Militar da GNR investigado após aplicar “mata-leão” a homem nas Finanças

A GNR está a investigar o comportamento do militar que aplicou um golpe no pescoço, conhecido como “mata-leão”, a um cidadão brasileiro que estava a gravar um vídeo com o telemóvel numa repartição de Finanças do Montijo, queixando-se do serviço.

As imagens foram registadas pelo homem que é alvo do golpe do militar da GNR. Este cidadão brasileiro, Jair Costa, estaria a transmitir a gravação em directo pelo Facebook, queixando-se do serviço da repartição de Finanças, onde se tinha deslocado para resolver questões relacionadas com o IRS.

Ao seu lado, no balcão, estava um militar da GNR à civil que, portanto, não estava em serviço e que acabou por dar ordem de detenção a Jair Costa.

No vídeo, é possível ver o elemento da GNR a imobilizar o indivíduo pelo pescoço, acabando este por ficar inconsciente. A manobra “mata-leão” é conhecida por provocar a asfixia e o homem só terá recuperado a consciência depois de receber algumas palmadas no rosto, sendo posteriormente detido.

Tenha calma“, ouve-se alguém a dizer no vídeo, onde também é possível ouvir Jair Costa a garantir ao GNR que não estava a filmar.

O episódio ocorreu na terça-feira à tarde, nas Finanças do Montijo, e está a ser amplamente difundido pelas redes sociais, tendo já chegado à comunicação social do Brasil.

A GNR já anunciou que vai abrir um processo de inquérito para averiguar as circunstâncias da detenção, notando que o cidadão brasileiro “se encontrava com uma atitude imprópria e ofensiva para com os funcionários” da Repartição de Finanças.

As autoridades acrescentam que perante as imagens difundidas, foi decidido abrir um processo de inquérito para “averiguar as circunstâncias da detenção”, para “apuramento de eventuais responsabilidades”.

Entretanto, a ministra da Administração Interna determinou também que a Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) realize um inquérito “para o apuramento de eventuais responsabilidades”, disse à agência Lusa fonte oficial do gabinete do ministério de Constança Urbano de Sousa.

O militar visado continua no activo porque “a abertura de um inquérito interno não implica que este seja suspenso de funções”, conforme explica ao Expresso uma fonte oficial da GNR.

A SIC Notícias avança entretanto, que Jair Costa vai ser presente a tribunal, nesta quarta-feira, com base nos crimes de desobediência e de coacção a um funcionário público.

ASPIG espera que militar receba “público louvor”

A Associação Sócio-Profissional Independente da Guarda (ASPIG) já comentou o caso, sublinhando que espera que os factos sejam investigados “sem preconceitos e à luz de uma isenta interpretação da Lei”, conforme comunicado enviado à Lusa.

A associação defende que os militares da GNR, em serviço ou à civil, são “obrigados a recorrer ao uso da força quando se revele legítimo, necessário, adequado e proporcional ao objectivo visado”.

“A ASPIG espera que o acto alegadamente praticado pelo militar não tenha extravasado os limites legais e que a sua conduta, atendendo à sua determinação em fazer valer os direitos dos cidadãos, mereça, isso sim, público louvor”, conclui a ASPIG.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

160 COMENTÁRIOS

  1. Mais um brasileiro ‘santinho’ e armado em vitima!!
    Muito gostam eles de telemóveis e da Internet – este até tem a lata de fazer directos para o facebook quando está a fazer mer@!!!!
    Ou se portam como gente civilizada ou então fora!
    O militar, como é óbvio, esteve muito bem!!

      • Antes de nos arremessarmos uns contra os outros é melhor sabermos aquilo que verdadeiramente se passou, como a intransigência/coação do dito cidadão para com a funcionária da repartição, o pedido explicito para parar de filmar e ignorado, assim como a resistência á autoridade que mesmo em dia de folga não se pode demitir das suas funções, assim sendo estou cheinho de pena, on não.

        • E mais, queria que lhe preenchessem a declaração de IRS, foi mal educado com os funcionários, fez um valente escarcel, foi posto na rua a bem falaram com ele cá fora, apanhou uma oportunidade voltou e já levava o telemóvel para gravar, e provocar nova discussão, o serrabulho anterior isso ele não filmou, nem quer que se saiba. “In debate do Correio da Manhã TV” – Trata-se de pessoa mal educada e com histórico. Em todas as profissões há bons e maus funcionários, ele fez a autoridade perder a cabeça, e levou no focinho, foi bem feito. A mim não me acontecia nada disso podem ter a certeza. Nunca fui a tribunal, nunca cheguei a um ponto destes, e já cá cantam 70 anos.

      • Ah?!
        Deves andar com essas ideias todas trocadas!…
        A única vitima aqui foi a funcionaria (e os restantes cidadãos) que esse artista decidiu desrespeitar de forma persistente (mesmo depois de ter sido avisado)!!
        Eu nunca seria “vitima” do tal militar por uma razão muito simples: sei portar-me de forma civilizada e tenho respeito pelos outros, coisas que, claramente, faltam a esse individuo!!
        Percebido?

      • Talvez o “EU, TU, E NÓS! “já não diga isso, se estiver a ser roubado, injuriado ou agredido, e aparecer este militar da GNR para lhe salvar o pelo. Pode ser que um dia lhe retribuam a “simpatia” e virem a cara para o lado, enquanto o senhor é roubado.

    • Sem dúvida. Este caramelo já agiu com malicia.
      Este artista merecia era, camaras desligadas e porrada no focinho, para não se armar em esperto.
      Metem-me nojo pessoas assim, oportunistas, que querem passar atestados de burrice aos outros, tentando fazer-se de vitimas.

      • Dois comentários completamente cretinos acima de mim! É preciso ser-se mesmo estúpido para se ver o video e afirmar uma cavalice dessas.

        • Pelo seu comentário é facil perceber que é o cretino aqui.
          Você deve ser mais um sabichão, daqueles que tem a mania que sabe tudo, apesar de só ter visto uma parte (o video aqui documentado).

          • Pelo seu nick podemos ver a sua ideia, espero que não seja mais um que envergonha as nossas forças de segurança

            • Lá está, estou a ver que é mais um com ideias pré-concebidas.
              Caro senhor o nick é o que é e não define ninguém. Sugerir que um nick “bastão” significa que sou policia ou sou adepto de ver policias á bastonada aos cidadãos é, perdoe-me, absurdo, pois sou frontalmente contra abusos de autoridade. Apesar disso, não gosto de engolir o que me metem pelos olhos dentro, num video de 3 minutos, tomando-o como verdade absoluta, quando este episódio durou, se calhar, meia hora. Dar razão a alguém que grava 10% do tempo de todo o episódio (e diz que estava ali um policia ao lado) é, no minimo, tendencioso e reflete condicionalismo de pensamento apenas aquelas imagens. Não gosto de ver as coisas nessa perspectiva porque sou justo.
              Conclusão, está tudo a divagar e a traçar cenários com base numa pequenissima parte da história e isto, sim, isto é que é criticävel.
              Por fim e para que não fiquem duvidas do que penso sobre isto, se o guarda comprovadamente agiu mal, pois então que seja punido, onde é que está a duvida?

          • Certo. Ora se o agente já se tinha identificado antes das filmagens, é porque a “vitima” já tinha tido comportamentos impróprios antes e foi chamado á razão educadamente. Pelos vistos decidiu “armar” o filme, para depois dar confusão e fazer-se de vitima.

