Portugueses criam nanomateriais feitos de algas para despoluir água

De algas abundantes no litoral de Portugal, investigadores da Universidade de Aveiro extraíram biopolímeros capazes de remover alguns poluentes da água, como antibióticos ou herbicidas.

Uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) demonstrou que nanomateriais preparados a partir de biopolímeros extraídos de algas têm a capacidade de remover alguns poluentes da água.

Segundo a equipa de investigação, os biopolímeros extraídos de fontes naturais, como é o caso das algas abundantes no litoral nacional, podem ser “enormes aliados” na remoção de poluentes da água difíceis de eliminar nas estações de tratamento, como antibióticos e outros fármacos, herbicidas e ainda corantes orgânicos utilizados pela indústria.

“O segredo destes adsorventes está no seu pequeníssimo tamanho, inferior a 100 nanómetros, que possibilita uma elevada área de contacto com a água, combinado com os polissacarídeos presentes na sua composição e que são provenientes das algas”, descreve uma nota de imprensa da UA sobre o trabalho científico.

A equipa de investigadores do Departamento de Química da UA e do CICECO — Instituto de Materiais de Aveiro, uma das unidades de investigação da Academia de Aveiro, desenvolveu e patenteou nano-adsorventes magnéticos que, além dos polissacarídeos, são constituídos ainda por um miolo de óxido de ferro (magnetite) que lhes confere características magnéticas e por sílica, com o papel de ligar entre si os ingredientes e de tornar os materiais insolúveis na água.

Entre os vários poluentes estudados, está o ciprofloxacina, antibiótico utilizado no tratamento de várias infeções, que pode ser encontrado nas águas residuais, devido à inadequada eliminação de medicamentos não usados ou à metabolização incompleta deste medicamento em humanos.

“Os nano-adsorventes sintetizados apresentam uma eficácia de remoção entre 30 a 90 por cento desse antibiótico, sendo possível remover até 1350 miligramas de ciprofloxacina usando um grama de adsorvente”, explicam os investigadores.

Os adsorventes podem ser regenerados e reutilizados, o que representa uma vantagem económica acrescida e, de acordo com fonte académica, “algumas empresas já mostraram interesse e estão a testar estes materiais na remoção de diferentes contaminantes”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bloco apoia travão ao desconfinamento na região de Lisboa

O Bloco de Esquerda apoiou o adiamento do levantamento de restrições impostas pela pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, destacando que é importante aumentar a vigilância nas empresas de construção e trabalho …

Descoberto "cemitério" de mamutes nos arredores da Cidade do México

Investigadores descobriram um "cemitério" com cerca de 60 mamutes nos arredores da Cidade do México, avança o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do país. De acordo com o site Live Science, a descoberta aconteceu, …

David Luiz confirma rumores. Regresso "vai acontecer se o presidente permitir e os adeptos quiserem"

David Luiz confirmou este sábado os rumores que davam conta que o Benfica e o jogador estavam a negociar um eventual regresso do brasileiro à Luz. Em entrevista ao desportivo Record, David Luiz confirmou a …

Cães treinados para proteger animais selvagens salvam 45 rinocerontes

Há inúmeras razões que explicam o motivo pelo qual os cães são conhecidos como o melhor amigo do Homem. Além de leais e inteligentes, dão sempre o corpo às balas, mesmo nos piores momentos. Quarenta e …

Fez-se história. Foguetão da SpaceX lançado com sucesso rumo à EEI

O primeiro foguetão concebido e construído por uma empresa privada, a SpaceX, de Elon Musk, levando a bordo dois astronautas foi lançado este sábado na presença do Presidente do Estados Unidos, Donald Trump. O lançamento decorreu …

"A Rússia não permitirá a privatização da Lua", avisa Roscosmos

A Rússia não permitirá a privatização da Lua, independentemente de quem avance a iniciativa, avisou o chefe da agência espacial russa (Roscosmos), Dmitri Rogozin, em entrevista ao jornal Komsomólskaya Pravda. "Não permitiremos que ninguém privatize a …

Plataforma flutuante extrai energia das ondas, do vento e do Sol

A empresa alemã Sinn Power criou uma plataforma marítima flutuante capaz de gerar energia renovável a partir de ondas, vento e energia solar. A plataforma híbrida combina turbinas eólicas, painéis solares e coletores de energia das …

Balneários proibidos e 3 metros de distância. As regras da DGS para a prática de exercício físico

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomenda uma distância mínima de três metros entre pessoas que pratiquem exercício físico, no âmbito das medidas de prevenção da pandemia de covid-19. A orientação, intitulada “Procedimentos de Prevenção e Controlo …

Astronautas da NASA já se preparam para voo histórico a bordo do foguetão da Space X

Dois astronautas da NASA já estão a equipar-se para o lançamento histórico de um foguetão concebido e construído pela empresa SpaceX, de Elon Musk, apesar de as previsões meteorológicas indicarem mais tempestades. Com o voo já …

Há dez anos, Portugal adotou a lei que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo

Portugal adotou há 10 anos a lei que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo, após um debate fraturante que remeteu para mais tarde a adoção de crianças por estes casais, possível apenas desde …