NASA “cozinha” atmosferas alienígenas na Terra

NASA

Uma equipa de cientistas do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (JPL), localizado na Califórnia, conseguiu criar uma atmosfera na Terra que se assemelha a um tipo especial de planetas extrasolares, os “Júpiteres quentes”. 

Um exoplaneta orbita não o Sol, mas antes outras estrelas. Por sua vez, os “Júpiteres quentes” orbitam em volta das suas estrelas numa distância relativamente curta, sendo o seu período de rotação de apenas apenas 10 dias.

A proximidade destes planetas com as estrelas quentes faz com que as temperaturas nas suas atmosferas sejam muito elevadas, entre 530 e 2.800 graus Celsius, de acordo com um comunicado do JPL publicado esta semana na sua página oficial.

As atmosferas destes planetas também têm outra qualidade: são muito nebulosas mesmo em grandes altitudes e em condições de baixa pressão, quando as nuvens não se devem formar. Para explicar a sua aparência, os especialistas da NASA decidiram “cozinhar” atmosferas semelhantes nos seus laboratórios. No fundo, e tal como escrevem na nota de imprensa, estão a “cozinhar atmosferas alienígenas na Terra”.

Para a instigação, a equipa misturou hidrogénio e monóxido de carbono – elementos muito comuns no Universo e que podem fazer parte da composição da atmosfera destes planetas -, aquecendo depois os elementos num forno de elevada temperatura (330 a 1.230 graus Celsius). Depois de aquecidos, foram expostos a uma elevada dose de radiação ultravioleta. Enquanto o aquecimento da mistura não produziu resultados, a radiação ajudou a produzir a névoa.

“Embora seja impossível simular em laboratório de forma exatas estes ambientes hostis de planetas extrasolares, podemos aproximar-nos muito”, explicou Murthy Gudipati, líder de investigação e autor principal do estudo cujos resultados foram publicados no fim de janeiro na revista especializada The Astrophysical Journal.

Para Benjamin Fleury, do mesmo laboratório, os resultados conseguidos com esta investigação melhoram a forma como os cientistas interpretam as atmosferas nebulosas dos “Júpiteres quentes” atualmente.

Segundo Fleury, a equipa pretende continuar a estudar as partículas que “moram” na atmosfera destes exoplanetas, de forma a melhor “entender melhor como se formam, como absorvem a luz e como reagem às mudanças do ambiente”.

“Toda esta informação pode ajudar os astrónomos a perceber o que estão a ver quando observam estes planetas”, rematou o cientista.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas criam tinta ultra-branca que ajuda a arrefecer as superfícies

Cientistas criaram uma nova tinta ultra-branca que pode refletir 95,5% da luz solar que chega à sua superfície. De acordo com o site IFLScience, esta propriedade permite que algo revestido com esta tinta ultra-branca, como, por …

Morreu Sindika Dokolo, marido de Isabel dos Santos

O empresário Sindika Dokolo faleceu, nesta quinta-feira, no Dubai, aos 48 anos de idade, durante a prática de mergulho. A morte do empresário de origem congolesa já foi confirmada à Lusa por uma fonte ligada à …

Lagostins autoclonados invadiram (e conquistaram) um cemitério na Bélgica

Um cemitério na Bélgica foi completamente invadido por lagostins marmoreado. De acordo com o Instituto Flamengo para Pesquisa da Natureza e da Floresta (INBO), a espécie representa uma grande ameaça para a biodiversidade local. Segundo o …

Benfica 3-0 Standard Liège | “Águia” voa de forma imperial

A noite foi de festa no Estádio da Luz para os cerca de 4875 espectadores – 7,5% por cento da lotação – que se deslocaram ao reduto dos “encarnados” esta quinta-feira. O Benfica venceu por 3-0 …

Urnas abertas no Minecraft. Servem para ensinar os jovens a votar nas eleições

A organização não partidária e sem fins lucrativos Rock the Vote e a empresa criativa Sid Lee uniram-se para criar um servidor de "casa de votação" no popular jogo Minecraft antes das eleições presidenciais de …

Zorya Luhansk 0-2 Braga | “Nota artística” em triunfo minhoto

Dois jogos, duas vitórias para o Sporting de Braga no Grupo G da Liga Europa. Uma entrada de rompante em jogo, com dois golos espectaculares nos primeiros 11 minutos, permitiram aos “arsenalistas” controlar e lidar …

Amostra de ADN desvenda homicídio cometido há quatro décadas

Uma amostra de ADN, colhida de um norte-americano da Carolina do Sul após este ser detido por apontar uma arma, permitiu às autoridades desvendar um caso antigo, identificando-o como principal suspeito do homicídio de uma …

Investigadores portugueses criam simuladores para treinar médicos à distância

Investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) desenvolveram, durante o confinamento, um método para os estudantes treinarem para cenários de emergência sem saírem de casa. Em declarações à Lusa, Carla Sá Couto, do …

Restam apenas dois rinocerontes brancos do norte (mas há uma esperança para salvar a espécie)

Com a morte do último macho em 2018, o rinoceronte branco do norte chegou ao ponto em que não pode ser salvo naturalmente. Com apenas duas fêmeas restantes, a subespécie é agora tida como oficialmente …

Há uma região na América do Norte sem qualquer caso de covid-19. Tem a dimensão do México

Nunavut, uma região localizada no norte do Canadá, continua sem registar nenhum caso de covid-19. A receita para o sucesso tem vários ingredientes, mas as caraterísticas especiais da região e as medidas rígidas tomadas logo …