            • “Educadamente”? Uii, para o senhor, o Hitler era “apenas”, um bullie, “mal educado”, que gaseou “uns tipos”, sem se quer, pedir…. “por favor”.

            • LM
              Viu o video? Se viu porque é que acha que no inicio da gravação o cidadao diz”está ali um policial”, mesmo antes do guarda lhe fazer o tal golpe? Parece simples de responder. Antes da gravação o guarda ja se tinha identificado e avisado educadamente, como mandam as normas aliás, o cidadao.

        • É preciso ser um asno para defender o indefensável, quem autorizou gravação de vídeo na repartição? Se aqui existe alguém a ser penalizado pela Justiça é o brasileiro, provocador e incivilizado!

          • Isso é ironia, certo? É porque, se não vejamos, por exemplo;
            … Bom dia sr. condutor, o senhor passou por uma linha continua, por tanto vou multa-lo, e como pena acessória, saia do carro, para que eu lhe aplique, um “mata-leão”, caso contrário, “r(a)bento-lhe já aqui os miolos”…

            …..

        • BEM DITO!Miguel Queiroz O tempo em que bastava vestir a farda para” partir focinhos”jà acabou! Estou a ver que muitos tem a nostalgia de outros tempos, onde uma certa PIDE nao rendia contas a ninguém dos crimes cometidos.

    • Nem está em questão ser brasileiro ou não. Portou-se mal, levou no focinho. Anda tanta tralha por aí a precisar de levar umas bolaxadas. Vai daqui já o meu louvor pro GNR, e mais nada. Já basta o outro desgraçado que deu um tiro num aprendiz de ladrão e que teve a vida estragada.

      • Penso que devias ficar mais preocupado com tua falta de inteligência, capacidade de analise e por teres os valores todos trocados…
        Isso é que é razão para te envergonhares!…
        Caso não tenhas percebido, a ‘vitima imigrante’ praticou vários crimes!!

            • Hummm!
              Deve mesmo ser dificil de elenca-las.
              Devem ser do tipo:
              1 Não ser portugues.
              2 Não ter sotaque de portugues.
              3 Aparentemente paga impostos, e não gosta muito (essa é gravíssima).
              4 Ser Brasileiro (o que somando a não ser portugues, upa upa)
              6 Ser Brasileiro e não ser uma mulata boazona….

              And so on…

      • Deves ficar preocupado é quando fores na rua e te assaltarem, passarem agentes da Lei e virarem a cara pró lado… Aí é que te devias preocupar, mas sabes, com comentários como o teu e outros aqui, caminhamos para tempos em que cada vez eles vão intervir menos, visto que muitos como tu nem merecem que eles arrisquem o pêlo pra te safar e ainda ficam com a vida estragada e sem pão na mesa.

    • Pois mas ele meteu-se numa carga de trabalhos como se diz na gíria.
      Não necessitava de utilizar tal técnica quando bastava dar-lhe uma Calheta apenas para cair ou tirar o telemóvel.
      Mas claro que o cidadão brasileiro devia estar esclarecido que nas finanças não se preenchem nos balcões os IRS.
      Assim como assumir que não estava gravando quando estava.
      Mas infelizmente na minha opinião que vale o que vale O policia portou-se pior. Não soube dar a volta à questão que ao fim ao cabo não estava a por em causa a vida de nenhum cliente nem empregado para uma acção tão violenta.

      • Eu acho que o GNR esteve muito bem!!
        Tão violenta?!
        Mas alguém ficou ferido ou esteve em risco?!
        Ele usou uma técnica tão boa que, além de cumprir o objectivo e nem uma marca fez no bandido!!
        Eu sei que está na moda exagerar e “viver” em realidade virtuais, mas, todos os dias, a crianças na escola fazem coisas bem mais violentas!
        Além disso acho que o bandido merecia mesmo levar a sério (nunca é tarde para aprender!), tal foi a sua falta de respeito para com a lei e com todos os presentes!!

        • Você, já o trata por bandido!!!
          Você acha que aplicar-lhe aquela técnica não é violencia!
          Você deve estar neste momento sentado num monte de espinhos, com um sílicio a volta da coxa, com um golen a vergasta-lo, incessantemente.

          • Sim, e então?
            Se ele é bandido quer que o trate como?
            Por “cidadão civilizado e exemplar”?
            E sim, a técnica não foi violenta!
            Violenta foi a atitude dele para com todos os presentes!!
            Não percebi objectivo dessa conversa do “onde estou sentado”, mas essas suas considerações sobre mim, não alteram realidade do que aconteceu!

            • Já percebí que estou diante de gente erudita, principalmente no que ao código de ética, moral e civismo diz respeito.
              Mas eu insisto, que se devia consultar um oftalmologista.
              Ham, este é o médico “dojolhinhos”.

        • Bandido????
          Alguém aqui carece significativamente de estudar o código penal antes de vir para aqui largar larachas. Quantas e quantas vezes não vi eu maiores peixeiradas? Pão nosso de cada dia! Já não assiste a uma pessoa o direito de ficar indignado? Já não podemos ficar chateados com a vida que agora levamos com técnicas destas? E este senhor tem a lata de dizer que o “bandido” ainda merecia mais? E a violência psicológica a que esta pessoa foi sujeita? Ou devemos assumir que o fulano pensou “ah, um mata leão, isto não me vai fazer mal algum?”.
          Ridículo.
          O homem realmente foi chato, por estar chateado mas não o vi ameaçar ninguém e muito menos comportar-se como um indivíduo perigoso. A atitude do GNR foi abusiva.
          Aliás, quando o GNR atuou o homem não ofereceu resistência e prometeu parar. O que não aconteceu.
          Vivemos num mundo de palhaços onde uma violência destas passa impune.

          • Sim, bandido!
            Tu é que, como se comprova pelo comentário, tens que estudar o dicionário!…
            Sim, merecia mais, pois nem com mazelas ficou – para não se esquecer que, se que ser respeitado, também tem que respeitar os outros!!
            Pão nosso de cada dia?!
            Onde?
            Felizmente nem toda a gente vive no meio da escumalha e eu raríssimas vezes me cruzo com “peixeiradas”…
            Indignado fiquei eu com o comportamento desta “vitima” (e com certos comentários)…
            Pois a “violência psicologia”… coitadinho…
            Já o resto do mundo tem que aturar a violência psicologia que a “vitima” lhes inflige!!
            Se tu não viste, há quem viu; percebes ou é pedir muito?!
            Não sei em que “mundo de palhaços” é esse em que vive, mas, no resto do mundo, os palhaços são tudo menos violentos!

  2. A associação defende que os militares da GNR, em serviço ou à civil, são “obrigados a recorrer ao uso da força quando se revele legítimo, necessário, adequado e proporcional ao objectivo visado”.

    “A ASPIG espera que o acto alegadamente praticado pelo militar não tenha extravasado os limites legais e que a sua conduta, atendendo à sua determinação em fazer valer os direitos dos cidadãos, mereça, isso sim, público louvor”, conclui a ASPIG.

    Não sei onde está a proporcionalidade da actuação deste militar. A pessoa em questão, embora estivesse a filmar não estava a violar o direito de imagem de ninguém já que ele era o unico que aparecia no video, não estava a ofender nem a agredir ninguém portanto não vejo que fosse necessário nem adequado agarrar o individuo quanto mais colocá-lo inconsciente.

