NASA detecta pela primeira vez explosão magnética no lado escuro da Terra

NASA

As quatro sondas do programa MMS voam em formação para dentro e para fora da nossa magnetosfera

A Missão Multiescala Magnetosférica (MMS), projeto espacial composto por 4 satélites que foram lançados pela NASA em 2015, detetou uma explosão magnética no lado noturno da Terra nunca antes vista.

De acordo com o artigo publicado a 15 de novembro na revista Science, a missão obteve imagens de alta resolução do lado noturno do planeta Terra, uma nova perspetiva que fornece à NASA informações sobre o funcionamento da reconexão magnética, “um processo de conversão de energia que ocorre em muitos contextos astrofísicos, incluindo a magnetosfera da Terra”.

Esta é a primeira vez que cientistas observam este fenómeno no lado escuro da Terra. Estas poderosas explosões magnéticas ocorrem com um fluxo de partículas alinhadas simetricamente em forma de cauda – uma “versão mais calma” da atividade caótica registada no lado solar da magnetosfera da Terra.

“Isto é muito importante, porque quanto mais sabemos sobre estas reconexões, melhor nos podemos preparar para eventos externos que que podem acontecer a partir deste fenómeno, em torno da Terra ou em qualquer ponto do Universo”, explica Roy Torbert, vice-investigador principal da missão MMS.

Os especialistas, que já tinham mapeado os detalhes desse fenómeno nesta parte da atmosfera em outubro de 2015, agora viram-no, em forma de cometa, no lado noturno da Terra, o que lhes dá uma nova visão do planeta, porque revela fluxos suaves de jatos de eletrões de alta energia que se movem a uma velocidade de mais de 15 mil quilómetros por segundo.

A superfície da Terra encontra-se protegida da chuva constante de eletrões e protões de alta velocidade que são libertados pelo Sol, através de um “guarda-chuva magnético“, cujo “tecido gira e ondula com energia enquanto arrasta as partículas para dentro dele “e, finalmente, voltam para o Espaço. Uma grande acumulação de partículas poderia “causar o caos de redes e sistemas elétricos“.

Lançada em 13 de março de 2015, a MMS é uma missão não tripulada da NASA, composta por uma formação tetraédrica de satélites que visa reunir informações sobre a microfísica da reconexão magnética, a aceleração de partículas energéticas e a turbulência, bem como os processos que ocorrem nos plasmas astrofísicos.

Segundo os autores do estudo, saber que estes fenómenos ocorrem é uma coisa; mas observar um deles a acontecer, em alta resolução, ajuda-nos a redefinir a forma como compreendemos a sua génese – não apenas na atmosfera do nosso próprio planeta, como também em todo o Universo.

ZAP // RT / Science Alert / NASA

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ate quando a NASA vai querer ficar enganando as pessoas??? Essas pessoas acham q somos burros ou o que?…NASA para de enganar as pessoas dizendo q lançou satélite e que existe uma base espacial fora da terra….voces nao conseguem sair do domo da terra.

RESPONDER

Leipzig 2-1 Atlético | Alemães ganham asas e passam às “meias”

O 2.º semi-finalista desta edição da Liga dos Campeões está encontrado. Na noite desta quinta-feira em Alvalade, o Leipzig venceu o Atlético de Madrid por 2-1 e assegurou uma presença inédita nas meias-finais da prova …

EUA apreendem 1,6 milhões de euros em criptomoedas de organizações terroristas

O Departamento da Justiça dos Estados Unidos apreendeu 2 milhões de dólares (1,6 milhões de euros) em contas de criptomoedas que vários grupos, incluindo a Al-Qaida e o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico (EI), utilizavam para …

"Janelas de Vinho". Itália ressuscita tradição do tempo da peste

Centenas de bares e restaurantes italianos "ressuscitaram" a tradição antiga das chamadas "Janelas de Vinho" durante a pandemia de covid-19, tentando assim servir os seus clientes com o mínimo contacto pessoal. A tradição remonta aos …

Um dos maiores telescópios do mundo ficou gravemente danificado devido a um cabo partido

O radiotelescópio de Arecibo, um ícone da busca para entender o Universo, sofreu graves danos como resultado do rompimento de um cabo. A causa da quebra e quanto tempo o telescópio demorará a ser consertado …

Pumpkin Island já custou 78 dólares. Agora pode comprá-la por 17 milhões

Se ainda não decidiu onde passar férias fica aqui uma dica: uma ilha privada na costa da Austrália está à venda por 17 milhões de dólares (cerca de 14,5 milhões de euros). A Pumpkin Island …

Desaparecem oito mulheres por dia no Peru, mais três do que antes da pandemia

O número de mulheres desaparecidas no Peru, um fenómeno endémico no país, subiu de cinco por dia, em média, para oito, desde a quarentena decretada para travar a pandemia de covid-19, indicou o provedor de …

EUA já gastaram quase tanto com a covid-19 como com a II Guerra Mundial

Até ao momento, os Estados Unidos da América gastaram quase tanto com a pandemia de covid-19 como gastaram com a II Guerra Mundial. A Segunda Guerra Mundial travou-se entre 1939 e 1945 e deixou milhões de …

Sporting recusou proposta de 32 milhões por Joelson Fernandes

O Sporting CP rejeitou uma proposta de 32 milhões de euros do Arsenal por Joelson Fernandes. Os 'leões' pedem 45 milhões pelo jovem extremo de 17 anos. Continua o leilão pela promessa sportinguista Joelson Fernandes. Depois …

CIA tentou desenvolver um "drone-pássaro" nuclear para espiar a União Soviética na Guerra Fria

Durante a Guerra Fria, a CIA tentou desenvolver um drone nuclear do tamanho de um pássaro para espiar a União Soviética e outros países do bloco comunista. Porém, o projeto nunca foi concluído. De acordo com …

Para combater o desperdício, China acaba com os banquetes tradicionais

Conhecidos pela gastronomia e pelo bom apetite, os chineses terão de adotar a austeridade, invertendo a tradição, que exige que sejam servidos à mesa tantos pratos quantos forem os convidados e mais um. A nova regra …