Nem todos os dinossauros tinham sangue frio

Doyle Trankina, Gerald Grellet-Tinner / UCLA

Os pequenos ovirraptorossauros da Mongólia são os dinossauros mais próximos dos pássaros atuais

Os pequenos ovirraptorossauros da Mongólia são os dinossauros mais próximos dos pássaros atuais

Cientistas mediram a temperatura corporal de dinossauros com quase 80 milhões de anos analisando quimicamente as cascas dos seus ovos fossilizados, segundo um estudo hoje publicado na revista britânica Nature Communications, demonstrando que variava consoante a espécie.

Uma equipa de investigadores dirigida por Robert Eagle, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles (UCLA), utilizou uma técnica pioneira de análise química das cascas fossilizadas, partindo da descoberta que a sua composição depende da temperatura a que foram sujeitas quando se formaram no interior do corpo dos dinossauros fêmeas.

Dois isótopos raros do carbonato de cálcio – ingrediente fundamental da casca de ovo – o oxigénio 18 e o carbono 13, tendem a juntar-se se as temperaturas forem baixas, e a separar-se se forem mais elevadas.

“Esta nova técnica permite-nos definir a temperatura interna do dinossauro fêmea no momento da ovulação”, explica Aradhna Tripati, co-autora do estudo.

O comunicado da UCLA sublinha que se trata das “primeiras medições diretas da temperatura corporal de dois tipos de dinossauros”.

Os investigadores debruçaram-se sobre duas espécies, os grandes saurópodes de pescoço longo, cujos ovos fossilizados foram encontrados na Argentina, e os pequenos ovirraptorossauros da Mongólia, os mais próximos dos pássaros atuais.

Resultado: a temperatura corporal dos maiores era de cerca de 38 graus Celsius e a dos mais pequenos era ligeiramente inferior a 32 graus Celsius.

Tal permite concluir que a temperatura corporal dos dinossauros varia entre diferentes espécies.

Os dinossauros tinham mesmo sangue frio?

Tem sido alvo de debate nos últimos anos na comunidade científica a ideia antiga de que os dinossauros eram animais de sangue frio.

O estudo de Eagle e Tripati vem agora também salientar que a temperatura corporal dos ovirraptorossauros era mais elevada que a temperatura ambiente, o que sugere que os dinossauros não tinham realmente sangue frio, mas antes intermédio.

Nos animais de sangue frio, como os jacarés, crocodilos ou lagartos, a temperatura do corpo é definida pelas trocas térmicas com o meio ambiente.

Nos de sangue quente ou endotérmicos  como os homens, mamíferos ou pássaros, a temperatura corporal é definida por um mecanismo interno, independentemente da temperatura do meio ambiente.

“Os ovirraptorossauros podiam ser uma categoria intermédia, algures entre o crocodilo e o atual pássaro”, explica Robert Eagle.

“Isto pode significar que eles gerem a sua temperatura corporal e podem aumentá-la até ultrapassar a do ambiente, mas não a mantêm tão elevada como os pássaros modernos, a 40 graus Celsius”, acrescenta.

Um estudo anterior conduzido por John Grady, biólogo da Universidade do Novo México, e publicado em junho na revista Science, tinha já chegado às mesmas conclusões, mas através de outra técnica: a partir dos anéis de crescimento dos ossos fossilizados.

Segundo o biólogo, os dinossauros integram-se na categoria intermédia, dita mesotérmica, mais próxima da do atum, de alguns tubarões e de algumas tartarugas.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Armazém flutuante. A China está a guardar petróleo no mar (e já se sabe porquê)

A China está a guardar uma quantidade épica de petróleo no mar. De acordo com a CNN, o país comprou tanto petróleo estrangeiro a preços baratos que formou um congestionamento maciço de navios-tanque no mar, …

Peregrinos em Meca proibidos de tocar ou beijar a Caaba por causa da covid-19

Os muçulmanos que vão participar na peregrinação a Meca não poderão tocar ou beijar a Caaba nem a "pedra negra", presentes na Grande Mesquita, local considerado como um dos mais sagrados pelo Islão, informaram as …

Países Baixos continuam a abater milhares de martas. 20 quintas afetadas pela pandemia

Esta segunda-feira, as autoridades holandesas abateram milhares de martas em mais duas fazendas onde foram detetados surtos de covid-19. Esta segunda-feira, as autoridades abateram milhares de martas em mais duas fazendas, sendo agora 20 as quintas …

Cientistas criam robô para fazer testes à covid-19 (e proteger os profissionais de saúde)

O Korea Institute of Machinery & Materials (KIMM) desenvolveu um novo robô de coleta remota de amostras que elimina o contacto direto entre os profissionais de saúde e os pacientes, potencialmente infetados com o novo …

"Não use desodorizante". A peculiar estratégia de Berlim para promover o uso de máscaras nos transportes públicos

"Não use desodorizante". Esta é a peculiar campanha adotada pela empresa que controla os transportes públicos em Berlim, na Alemanha, para promover o uso correto de máscaras, evitando assim novos casos de covid-19.  Tal como escreve …

Vírus pode ter estado adormecido antes de surgir na China, diz investigador de Oxford

O novo coronavírus pode ter estado adormecido algures no mundo antes de ter surgido na China, defendeu o investigador da Universidade de Oxford, Tom Jefferson, apontando para várias descobertas de amostras do vírus em Espanha, …

Federer sente falta de Wimbledon. "Deu-me tudo"

Roger Federer admitiu sentir a falta de Wimbledon, o torneio do "Grand Slam" que, se não tivesse sido cancelado devido à pandemia de covid-19, estaria a decorrer em Londres. O tenista suíço Roger Federer admitiu, esta …

Vanessa Guillen foi espancada até à morte. Jovem soldado tinha dito à mãe que era vítima de assédio

Vanessa Guillen foi vista pela última vez a 22 de abril, pouco tempo depois de confessar à mãe que estava a ser assediada por um sargento. O principal suspeito da morte da jovem suicidou-se e …

Presidente da Câmara do Funchal envia carta a Boris Johnson a defender a Madeira

O presidente da Câmara do Funchal escreveu uma carta a Boris Johnson, na qual realça "alguns argumentos fortes" a favor da Madeira como destino de férias para os cidadãos do Reino Unido. O presidente da Câmara …

Livros pró-democracia desapareceram das bibliotecas de Hong Kong

Livros escritos por importantes ativistas da democracia de Hong Kong começaram a desaparecer das bibliotecas da cidade, avança a agência noticiosa francesa AFP, citando registos online destes espaços. Os livros pró-democracia desapareceram das prateleiras da …