    Violação clara do artigo 16.º dos Estatutos da GNR.

    Espero que este militar seja exemplarmente punido por crime de ofensa à integridade física qualificada, p. p. nos termos dos artigos 145.º e 143.º do Código Penal, e por crime de abuso de poder, p. p. nos termos do artigo 382.º do Código Penal.

    Não há lugar a este tipo de actuação num Estado de Direito Democrático.

    • Excelente resposta e esclarecimento para os ignorantes como eu e dá-me muita confiança que existam estatutos assim. Espero que se cumpra e faça cumprir os mesmos porque só assim o cidadão se sentirá seguro. Obrigado pela sua resposta.

    • Completamente de acordo.
      O comportamento do Agente é vergonhoso, incluindo o facto da própria pessoa que supostamente o agente estava a defender, lhe pedir repetidamente para não praticar tal acto.

      As declarações da GNR e da ASPIG, são vergonhosas e com toda a certeza também elas alvo de uma apreciação digna de quem de direito, todas as pessoas viram o que se passou e para quem está menos atento no Brasil também viram o video, vamos ver a tinta que ainda vai correr sobre este assunto.

      O agente praticou um acto pior que o homem ditido de forma irresponsável,o agente sim deveria ser detido e presente ao Juiz.

      Uma atitude reprovável deplorável e humilhante para a classe que representa, porque nem todos os agentes têm esta forma de estar.

      Perante as imagens a GNR e a ASPIG dão os comunicados conhecidos, ignorando provas do video em que o homem se estava a filmar sem infringir qualquer lei.
      Lamentável.

      • Ah?!
        Não inventes!!
        Vergonhoso é inventar argumentos par tentar ter razão!
        Onde é que a “própria pessoa que supostamente o agente estava a defender, lhe pedir repetidamente para não praticar tal acto.”?!
        É que basta ver o que diz o Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos sobre o comportamento do “anjinho”, para desmentir esse barbaridade:
        http://www.tvi24.iol.pt/videos/sociedade/montijo-testemunhas-contam-o-que-aconteceu/591379340cf2839000243b3c
        .
        No Brasil vêem muitos vídeos; e?
        .
        O agente devia ser detido?!
        Hahahaa…
        O agente esteve muito bem, assim como a ASPIG e o STI (Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos)!!
        Mas, se preferes ficar do lados dos bandidos, depois não te queixes…

    • Finalmente algum bom senso.
      Começava a pensar que o acesso a net, era exclusivo a pioneiros do neo-nazismo, ou viajantes temporais.

      • Para que não restem dúvidas da minha posição:
        Os iluminados acima que defendem o “agredido” conseguem tomar essa posição baseada no video que, no mínimo, é estranho o facto de mais nimguém na repartição mostrar a menor complacência pelo “agredido” aquando da “agressão”. Estranho ainda que tomem esta posição apesar de o “policial” não o estar a prender durante largos momentos podendo o “agredido” ter resolvido o assunto bastando pousar o telemóvel demonstrado de imediato que teria entendido a “mensagem”.
        Para todos os iluminados acima recomendo a leitura de hoje sobre as falsas queixas dos turistas Ingleses e, se conseguirem, que desenhem a linha que possa separar claramente o branco do preto, o que neste caso quererá dizer quando exactamente é que o “policial” deveria fazer alguma coisa.
        Somente por exemplo abstracto/absurdo vamos supor que o “agredido”, atendendo à sua situação de “aborrecido” pelo preenchimento do IRS e, eventualmente não ajuda pelos funcionários, começava a desatar ao tiros….
        Para terminar, o “agredido” poderia sempre ligar para o “fale comigo” das finanças, que é como quem diz em Português de Portugal: Livro de Reclamações

        • Exactamente!
          Teve tempo de sobra para pousar ou mesmo simplesmente largar o telemovel. Teve total liberdade de movimentos (designadamente os braços estavam soltos e em cima do balcão) mas preferiu prosseguir a filmagem, desrespeitando por 5 vezes, bem audiveis no video, para largar o telemovel. Se não estivesse a agir de má fé, largava o telemóvel e o assunto acabava ali, sem mais incidentes.

          • Pode contar quantas vezes ele preferiu não fazer o que o suposto polícia ordenou que ele fizesse, nada do que ele fez, repito, NADA, justifica pô-lo inconsciente.

            Já agora convém fazer uma definição de proporcionalidade para totós (sem ofensa);

            “…Para uma determinada acção feita por um indivíduo A, o indivíduo B, responde de forma exactamente igual…”

            Pergunta: Alguma vez o valentão (suposto polícia), esteve em risco de ser posto a dormir?

            Como dizia o outro, é tão simples.

        • Como poderiam ser complacentes?! Ainda levavam com um “mata-leão”, do “lone ranger”. Eu julgo, que ninguém está a defender, o rapaz, trata-se mais da desproporcionalidade da reacção do valentão. Deve ser por isso, que não é qualquer um que é GNR. Esse com certeza entrou via “outro lado”.

  3. Acabou de se presenciar em Portugal, mais uma vergonhosa situação de crime por abuso de autoridade de um agente das forças da ordem. Além de agir com violência desproporcional à necessidade das circunstâncias, não estava em serviço nem fardado, nem sequer se identificou.

    Não que um agente de ordem não possa agir sem farda ou fora do expediente. Acredito que como um médico, o dever de um agente da ordem se extenda para além da farda e do expediente. A questão é que, além do abuso de violência, este nem se dignou identificar-se, pelo que o cidadão Brasileiro nunca podería saber que ele representava a autoridade.

    1. O cidadão nunca agiu violentamente, mesmo quando o podería ter feito em legítima defesa, já que nunca o GNR se identificou. Note-se que para todos os efeitos, para o Brasileiro o que estava a acontecer foi um gajo qualquer que lhe diz “Desligue já isso! Há uma coisa chamada direito de Imagem”.

    2. É no mínimo altamente questionável se o Brasileiro estaría de facto a desrespeitar algum direito de imagem por se filmar apenas a si próprio. Ele nunca filmou mais niguém além dele. Ele diz claramente “O Sr. me solte por favor, eu não estou lhe filmando. Eu vou desligar assim que o Sr. me soltar”. Quando o GNR o começa a estrangular, ele legitimamente se continua a filmar a si próprio como prova da agressão de que estava a ser alvo.

    3. Mesmo que o Brasileiro estivesse a desrespeitar alguma lei de imagem, o procedimento correcto tería sido o GNR identificar-se e ordenar que ele parasse imediatamente de o fazer. Se necessário e de direito, confiscar-lhe o telemóvel. Seguidamente tomar conta da ocorrência, levando o indivíduo para a esquadra se isso fosse necessário para o identificar. De seguida, o indivíduo tería de responder pelos seus actos em tribunal. Nada disso aconteceu nem se tentou que acontecesse. Foi tudo um pretexto para dar uma de Rambo.

