Na hora da despedida, Draghi defende capacidade orçamental própria da zona euro

European Parliament / Flickr

Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu

O presidente cessante do Banco Central Europeu (BCE) defendeu, em Bruxelas, a existência de um “instrumento orçamental central” na zona euro, ainda que “perfeitamente consciente das dificuldades políticas” para o criar, devido à “falta de confiança” entre Estados-membros.

No seu “diálogo” de despedida com a Comissão de Assuntos Económicos e Financeiros do Parlamento Europeu, perante a qual compareceu ao longo dos últimos oito anos enquanto presidente do BCE — cargo que abandonará a 31 de outubro, cedendo o posto à francesa Christine Lagarde —, Mario Draghi passou em revista algumas das “lições” retiradas do seu mandato e, entre as falhas detetadas, apontou a ausência de um instrumento orçamental centralizado na área do euro.

“Ao comparar a resposta da zona euro à crise com a resposta de outras economias avançadas, é evidente que estas últimas foram capazes de alcançar na altura uma combinação de políticas macroeconómicas melhor, graças a ações mais decisivas tanto no domínio orçamental como no financeiro”, declarou, apontando que “uma diferença fundamental”, comparando por exemplo com a resposta dos Estados Unidos, “foi a falta de um instrumento orçamental central, para atuar de forma contracíclica ao nível federal”.

“Estou perfeitamente consciente das dificuldades políticas para construir um tal instrumento na zona euro. Também existem dificuldades semelhantes nas discussões sobre como completar a união bancária e no estabelecimento de uma verdadeira união de mercados de capitais”, observou o presidente do BCE.

Em resposta a questões dos eurodeputados, Draghi desenvolveu a ideia e comentou que, “para ser eficaz, um tal instrumento orçamental “deve ter uma dimensão adequada e deve operar de uma forma automática, para ser atempado”, mas deve também “ser apoiado por todos os Estados-membros”.

“É por isso que é tão difícil chegar a um acordo sobre a criação desta capacidade orçamental”, pois, se por um lado, “do ponto de vista meramente racional, faz todo o sentido”, por outro, “é preciso ultrapassar a falta de confiança que pode haver entre diferentes Estados-membros relativamente à responsabilidade com que levam a cabo as suas políticas orçamentais”.

Para Draghi, uma capacidade orçamental central da zona euro é justificada “porque os países podem sofrer choques assimétricos e, nesse caso, devem ter à sua disposição as reservas necessárias”, que atuariam imediatamente.

O presidente do BCE defendeu que, ao mesmo tempo, é fundamental o total compromisso com o objetivo de alcançar “uma genuína União Económica e Monetária” (UEM).

“Ignorar a necessidade de corrigir as fraquezas institucionais que subsistem na UEM iria causar muitos danos àquilo que já foi alcançado (…). Tal como defendi nesta comissão parlamentar há oito anos, precisamos de mostrar «uma trajetória clara para a evolução futura» da UEM, e, desse modo, enquadrar “as expetativas tanto dos cidadãos como dos mercados financeiros”, disse, citando-se a si próprio, por considerar ainda atuais as suas declarações de 2011.

Draghi compareceu hoje pela última vez perante a comissão de Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu, numa altura em que se prepara para ‘passar o testemunho’ a Lagarde, e em que o Eurogrupo, sob a presidência de Mário Centeno, e mandatado pelos chefes de Estado e de Governo, prossegue os trabalhos com vista a completar a UEM, e finaliza a proposta de um instrumento orçamental para a convergência e competitividade na zona euro, que começará por ter um dimensão (financeira) modesta.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Metro de Nova Iorque pede à Apple para melhorar sistema de reconhecimento facial

A autoridade que gere o metro de Nova Iorque, nos Estados Unidos, pediu à gigante tecnológica Apple para melhorar o reconhecimento facial dos seus dispositivos depois de serem observados vários passageiros a retirar a máscara …

Rival da Tesla diz que o seu carro terá uma autonomia de 832 quilómetros

A empresa Lucid Motors, concorrente direta da Tesla no mercado automóvel elétrico, afirma que o seu carro Air terá uma autonomia de 832 quilómetros. A confirmar-se a autonomia deste carro, o automóvel da Lucid Motors ultrapassará …

Moradores das Maurícias estão a cortar o próprio cabelo para ajudar a evitar um desastre ambiental

Moradores das Maurícias estão a cortar o seu próprio cabelo para para tentar minimizar os danos causados pelo derrame de petróleo de um navio janponês encalhado nos recifes de coral ao largo da ilha. Estima-se que …

Atalanta 1-2 PSG | Reviravolta épica vale bilhete para as “meias”

Um final impróprio para cardíacos e o epílogo perfeito num excelente jogo. O PSG esteve a perder desde o minuto 27, mas em apenas três minutos dos descontos deu a volta ao texto diante da …

Um emblemático transplante nos EUA aconteceu graças a um coração "roubado"

Um dos primeiros transplantes de coração realizados no mundo aconteceu no Estados Unidos. O que muitos não sabem é que este caso de sucesso também deu aso ao primeiro processo civil no país por homicídio …

"Pandemia de sem-abrigo" nos EUA. Há 30 milhões de pessoas sob risco de despejo

Nos Estados Unidos da América avizinha-se uma "pandemia de sem-abrigo". Até ao final de setembro, 30 milhões de norte-americanos estão em risco de despejo devido à covid-19. Nos Estados Unidos, a pandemia de covid-19 pode estar …

Tráfego nas autoestradas cai para quase metade. Foi o pior trimestre de sempre

A rede da Associação Portuguesa das Sociedades Concessionárias de Autoestradas ou Pontes com Portagens (APCAP) registou de abril a junho "o pior trimestre de circulação e tráfego médio desde que há registos", recuando 46% devido …

Bielorrússia cortou acesso à internet e tentou fazer com que parecesse um acidente

No seguimento da reeleição de Alexandr Lukashenko na Bielorrússia, multiplicam-se os apagões de internet. O Governo diz que se trata de um ataque cibernético, mas há suspeitas de que seja um plano do presidente. Os protestos …

Resgatados 28 cães sem registo ou vacinas de barracões onde também vivia a proprietária em Lisboa

Vinte e oito cães foram retirados pela PSP terça-feira de barracões em Lisboa onde também vivia a proprietária, avança a agência Lusa, detalhando que os animais serão depois colocados para adoção.  Os animais foram posteriormente recolhidos …

Pela primeira vez em 300 anos, é possível visitar esta ilha em Cabo Cod

Pela primeira vez em 300 anos, uma ilha ao largo da costa de Cabo Cod, península em forma de gancho no estado norte-americano de Massachusetts, está aberta ao público. A Ilha Sipson é propriedade privada desde …