Estudo sugere que modernização reduz importância da religião na felicidade das pessoas

echiner1 / Flickr

Em países mais desenvolvidos e em que há uma maior perceção de liberdade, a religião desempenha um papel menos importante na felicidade das pessoas.

Um novo estudo sugere que em países em que a felicidade das pessoas está mais associada à conformidade religiosa, esta tende a estar menos ligada à liberdade subjetiva e vice-versa. A investigação foi publicada este mês na revista científica Journal of Happiness Studies.

Assim sendo, as conclusões do estudo apontam que a “evolução cultural” associada à modernização reduz “a importância da fé religiosa para a felicidade das pessoas, enquanto aumenta a importância da liberdade subjetiva”.

“Como pessoa que cresceu num regime comunista, sempre olhei para a religião da mesma maneira que o comunismo: um instrumento de manipulação, usado principalmente nas sociedades opressivas pelas elites locais, a fim de obter submissão e manter os seus privilégios sem serem desafiadas”, disse o autor do estudo, Michael Minkov.

Num questionário online feito a mais de 40 mil pessoas de 43 países diferentes, foram recolhidos dados da felicidade das pessoas, adesão às regras religiosas e da perceção de liberdade que têm.

A equipa de investigadores descobriu que a relação entre felicidade e conformidade religiosa era mais forte em países mais coletivistas com menos desenvolvimento económico. Por outro lado, a relação entre felicidade e liberdade subjetiva era mais fraco neste países.

Pelo contrário, em países mais desenvolvidos economicamente e mais individualistas, as associações verificadas eram contrárias. Assim sendo, quanto maior a liberdade subjetiva, mais felizes as pessoas eram. Contudo, a conformidade religiosa acabava por não influenciar muito a felicidade das pessoas.

Minkov confessou não estar surpreendido com os resultados, explicando que percebe que a religião traga mais felicidade às pessoas em países com mais dificuldades. No entanto, ficou surpreendido ao notar que os Estados Unidos tinham um padrão semelhante apesar de serem muito desenvolvidos economicamente.

“Os Estados Unidos são um país rico, mas têm muita desigualdade e muitos dos seus cidadãos sentem-se desprivilegiados. Aparentemente, a religião ajuda-os a lidar com as dificuldades”, disse Minkov ao PsyPost.

O antropólogo conclui que o conformismo religioso tem um efeito negativo na capacidade de uma nação em inovar.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Esta época há menos 500 clubes. "É o drama absoluto", diz presidente da FPF

Esta época há menos 500 clubes em comparação com a temporada transata. O presidente da FPF, Fernando Gomes, classifica a situação de "drama absoluto". A pandemia de covid-19 e a consequente interrupção das competições foi um …

Psicólogos no recrutamento e mudanças na formação. IGAI quer acabar com discriminação na polícia

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) quer envolver psicólogos no processo de recrutamento de novos polícias e rever os currículos de formação para acabar com práticas discriminatórias nas forças de segurança. As alterações no processo de …

Coleção de joias da era Viking é encontrada na Ilha de Man. É "excecionalmente rara"

Uma coleção de joias da era Viking foi encontrada na Ilha de Man, entre Inglaterra e a Irlanda, em novembro de 2020 e foi agora classificada como tesouro. Os especialistas acreditam que os artefactos, descobertos …

“As brasileiras são mercadoria". Professor da UP suspenso por comentários machistas e xenófobos nas aulas

Após uma denúncia que reuniu assinaturas de mais de uma centena de alunas, o professor auxiliar Pedro Cosme da Costa Vieira foi suspenso pelo período máximo de 90 dias, da Faculdade de Economia da Universidade …

Houve buzinão na Luz (mas sem "carinho"). Jesus culpa covid-19 pela crise do Benfica

Algumas dezenas de adeptos protestaram junto ao Estádio da Luz com um buzinão, entre gritos de "Rua Vieira" devido aos maus resultados do Benfica. Antes disso, Jorge Jesus tinha apelado a um "buzinão de carinho" …

Marcelo remete diretamente para o Governo limites ao ruído nos prédios

O chefe de Estado incluiu o detalhe "decreto-lei do Governo", no novo decreto para a renovação do estado de emergência, para permitir que o Executivo limite o ruído nos prédios. No último decreto que executou o …

Clubes ingleses decidiram: não há público, acabou a época

Decisão não afeta a Premier League mas antecipa o final de quatro divisões do futebol inglês. Na época passada os campeonatos também não chegaram ao fim. Muitos dos campeonatos não-profissionais (em várias modalidades) estão parados, não …

Cães podem ter consciência corporal tal como os humanos

Os cães podem não ser capazes de se reconhecer em frente a um espelho, mas isso não significa que não tenham um certo nível de autoconsciência. De acordo com o site Science Alert, um novo estudo …

Moratórias de crédito à habitação terminam a 31 em Março. Famílias terão de procurar opções

Todas as moratória públicas para o crédito à habitação terminam a 30 de Setembro, mas a dos bancos expira já no próximo mês. Uma das soluções para quem não consegue cumprir os pagamentos é a …

Finanças: Mais dinheiro para a TAP só com novo acordo com Bruxelas

O Ministério das Finanças refere que, enquanto não houver a luz verde de Bruxelas ao plano de reestruturação, não há mais apoio público à companhia aérea.  A TAP só garante a liquidez até final de março, …