    4. Note-se a forma calma como o Brasileiro começa por falar para a camara do seu próprio telemovel, para documentar o tratamento injusto de que estava a ser alvo, incluindo uma “ordem” de expulsão por parte funcionária préviamente lhe deu. Ora nunca um cidadão tem de obedecer a um funcionário de uma repartição pública. O Funcionário informa das regras de conduta dentro da repartição e se ele não acatar, chama a autoridade, que deverá identificar-se a agir em conformidade. Este agente não fez nem uma coisa nem outra. Agrediu gratuita e selváticamente um cidadão pacífico durante vários minutos até o deixar inconsciente, apesar dos pedidos dos próprios funcionários das finaças para ele para de fazer o que estava a fazer.

    5. A “valentia heroica” deste agente, semelhante à daquele PSP que espancou selváticamente aquele adepto Benfiquista indefeso à frente do filho, em Guimarães, lembra-me a valentia que na escola primária, os miúdos da quarta classe tinham contra os da segunda. Depois esta gente cresce e alista-se numa força da ordem, para continuar a fazer bullying impunemente, com o respaldo da lei. A seguir é vê-los a meter o rabinho entre as pernas perante uma qualquer família de ciganos, como há tantos videos na net a ilustrar… Mas isso já são outros 500 paus, certo?

    6. Eu acredito sinceramente que este agente da GNR agiu em total desconformidade com os seus deveres e direitos. Agrediu desproporcional e ilegalmente um cidadão pacífico, até o deixar inconsciente. É um nojo e uma vergonha para Portugal. Como tería sido se fosse um cidadão Português a ser tratado assim nas finanças no Brasil? Espero sinceramente que se faça justiça.

    • Estou completamente de acordo consigo. Além disso, o facto de ser brasileiro, não tem nada a ver com o que se vê no vídeo. Podia acontecer com qualquer de nós. Não se sabe o que se passou antes, mas se foi só por discordar do serviço prestado pelas finanças e filmado um comentário, é lamentável a forma como o homem foi tratado. Existem funcionários públicos que rápidamente se consideram “desrespeitados” quando se discorda dos serviços que prestam(ou deixam de prestar). A actuação do GNR, parece um claro abuso de poder.

      • Exactamente. É espantoso como há pessoas que, em apenas tres minutos “viram” e descrevem tanta coisa. Mas, realmente inventam também um bocadinho, como é o caso das pessoas que se vê bem no video, estão lá nesse momento (11 seg) e que, para alguns, nunca lá estiveram.

    • Eu concordo consigo, mas apenas um reparo. O cidadão brasileiro diz no início do filme “e está aqui esse policial querendo me abordar”.

      Ou seja, no momento em que começa a fazer o filme, ele já sabe que aquela pessoa à paisana é um “policial”, pelo que será de presumir que este já se teria identificado. Isto não justifica nada, mas não está correcto quando diz “este nem se dignou identificar-se”,”já que nunca o GNR se identificou. Note-se que para todos os efeitos, para o Brasileiro o que estava a acontecer foi um gajo qualquer que lhe diz “Desligue já isso! Há uma coisa chamada direito de Imagem.” “o procedimento correcto tería sido o GNR identificar-se”, “a autoridade, que deverá identificar-se a agir em conformidade. Este agente não fez nem uma coisa nem outra.”.

      Apenas isto.

    • Tanta barbaridade!!
      Mas… tu estavas lá?
      É que quem lá estava desmente TUDO que tu escreves!!
      E agora?
      Vergonhoso é alguém escrever tantas linhas sem saber NADA do que aconteceu e escrever coisas que são o contrário do que se vê no video!!!
      Estás tão atento que nem viste a parte em que o próprio criminoso diz: “esta aqui esse policial”!!!
      Nem o guarda a mandar parar de filmar, etc, etc…
      Pois… andas a dormir e depois é a asneirada que se vê!!

      • Pois, e aquela parte em que o “criminoso” aplica um golpe de karaté, ao Geninho, isso ninguém fala!
        Isto é tudo uma cambada e cegos e bandidos, gente que só quer ver o pobre o geninho com problemas, porque as nódoas negras que o pobrezinho tem na nuca, do “upercut” que o facínora do Brasileiro bandido e grotesco lhe aplicou ninguem viu, e tava no vídeo, que é ainda pior!

      • Por favor…menos!
        Pode concordar com o que quiser mas dizer que o outro interveniente “elucidou os portugueses”, francamente. Mas “elucidou” o quê e quem, quando afirma, numa prosa muito longa, para encher, uma serie de coisas que o próprio video desmente? Haja paciência.

        • Uma coisa é certa e o vídeo não desmente: “Abuso excessivo da autoridade”. Confirme o regulamento que o Expresso fez também o favor de “Elucidar”:
          http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-05-10-Regras-da-GNR-proibem-acao-de-militar-nas-Financas-do-Montijo
          Isto é apenas um excerto:
          “O uso da força física por parte dos militares de GNR está previsto na lei e nas normas internas desta polícia mas tem fortes restrições baseadas no conceito da proporcionalidade. Segundo uma circular interna da GNR de 2014, a que o Expresso teve acesso, o uso da força deve ser sempre “uma opção do adversário”. Isto é, a iniciativa nunca deve partir do militar.”

          • Caro Gabriel, os estatutos da guarda são muito claros quanto á utilização de força e sua proporcionalidade. Ninguém na GNR recebe ordens para bater indiscriminada e desproporcionadamente nos cidadãos. Ponto assente.
            Não é plausível nem correcto fazer essa interpretação descontextualizada, tomando por base o video de 3 minutos que ofusca e esconde o “grosso” do episódio. Qualquer individuo de uma força de segurança (PSP, GNR) pode e deve fazer uso da força sempre que justificado e depois de outras diligências dissuasoras serem tomadas, isto é, identificar o individuo, alertá-lo para a conduta imprópria, eventualmente retirá-lo do local onde está a perturbar a ordem publica e, em ultimo caso, já depois de violadas reiteradamente essas diligências, que entram na esfera de desacato á autoridade, poderá ser aplicado o uso proporcional da força. Seria o cúmulo, como compreenderá certamente, depois de todas estas etapas cumpridas, o militar esperar ser agredido (ou ver alguém ser agredido, baleado, etc) para poder responder de forma musculada.
            Quanto á questão da iniciativa nunca deve partir do militar, não é tão linear assim. O militar, sempre que, por atos, gestos ou atitudes, ainda que verbais, sinta a sua vida e dos demais cidadãos em perigo, tem por dever antecipar um quadro de risco potencial devendo adoptar as medidas de salvaguarda adequadas e proporcionais a protecção dos cidadãos, o mesmo é dizer que, feita a avaliação de risco, deve proceder ás diligências de dissuasão necessárias dentro da proporcionalidade. Ora, acontece que, do video, começamos por ver um cidadão, com ar calmo, a falar baixo, quase com ar angelical mas tambèm vemos o mesmo cidadão a identificar o “policial” (estando o mesmo á civil), sinónimo que o militar se identificou ao cidadão (a menos que este fosse vidente) antes da gravação e aqui a leitura tem de ser outra. Porque razão se identificaria o militar ao cidadão, se o mesmo não estivesse a perturbar a ordem publica?
            Recordo que, mesmo no video, o militar faz 1, 2, 3, 4, 5 avisos para que o cidadao desligue o filme. Que parte de “desligue” é que o cidadão não entendeu?. Nesta fase, se vir com atenção, o militar, nem de longe, estä a fazer o “nó” de leão, tendo o cidadao liberdade suficiente de movimentos para pousar ou largar o telemóvel. Não acatou e decidiu ainda retorquir com “se me largar eu largo o telemovel”, como?? Ali não há lugar a “moeda de troca”, algo que seria o cumulo obviamente , há uma ordem dada por um militar, que se identificou antecipadamente, e o cidadão tem que acatar (e podia fazê-lo tendo em conta que tinha os braços livres, bastava largar o telemóvel) sob pena de violar a lei por desacato á autoridade.
            Por fim, para que não fiquem duvidas, depois de se conhecer a HISTÓRIA TODA e não apenas juizos condicionados por um video de 3 minutos onde o acesso a toda a verdade está circunscrito á “verdade” do próprio “realizador” cidadão, e se houver prova que o militar usou de força desproporcionada, pois então acho bem que seja punido, até lá, alguma água vai correr debaixo da ponte e muitos dos comentários que aqui li a diabolizarem o militar talvez sirvam para envergonhar os próprios autores.
            Comprovando-se que este militar agiu de forma correcta no cumprimento dos seus deveres de protecção dos cidadãos e da ordem publica e se o mesmo ler estes comentários, muito provavelmente o que a sociedade vai “ganhar” para futuro é um militar desinteressado que, perante um assalto, uma agressão violenta, etc, a algum cidadão (que pode bem acontecer com qualquer um dos que aqui está a diaboliza-lo), irá virar a cara pró lado e aí, lá virá a acusação que “os agentes da autoridade não fazem nada, até fogem dos bandidos, etc, etc”.

