Missouri pode transformar-se no primeiro estado sem clínicas de aborto

Fibonacci Blue / Flickr

Planned Parenthood

Depois de ter sido aprovada na semana passada uma nova lei no Missouri que restringe o período em que é permitido interromper a gravidez, há a expectativa de que o departamento de saúde do estado norte-americano não renove a licença que permite à única clínica onde se fazem abortos continuar a fazê-los.

A possibilidade foi avançada pelo Planned Parenthood, um grupo de defesa dos direitos civis nos Estados Unidos (EUA), cuja presidente, Bonyen Lee-Gilmore, descreveu a situação, num comunicado citado pela CNN, como uma “verdadeira crise de saúde pública”, noticiou o Expresso na terça-feira.

“Esta semana, o Missouri poderá transformar-se no primeiro estado do país sem uma única clínica que faça abortos de forma segura e legal, negando o acesso a este procedimento médico a mais de um milhão de mulheres em idade reprodutiva”, acrescentou.

A porta-voz do grupo de defesa dos direitos civis explicou que a licença expira a 31 de maio mas que isso não significa que a clínica vá encerrar, continuando a disponibilizar métodos de controlo de natalidade e a realizar exames a doenças sexualmente transmissíveis, cancro e outras enfermidades.

As autoridades estaduais ainda não se pronunciaram sobre o assunto.

Na sexta-feira da semana passada, o governador do Missouri, o republicano Mike Parson, assinou uma nova lei que proíbe o aborto a partir das oito semanas de gestação, sem exceções para casos de violação ou de incesto, que entra em vigor a 28 de agosto (as únicas exceções são em situações de risco de morte ou de lesões físicas permanentes).

Os médicos que realizarem o procedimento para lá do prazo estipulado podem vir a ser condenados a uma pena de cinco a 15 anos de prisão. “Ao aprovarmos esta lei, estamos a enviar um sinal à nação de que aqui no Missouri defendemos a vida e protegemos a saúde das mulheres”, afirmou na altura o governador. “Todas as vidas têm valor”, referiu.

A aprovação da lei colocou o Missouri ao lado de uma série de estados norte-americanos, liderados por republicanos, que têm vindo a aprovar legislação que limita o direito ao aborto, lê-se na notícia do Expresso.

É o caso do Alabama, cuja governadora, Kay Ivey, assinou a 15 de maio uma lei que proíbe o aborto em quase todas as circunstâncias, não havendo exceções nem sequer para vítimas de violação ou casos de incesto (também nessa altura a Planned Parenthood interveio para pedir que a lei fosse bloqueada) e é o caso dos estados de Georgia, Alabama e Mississippi, embora aqui a lei tenha sido bloqueada por um juiz federal.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Preço da luz vai descer 18 cêntimos no mercado regulado

Os preços da eletricidade no mercado regulado vão voltar a descer em 2020, segundo a proposta avançada esta terça-feira pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). Esta terça-feira, a ERSE propôs uma atualização em baixa de …

Portugal teve perdas fiscais de 900 milhões de euros por menor tributação do gasóleo

A tributação ao gasóleo é mais baixa do que os impostos à gasolina. A diferença entre os dois combustíveis leva a perdas de 900 milhões de euros ao Estado. Quem abastece um carro a gasóleo na …

Dulce Neto é a primeira mulher a presidir um Supremo Tribunal português

A juíza conselheira toma posse, esta quarta-feira, como presidente do Supremo Tribunal Administrativo (STA), tornando-se na primeira mulher a ocupar o lugar cimeiro de um supremo tribunal em Portugal. Dulce Neto, de 58 anos, foi eleita …

Défice zero e mais crescimento. Previsões de Centeno para o OE2020 são de "elevado risco"

O Governo faz uma revisão das metas para 2020 no esboço do Orçamento de Estado para o próximo ano que enviou à Comissão Europeia, prevendo um aumento do crescimento económico e um saldo orçamental equilibrado, …

Conselho nacional do PSD pode ser atirado para novembro. Apoios a Rio e Montenegro equilibrados

Rui Rio mantém o silêncio sobre uma recandidatura a líder do PSD, o que está a ser visto como um condicionamento do partido, tendo também nas suas mãos o calendário interno. O conselho nacional para …

Varandas quer vender já em janeiro (e há três nomes em cima da mesa)

O Sporting deverá vender um jogador já no próximo mercado de transferências em janeiro. O dinheiro será destinado a renovações e a trazer um novo reforço para o ataque. Frederico Varandas continua a sua saga para …

Médicos, enfermeiros e professores lamentam recondução de ministros

Médicos, enfermeiros e professores lamentaram a recondução de ministros na pasta da Saúde, Educação e das Finanças, reagindo assim à constituição do novo Governo entregue em Belém pelo primeiro-ministro indigitado, António Costa. O secretário-geral do …

"Batalha campal" na Catalunha: 40 mil pessoas nas ruas, 50 detidos e mais de 100 feridos

Pelo menos 51 pessoas foram detidas e 70 polícias ficaram feridos desde o início dos atos de violência que começaram na segunda-feira na região espanhola da Catalunha após a sentença que condenou políticos separatistas catalães …

Kristalina Georgieva exige maior inclusão de mulheres nos mercados de trabalho

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional exigiu esta terça-feira, nos Encontros Anuais, uma maior inclusão de mulheres nos mercados de trabalho, dizendo que quando um país ignora "parte das suas capacidades" enfraquece o desempenho económico. Kristalina …

Cientistas nazis criaram um pesticida alternativo ao DDT (que até era melhor)

Cientistas nazis criaram uma alternativa ao inseticida DDT, que alegadamente seria menos tóxica para os mamíferos e de ação mais rápida. A sua produção viria a terminar abruptamente por intervenção das forças Aliadas. O DDT é …