15 vezes aos 13 anos, idade em que os neurónios parecem ser mais maduros do que os observados nas amostras de cérebros ainda mais jovens.

Os autores do estudo chegaram também à conclusão de que havia apenas 2,4 novos neurónios por milímetro quadrado de tecido do hipocampo no começo da adolescência, não tendo encontrado vestígios de neurónios recém-formados em nenhuma das amostras de tecido cerebral de cadáveres de jovens de 17 anos ou das amostras de tecido extraídas cirurgicamente de 12 doentes adultos com epilepsia.

Ao centrarem-se nas células estaminais neuronais, descobriram que são abundantes durante o desenvolvimento cerebral pré-natal, mas já extremamente raras no início da infância.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Afinal, o universo pode ser 2 mil milhões de anos mais novo do que pensávamos

Novos cálculos sugerem que o universo pode ser dois mil milhões de anos mais novo do que aquilo que se pensava. Contudo, é difícil saber com exatidão a sua verdadeira idade. Os cientistas calculam a idade …

O maior vulcão de uma lua de Júpiter pode estar prestes a entrar em erupção

O maior vulcão de Io, uma das quatro grandes luas de Júpiter, pode estar prestes a explodir. Décadas de observação mostram um ciclo periódico nas erupções deste vulcão. De acordo com o Science Alert, o vulcão …

Crianças e adolescentes são quem mais consome açúcar em Portugal

Um estudo do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), que teve por base o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física, concluiu que as crianças e os adolescentes são quem mais consome …

A Rússia já sabe como apareceu a fissura na nave Soyuz (mas não revela)

A Corporação Espacial Estatal da Rússia, Roscosmos, já sabe qual é a origem da fissura encontrada há um ano na nave Soyuz MS-09, acoplada à Estação Espacial internacional. Mas não revelará mais informações. "O buraco foi …

SIVRAC, a bicicleta elétrica que se dobra em apenas um segundo

Com um quadro em forma de "X" e dobrável num estalar de dedos, a nova SIVRAC promete ser uma solução prática para quem viaja, por exemplo, de bicicleta para o trabalho. A bicicleta é um …

Porto 2-1 Young Boys | Dragão de duas faces com estreia feliz

O FC Porto entrou na Liga Europa com o pé direito, ao vencer o Young Boys por 2-1, no Estádio do Dragão. Uma primeira parte de enorme qualidade, na qual os suíços só por uma …

Dois turistas foram apanhados a nadar nus em Veneza. Vão pagar 3 mil euros cada um

Os homens checos estavam em Itália para apoiar a sua equipa de futebol - o Slavia de Praga que jogou contra o Inter em Milão -. Os dois visitantes, em Veneza, decidiram dar um mergulho. Um …

Voar sobre as águas do Sena. Paris testa "bolha do mar", um barco-táxi amigo do ambiente

Paris está a testar um novo meio de transporte mais amigo do ambiente: um barco-táxi ecológico que desliza nas águas do rio Sena. Esta semana, o sea bubble (bolha do mar) está em testes no rio …

Há uma "Matilde" na Bélgica que também precisa do medicamento mais caro do mundo

Mais de 950 mil belgas responderam ao apelo de um casal, que precisava de reunir 1,9 milhões de euros para comprar o medicamento mais caro do mundo para a filha. Pia, de nove meses, sofre de …

System of a Down confirmados no festival VOA, no Estádio Nacional

Os System of a Down são a primeira grande confirmação do VOA - Heavy Rock Festival, que em 2020 se realiza a 2 e 3 de julho no Estádio Nacional. De acordo com a Blitz, este …