          • Não perca tempo, não se esqueça que você esta a trocar impressões com um “Bastão”, o quê que o meu caro Gabriel Carvalho esperava?

            • É certo meu caro LM.
              Não deveria perder o meu tempo neste fórum. Mas afinal ainda somos livres de expressar a nossa opinião e de respeitar a dos outros. Eu mantenho a minha e para mim foi abuso excessivo da força da autoridade. Se em 3 minutos não posso ajuizar com 100% de precisão como o sr. Bastão o diz, também não será argumento querer já condecorar o Guarda que interveio nesta situação sem conhecer por inteiro os factos.

            • Como é bom “saborear” a frescura de uma lufada de bom senso.
              Obrigado Gabriel Carvalho.

            • Caro Gabriel, esta resposta é para si.
              Somos todos livres de expressar as opiniões que entendermos, e ainda bem que assim é.
              No seu trecho “se em 3 minutos não posso ajuizar com 100% de precisão, como o senhor Bastão o diz, também não será argumento para condecorar já o Guarda…”, pois é, não sei se reparou mas eu não “condecorei” o Guarda, o que eu disse e repito, é que temos que fazer uma leitura abrangente, que não se encerra em 3 minutos de video, produzidos apenas por uma parte envolvida. Há pistas, no video, muito claras para quem fôr perspicaz, que “cheiram a esturro” na conduta do cidadao. Não ajuizo com 100% e, por isso, não condecoro o Guarda nem inocento o cidadao. A diferença está exatamente aí, muitos condenam o guarda apenas pela visão de um video de 3 minutos, que é uma visão altamente redutora do “filme” completo. Se a história se resumisse a estes 3 minutos, aí sim, poderíamos dizer que o Guarda abusou e devia ser punido mas, há muito mais “filme” que não foi gravado pelo cidadao. Era bom que alguém tivesse filmado tudo, depois veríamos se o Guarda agiu em conformidade ou não.

              Por fim, para o LM
              Um nick é um nick e apenas isso. Assumir que um nick tenha que ver com alguma realidade paralela é abstruso.
              Tomando o seu abuso de me classificar, por ter um nick “Bastão” como um agente da Lei, então realmente NEM VALE A PENA PERDER TEMPO CONSIGO, jä que LM não quer dizer absolutamente nada, ora, falar com NADA é de facto perda de tempo.

  4. O facto de ser brasileiro, não tem nada a ver com o que se vê no vídeo. Podia acontecer com qualquer de nós. Não se sabe o que se passou antes, mas se foi só por discordar do serviço prestado pelas finanças, e filmado um comentário, é lamentável a forma como o homem foi tratado. Existem funcionários públicos que rápidamente se consideram “desrespeitados” quando se discorda dos serviços que prestam(ou deixam de prestar).

    • Tem razão mas até é mais do que isso: O Brasileiro tinha todo o direito de se filmar a ele próprio. Ele não estava a filmar mais ninguém até porque o video dele começa ali. Estava em directo para o Facebook, por isso se houvesse algo antes, tinha sido filmado. Se a repartição tem camaras de vigilância, há-de se ver o que se passou antes.

      Nem os empregados das finanças têm o direito de expulsar um utente que não está satisfeito com o atendimento, nem um agente tem o direito de agredir um cidadão que não está a nem agredir ninguém nem a resistir às autoridades. Ele nem sabia sequer que ele era agente da autoridade.

      Mais: Ele nunca disse que não estava a filmar, como diz esta notícia enganosamente! Ele diz que não estava filmar ninguém além dele próprio (logo não estava a violar o direito de imagem). Ele diz também que desliga assim que o gajo o soltar e o deixar ir embora… Algo totalmente legítimo.

  5. È este tipo de cidadão que se intitula GNR, com tudo o que foi dito aqui, será importante dizer que vivemos num País de de gentinha mal educada, MAUS profissionais que pensam que, ser autoridade é uso da força, gente com pouca formação, vergonhoso este agende que se intitula Autoridade, se o cidadão Brasileiro fosse esperto o alegado GNR está feito,
    1 – Chamar 112 – Hospital – PSP – Queixa agressão….

  6. Fiquei chocado com o que vi…e se lá estivesse ficaria HORRORIZADO. Como é possível estrangular o homem (para qualquer leigo que lá estivesse, aquilo é um estrangulamento) no meio de uma repartição pública??? Ao ponto de o deixar desmaiado! As pessoas devem ter pensado, nem que fosse por uns instantes, que o homem estava morto. O brasileiro não foi violento com ninguém, nem verbal nem fisicamente!!!Estavam lá crianças? Pessoas idosas? Mesmo as pessoas diziam: “Calma. Não faça isso!”

    Imaginem se o brasileiro começasse a insultar alguém…levava logo dois tiros.

    • Exacto! Um estrangulamento que podia matar a pessoa ou provocar danos irreversíveis nas cordas vocais ou na faringe…. Pela lógica de proporcionalidade de alguns, se este Sr estivesse a fazer o vídeo completamente exaltado e aos pontapés, levava logo um tiro na cabeça! Haja bom senso!

  7. Muito bem explicado em posts anteriores, aquilo é abuso de autoridade que já deveria ter acabado em 74, não sei quem consegue defender a actuação do GNR, foi vergonhoso para a classe. Depois vemos como o Comando vem defender o indefensável. Já aqui foi referido o caso do PSP de Guimarães que fez o que todos vimos e depois mentiu em relatórios e protegido por colegas. Situações destas deveriam dar despedimento para quem as pratica, o Estado que somos todos nós não deveríamos ter nas forças de segurança pessoas assim.

  8. Mais um homem que não deve usar qualquer tipo de farda, porque não tem capacidade intectual para tal, nem para muito menos andar numa repartição pública a fazer cenas destas. Qual a funcionária que ele queria impressionar para demonstrar que era “macho”. Não tem personalidade para utilizar farda. Fora da instituição que representa. Que a IGAI esteja há sua altura e que este individuo seja expulso da GNR. Pois temos que ter em atenção uma ovelha negra não faz o rebanho.

