Ministro Poiares Maduro vai abandonar a política

portugal.gov.pt

Poiares Maduro, ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional

O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, disse hoje à agência Lusa que vai abandonar a política no final da legislatura e regressar à carreira académica no estrangeiro.

“Por razões contratuais e também da natureza de uma carreira académica internacional, não era compatível continuar na política agora”, disse Miguel Poiares Maduro, reafirmando que sempre disse que pretendia ter uma carreira profissional independente da política.

“Não regressar à universidade seria, de facto, abandonar a minha carreira académica internacional. Isso inverteria a relação que quero ter entre a política e a minha carreira profissional e que, aliás, sempre afirmei em inúmeras ocasiões”, adiantou.

Não quero que a política se transforme na minha carreira nem que a minha carreira profissional passe a estar dependente da política ou resultar do que fizer nesta”, sustentou Poiares Maduro, que tomou posse como ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional em abril de 2013 e assume a coordenação política do Governo.

O ministro defende ainda que “todos” devem estar disponíveis para funções públicas e participar politicamente no país: “O mesmo se passa e passará sempre comigo. Mas valorizamos mais a política e essas funções públicas quando temos uma carreira profissional totalmente independente da política e foi isso que quis preservar”, explicou.

Poiares Maduro frisa, por outro lado, que irá apoiar “fortemente” a coligação PSD/CDS-PP e o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho: “desde logo, espero participar ativamente na próxima campanha eleitoral das legislativas ao lado dos candidatos da coligação do meu partido, o PSD”, em particular em Coimbra, região de onde é natural.

Já sobre um manifesto subscrito pelos cinco autarcas do PSD do distrito de Coimbra (Mira, Penela, Pampilhosa da Serra, Arganil e Cantanhede) em que estes defendiam a sua candidatura a deputado por aquele círculo eleitoral e lamentavam que “por motivos profissionais” Poiares Maduro não tenha aceitado o desafio, o ministro mostrou-se “muito sensibilizado”.

“A questão de poder ser ou não candidato a deputado não se chegou a colocar, uma vez que, infelizmente, a minha vida profissional não o permite. E nem eu colocaria a hipótese de ser candidato sabendo que não poderia exercer o cargo, nem o partido pretenderia tal coisa, igualmente”, frisou.

/Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Boa decisão, aliás nunca deverias ter aceitado. Não estás talhado, não tens perfil, não tens carisma, não tens competência. Para cúmulo esse teu ar de ruefi, não ajuda muito. E mesmo para a carreira carreira académica o teu futuro não se afigura brilhante.

RESPONDER

Liga espanhola não regressa antes de 28 de maio

O presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, disse que o futebol naquele país não regressa antes de 28 de maio, no melhor dos casos, com os campeonatos europeus a discutirem opções para completar a temporada …

Terceiro estado de emergência? "É preciso em abril preparar um maio, maduro maio"

O Presidente da Assembleia da República já deixou antever que o Parlamento irá ter de debater, na próxima semana, uma segunda renovação do estado de emergência. Em declarações ao semanário Expresso, Eduardo Ferro Rodrigues cita uma música do …

Mourinho e jogadores do Tottenham apanhados a quebrar regras de isolamento

O técnico português José Mourinho e três jogadores do Tottenham foram apanhados a quebrar as regras de isolamento social decretadas no Reino Unido, segundo avança o diário britânico The Guardian. De acordo com fotografias e vídeos …

Infetados que furem quarentena podem arriscar prisão preventiva

Em Portugal, o crime de propagação de doença tem uma moldura penal que pode ir até oito anos de prisão, admitindo ainda medidas de coação privativas da liberdade, como é o caso da prisão preventiva. Assim, …

Conquistadores espanhóis usaram técnicas indígenas para construir as suas armas

Um novo estudo concluiu que os invasores espanhóis foram obrigados a aprender com os indígenas da Mesoamérica sobre a produção de cobre. Descobertas arqueológicas em El Manchón, no México, apoiam a ideia de que invasores espanhóis, desesperados …

Açambarcamento de medicamentos por Portugal? "É um total absurdo", diz Infarmed

O Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde reagiu à acusação feita por uma organização belga, que dizia que Portugal está a fazer um armazenamento excessivo de medicamentos essenciais para o tratamento …

Descoberto âmbar com 40 milhões de anos com duas moscas a acasalar

Há 40 milhões de anos, no supercontinente Gonduana, duas moscas que se encontravam a acasalar viram-se, inesperadamente, numa situação complicada. De alguma forma, este par de moscas de pernas longas (Dolichopodidae) ficou preso na seiva pegajosa …

40 marinheiros do porta-aviões Charles de Gaulle com sintomas de covid-19

Quarenta marinheiros do porta-aviões francês Charles de Gaulle apresentaram recentemente "sintomas compatíveis" com os da infeção pelo novo coronavírus e estão sob "observação médica reforçada", anunciou o Ministério da Defesa. "A partir de hoje, uma equipa …

Medidas para as prisões, apoios às empresas, suspensão de tarifas. Parlamento discute mais de 100 iniciativas

Medidas excecionais para prisões e banca, mais apoios às empresas ou à cultura ou a suspensão de propinas e das tarifas de gás e luz são alguns dos temas que vão passar esta quarta-feira pelo …

Trump tem "interesse financeiro" em farmacêutica que produz hidroxicloroquina (a sua "cura" para a Covid-19)

Donald Trump falou da hidroxicloroquina como uma potencial "cura milagrosa" para a Covid-19, apesar das recomendações contrárias de especialistas e da falta de estudos científicos válidos que confirmem os benefícios da substância. O The New …