  9. Ele sabia que era um polícia, tanto que o disse no início da gravação. A autoridade identificou-se e deu repetidamente uma ordem, não endo sido obedecido. A situação não deixa de ser triste mas a pessoa do telemóvel não agiu correctamente. Eu teria entregue o telemóvel imediatamente e pedido desculpa. A coisa ficaria por aí.
    Entristece-me as pessoas estarem sempre contra a autoridade. Eles existem para defender a lei, para proteção dos cidadãos cumpridores. E não, não sou polícia nem tenho amigos ou família que o sejam.

    • Exactamente Sr Antonio Rodrigues! Aliás, depois de varios avisos para parar com o telemóvel, aos quais o senhor brasileiro disse que parava se o guarda o largasse, (o guarda nem sequer lhe estava a segurar nos braços e nem tinha o “nó” de leão feito, pois só estava com um braço á volta do pescoço e mesmo assim folgado), mesmo com liberdade de movimentos, podendo disponibilizar o aparelho e, tudo sanado, não o fez.

  10. Gostaria de saber se o agente de autoridade tambem teria o mesmo comportamento com pessoas de etnia cigana, pois resido na area do Montijo e já assisti a situações em entidades publicas (finanças e segurança social) do mesmo genero onde nao houve qualquer intervenção dos agentes de autoridade e onde houve agressões verbais e fisicas… nós como cidadãos temos que ter conhecimento quando estamos a ser abordados pelos agentes de autoridade.

  11. Como é que o policia sabia que não era um terrorista? Engraçado..este cidadão brasileiro teve um desmaio simulado a olhar para a câmara. É mais um que quer ter milhões de likes nas redes. Ele só tinha que obedecer à autoridade, mais nada…depois que apresentasse queixa. Muito bem Sr Guarda. As nossas forças policiais são excelentes. Viva Portugal.

    • São excelentes sobretudo quando metem o cu entre as pernas à frente de uma qualquer família de ciganos. Agredir um Brasileiro que tem menos pra se suspeitar de terrorismo do que você, é pedir para que seja você o próximo.

      Da próxima vez que reclamar num café que a bica está fria, pode ser que lhe fracturem o crânio com um barrote pelos cornos abaixo. Quando acordar tem um bófia ao seu lado a dizer “lindo menino”.

  12. Eu
    Uma autoridade não tem o direito de reagir tão brutalmente contra qualquer cidadão ,seja ele nacional ou estrangeiro , desde que não ofenda ninguém, inclusive a própria autoridade.
    Um agente é para impor respeito, sim, fazer entender o cidadão por boas palavras, que está a ser incorrecto e que deve mudar sua conduta, caso o mesmo não aceite a lição, aí sim, chamar uma autoridade com farda ,para o cidadão saber que se trata de um policial já que o mesmo não se identificou. O brasileiro não fez nada que não pudesse fazer, afinal não maltratou ninguém.

    • Ah?
      Trens a certeza que está comentar a notícia correcta?
      Não fez nada que não pusesse e não maltratou ninguém?
      Pois não, só cometeu vários CRIMES!!…
      .
      Ainda gostava que me explicasses o que é ‘impor respeito’!!
      Isso é impossível!
      Um agente da autoridade é para IMPOR a ordem e a lei – tal como este fez!

      • Sim claro,as autoridades existem para impor a ordem pública quando a mesma está ameaçada. Impor a ordem pública, não é impor a lei da porrada ou da bala,pois não estamos num estado policial mas sim de direito. O crime de direito à imagem só existe quando a imagem de alguém é posta em causa,o que não aconteceu e o individuo apenas se filmou a ele (se no decorrer do mata leão alguem ficou no filme foi derivado à situação em si) depois o GNR ate se pode ter identificado e dado uma ordem,mas resta saber se a ordem dada era legal ou não,e pelos vistos não me parece ser,pois o GNR não explica o porquê da ordem,nem comunica ao interveniente qual o crime que esta por detrás dessa ordem. Por ultimo o GNR ( ou se quizer,as forças de segurança) só podem usar de força adequada as circunstacias,e nunca força bruta desporpocionada (se um dia não parar numa passadeira e lá estiver um policia,ele pode lhe dar um tiro porque vc não parou) o GNR não esgotou pelo diálogo dissuadir o prevaricador ( se assim se pode chamar) partindo logo para a ofensa a intigridade fisica,e com o golpe descabido (mata leão) pode causar danos irreversíveis no cidadão,o que legalmente não lhe é permitido.
        Ah e já agora que fala de tantos crimes que o indivíduo agredido pelo GNR praticou,enumera lá esses crimes,pois ele só foi acusado de 2 e nem acusado foi de fazer filmagens ilegais ou contra o direito à imagem de alguém.

        • Bem… ou estás a falar de outra situação ou precisas urgentemente de óculos (e não só)!…
          Força bruta?!
          Onde?
          Alguém ficou ferido?
          Usou a força adequada (e até foi pouco)!…
          “partindo logo para a ofensa a intigridade fisica”…
          Onde viste isso?
          Tu lês sequer as barbaridades que escreves?
          Descabido são os teus comentários!..
          Além de serem contrariados por todos os que estavam lá presentes (menos, claro, pela vitima imigrante”)!!
          Tantos crimes?
          Foi acusado de 2 crimes e ainda queres mais?!
          Mas, como não sabes, ficas a saber que é proibido filmar em repartições publicas (e em locais privados, obviamente) e também pessoas sem autorização – como ele fez (mas que tu como vês mal, também não deves ter reparado)
          Além do mais, ele só publicou o video que lhe interessou (falta o resto)!

          • pelos teus comentários deves ser um (uma) ter a mania que bates em todos, e só por isso das me asco. Cego é aquele que independentemente de ver bem, só vê o que quer, e este é o teu caso. Tu gostavas era de viver num Estado Policial (e até axo que o és) mas felizmente ainda vivemos num Estado de Direito, e esse estado de direito dá nos garantias, de que nenhuma força policial, é policia e Juiz ao mesmo tempo. por todos e mais alguns motivos, e por isso é que foi aberto um processo de inquérito, e por isso é que o detido foi ouvido em primeira instancia, leva nos á conclusão de que o GNR usou de força excessiva para efectuar uma detenção que em nada punha em perigo, pessoas ou instalações. Quanto aos crimes, quem disse que ele tinha cometido uma data deles foi voçe e não eu, eu apenas disse que ele foi ( e só podia ser) acusado de 2 crimes e nada mais. Quanto a não se poder filmar ou tirar fotos em repartições publicas isso é uma étopia, pois o mesmo só se limitou a filmar a ele próprio num estado de desabafo possivelmente pela maneira de como estava a ser tratado pela funcionaria publica ( e funcionário publico é isso, é saber lidar com o publico sem arrogância, pois somos todos nos que lhes pagamos os ordenados, através dos nossos impostos) Pelo que me apercebo é voçe que esta a ver o filme que quer e não a realidade. Ao GNR só lhe cabe assumir que o acto que fez não foi o mais correcto para apaziguar o problema, e com o acto irrefletido que teve aumentou os ânimos e provocou ainda mais espetáculo. Só lhe dou um concelho….DEIXE DE SER CEGO(A) E COMEÇE A VER COM OLHOS DE GENTE. E não sou eu que preciso de óculos pelos vistos, você é que já vê mal, mas isso tem cura.

            • Eu não bato em ninguém!…
              Tu é que vens para aqui chamar cobardes os outros, logo, parto do principio que deves ser muito valente…
              Ainda não percebeste que o vídeo é uma pequena parte da estória, e que toda a gente que estava presente criticou o comportamento do artolas e elogiou o GNR?!
              Outra vez a lenga-lenga da força excessiva!…
              Mas alguém ficou ferido?!
              Não que o artista não merecesse…
              Ele cometeu vários crimes e foi acusado de 2; qual é a duvida?
              Mas qual “utopia”; não pode filmar nem fotografar e pronto!
              Pois… coitado, ele que é que estava ser maltratado pela funcionária…
              Tens uns sonhos muito esquisitos…
              Como foi aberto um inquérito a tua conclusão é que “o GNR usou de força excessiva…”?
              Hahaha… andam eles a fazer o inquérito e tu já tens a conclusão!…
              Enfim…
              E, esses atentados à Língua Portuguesa também são um crime!!

            • Lenga-lenga de força excessiva?!
              “…Não que o artista não merecesse…”, e você ainda se considera, alguém que pode viver em democracia, e não num qualquer país de terceiro mundo com ditaduras pornográficas?

              Ham oh, mister erudição personalizada, acho que lhe fugiu a boca a verdade, porque “estorias”, são as que narram contos populares, normalmente mitológicos.

          • como assim estavam ameaçadas a ordem publica e a ordem, será que houve alguma manifestação e nós não vimos??? Ou será que o homem fez uma tentativa de assalto aos nossos impostos nessa repartição de finanças….. ´so me lembro de te responder assim……oh pá lava os olhos e aproveita e dá banho à cadela (se me entendes)

            • Pois… estás a ver como aos poucos começas a chegar lá: NÃO VISTE, por isso deixa de inventar situações e teorias ridículas para tentar defender o indefensável!!
              Quem viu, tem um opinião completamente oposta à tua, por isso…
              E parece-me que tu nem sabes o que é a lei e a ordem!… Daí esses brilhantes comentários…
              Quem estiver distraído e ler o que tu escrever ainda vai pensar que a “vitima” era um anjinho e que está acusado de ter ajudado uma velhinha a atravessara rua…

            • Perdão mister erudito;
              …Quem estiver distraído e ler o que tu escreves (ou escreveres)…
              escreve-se vítima e não vitima.
              …atravessar a rua…

            • Pois… acabas por responder à tua dúvida: o vídeo são só 3 minutos; não é o “filme” todo!
              Mas, mesmo só vendo o vídeo é fácil responder: a lei dos direitos de imagem e a ordem do agente de autoridade!
              Chega?

        • Finalmente alguém pergunta (como eu ja fiz a este cavalheiro denominado de “EU”), que crimes é que este individo cometeu?

  13. Muito mau ! Mais uma nódoa na GNR.
    A forma como o elemento da GNR abusa da sua autoridade, partindo para a agressão sem motivo justificável, mostra que estes elementos continuam a ter uma pobre instrução policial, e a não estarem sujeitos a uma rigorosa selecção.
    Afinal o que estava a vítima a fazer? A relatar num vídeo o que estava a ocorrer ? Isso é crime ?
    E se tivesse tirado uma foto, também seria crime ? E se fosse um repórter, já não era crime ?
    Afinal quem é que ele prejudicou, para ser posto inconsciente ?

    • Sr. Miguel Queiroz…
      1. O sr. Não tem o direito de generalizar toda a instituição GNR todos os elementos quando a compõem.. como lamentavelmente insinuou… Espero que seja responsável pelo que diz …sob pena de crime de difamação..
      2. O meu amigo tb não tem o direito independentemente concordar ou não com o que vê no pequeno excerto do filme, criticar da forma como o faz contra o agente de autoridade bem como toda a GNR . Não se deve julgar uma instituição por um elemento não corresponder ás expectativas de cada um…
      3. E para terminar.. deixo aqui um apelo a toda a massa de criminosos deste país… Façam carjacking a este Miguel Queiroz para vermos a quem ele se queixa… Concerteza que será alvo fácil já que não se queixará ás autoridades… Telvez se queixe aos criminosos…. Pense bem no que escreve sr queiroz….

      • Ri me do que li!
        Ainda mais quando um “agente de autoridade” que é (paleio diz tudo) apela à criminalidade contra outro!
        Realmente com agentes assim não vale a pena fazer queixas crimes! 😉
        Senão gosta do leu, temos pena!
        A si deviam fazer era assjacking!

    • Pois nesse filme apenas se demonstra a cobardia das nossas forças de segurança. Se não fossem ciganos,e com tantos GNRS no local começam à bastonada e aos tiros,mas como eram ciganos acobardaram se.

      • Cobardia?
        Tu tens mesmo algum problema!…
        Realmente um cigano bêbado (que caia ao primeiro estouro) é mesmo perigoso e caso para ter medo!…
        E GNR ser mais civilizada que essa escumalha é mesmo acobardar-se…
        Mas, já estou ver que tu és daqueles que só é ‘mau’ a bater em bêbados…

        • eu bato nos bêbados e tu só consegues bater nos animais…..dás me pena por todos os comentários que aqui fazes e pela arrogância e agressividade com que retorquis os comentários dos outros. Já agora deixo aqui uma pergunta que tanto fazes aos outros…….E TÚ ESTAVAS LÁ A PRESEMCIAR OS FACTOS PARA FAZERES UMA DEFESSA ASSIM TÃO ACERRIMA DO GNR…..OU SERÁ QUE TAMBEM TU ÉS DAS FORÇAS DE SEGURANÇA E PROCEDES DE MODO IGUAL AO COMETIDO…….FICA AQUI A DEIXA, MAS por favor responde sem agressividade, pode ser.

          • Pois… estás ver o problema; é que se calhar eu estava lá!!
            E, não formei a minha opinião num vídeo que apenas mostra o que o bandido quis mostrar (e que, mesmo assim, não lhe dá razão nenhuma)!!!

            • Hum, então se calhar estamos aqui a falar com o “lone ranger”! Se por acaso fores o valentão, então tenho uma pergunta; como podeste ser tão cobarde? Ham, ok, ele era mais fraquinho. Certo?

              Se fores alguém que estava lá por acaso, tenho outra pergunta; Como podeste ser tão cobarde, que defendes tanto o valentão e não foste tu mesmo fazer o mata-leão ao brasileiro? Já que segundo vossa Excia. o mesmo estava a comerter vários crimes, lesa pátria e tal e tal….?

            • Mais um brilhante cometário!…
              Mas, o importante é que as tuas parvoíces te divirtam…

  14. É claro que o “mata-leão” não foi “proporcional”, dado que o cidadão Jair Costa estava calmo, a falar baixo e com uma postura não agressiva (mesmo que a descumprir eventuais regras da repartição).
    Dado que a atuação foi desproporcional, podemos concluir que foi desadequada.
    De desadequada concluímos que foi desnecessária e de desnecessária sabemos que foi ilegítima.
    Pouco mais a dizer, só relembrar que o abuso de poder tem que ser punido para bem das nossas instituições, como a GNR.

  15. O acto de asfixia por estrangulamento só pode ser considerado uma agressão selvagem !
    A única justificação plausível seria em caso de perigo de vida ou algo do género!
    Existem seres humanos que acham que isto foi justificado ?
    OS EXTREMOS TOCAM-SE , ISTO É TERRORISMO !

    • Carlos, eu partilho da sua indignação.

      Tentei postar aqui um link para um video do youtube mas talvez não seja permitido postar links aqui. O video que eu queria postar foi filmado em Sines onde se vê um grupo de GNRs com medo de uma famíla de ciganos enquanto estes falam com eles como querem e lhes espetam com o dedo no peito do agente enquanto mandam vir com ele. Aí eram vários GNRs (3 ou 4) e nenhum fez nenhum estrangulamento.

      Um Brasileiro a reclamar pacíficamente do seu IRS nas Finanças )que nos roubam a todos nós e perdoam fugas fiscais à PT e aos gajos dos BES), isso não pode ser!.. Andam a brincar com quem esses emigras?.. Mata-Leão já!.. Um cigano com a família à volta e fazer peito e empurrar agentes de uma patrulha da GNR… Isso não se faz nada. Volta-se pra dentro do carro e rumo ao posto. Diferenças, sabe…

      Depois vêm gajos tipo “JCC” escrever aqui “As nossas forças policiais são excelentes. Viva Portugal.” – são opiniões, sabe… é como as vaginas: quem as tem, é livre de as dar.

  16. Pois cá temos mais um daquela pseudo força de segurança em que são fortes com os fracos e fracos com os fortes. Uma vergonha

  17. Preso por ter cão. Preso por não o ter. Poucos gostam ou admiram os maravilhosos departamentos das Finanças que pululam por aí. Mas outros, gostam tanto que até os querem filmar como o local para um último Adeus aos seus maravilhosos Euros.
    Um polícia tem sempre génio de polícia. Pelo sim, pelo não, até poderia ter pensado num
    membro de alguma celula jahadista porque são ensinados a ter cuidado e cuidar dos outros.
    Que poderá trazer uma filmagem num departamento das finanças? Nada ou simplesmente
    algo de muito importante. É só pensarem um pouco..
    Depois do homem investigado que cada qual siga a sua vida. Um que aprenda a respeitar as normas determinadas do País. Não as conhece pergunta. O outro que continue a cumprir com o seu dever defendendo o cidadão, porque afinal, na minha opinião pessoal, foi isso que ele fez. A forma como o fez? Se calhar a única capaz de segurar e manter a pessoa em questão, impàvida e serena. Se fosse eu, armava-me em esperto e vinha de lá com um murro num olho e tinha feito figura de parvo… Se bem que essa coisa do “golpe de leão” já não é para a minha idade… Sou filiado naquela de quem está. está, quem vai, vai…. Se assim fosse não estaríamos aqui a escrever sem sabermos metade do que se passa.

    • Absurdo!

      1. Respeitar as normas do país? Mais quais normas, posso saber? Está a referir-se a quê concretamente? Ou foi só uma frase genérica atirada assim pró ar? O Brasileiro enquanto emigrante tem direitos consagrados na nossa constituição. Estava a fazer valê-los e muito bem. Guarde os sues ódios xenófobos para as conversas de café. Numa situação destas não servem pra esclarecer nada.

      2. O Agente da GNR quis que o Brasileiro saisse porque deve ter achado aborrecido ver um Brasileiro com a sobrancelhas depenicadas e reclamar com uma Portuguesa de gema. Nacionalismos bacôcos de um país que infesta o mundo inteiro com emigras e suas “valises de cartón”.

      3. Se poucos gostam das finanças, os motivos não faltam. Desde roubarem quem trabalha com erros informáticos que nunca são a nosso favor misteriosamente, até perdões e fugas fiscais de PTs e Ricardos Salgados. Enfim… Quem de nós nunca lhe saltou a tampa numa repartição de finanças? Ainda por cima com a tradicional rudeza de alguns dos funcionários que por acharem que nunca podem ser despedidos, são de uma negligência atroz?

      4. Diz você “Se calhar a única capaz de segurar e manter a pessoa em questão, impàvida e serena. ” – Segurar??!!… Mas havia ali alguém pra ser segurado? Só se foi quando caiu desmaiado. De resto só vi uma pessoa sossegadamente a filmar-se a si próprio no telemóvel, e um gajo armado em Rambo e apertar-lhe o pipo.

      5. Pode ser que da próxima vez que você vá reclamar de algum erro a uma qualquer repartição pública, recebam a sua reclamação com uma carga de xaporra! Não era mal apostado pra vossa senhoria rever um bocado a sua perspectiva sobre este caso.

  18. Não vi o video nem sei o que se passou! Mas uma coisa é certa! Andam por aí alguns GNRs que deveriam ter outro tipo de comportamento e alguns cidadãos estrangeiros também! Contudo, conheço a realidade portuguesa e , não sabendo o que se passou neste caso, fico com a nítida sensação que, por vezes as instituições do estado não fazem o que deveria ser feito e, por vezes as pessoas passam por mal educadas perante a inoperância e a incompetência! Se calhar, o cidadão brasileiro queria resolver uma situação nas finanças e não encontrou alguém competente para o fazer e alegadamente passou por mal educado! Mas o que fica visível é a reacção do cidadão brasileiro e a atitude do GNR!É só uma opinião, nada mais, baseada nas várias experiências com que deparei! Em resumo: todos ficam mal na fotografia!

    • Só a facto de dizer que é só uma opinião já faz de si uma pessoa mais sensata. Claro que foi algo assim que se passou. Alguém que como qualquer um de nós foi indignado reclamar de um erro ou pedir esclarecimentos numa repartição de finanças e deve ter apanhado pela frente uma daquelas empregadas arrogantes que se esteve nas tintas e defendeu os erros do Estado como legítimos. ainda por cima como é práticamente impossível despedir um empregado da função pública, estão-se mesmo nas tintas.

      O gajo teve azar é por ser Brasileiro. Em Portugal, um país que infesta o mundo com uma diáspora interminável, não se pode ser emigrante sem ouvir logo bocas estúpidas e tacanhas, como as que impestam estes comentários. Depois temos os “pequenos poderes” de Portugal dos pequeninos. A polícia é perita nessas manifestações de pequenos ditadores. Sempre desertos para dar uma de Rambos. Acham que ser polícia é isto… Coitados.

      Bem se vê o país sub-desenvolvido que somos nessas coisas. Vá ao Reino Unido ver se vê polícias a meter gajos inconscientes por estrangulamento nas finanças? E olhe que estão cheios de emigrantes!..

      Precisamos é de mais Macrons no mundo e menos Le Pens… Que isto a ficar tudo muito parvinho das ideias.

      • Concordo….já tive situações absurdas tanto em instituições do estado como por parte da GNR…Por vezes uma pessoa quer resolver situações e não consegue porque simplesmente as pessoas não são competentes! E pior ainda, por causa destas situações as pessoas passam por mal educadas! Fez-se a revolução de 74 e isto podia ter ficado num país de jeito, mas não ficou, infelizmente!

        • Mas desde quando é que incompetência de algum funcionário duma qualquer repartição publica pode justificar ou nos dá legitimidade para ofênder, injuriar e mesmo ameaçar o dito funcionário? Em caso algum. Se ficámos descontentes há uma coisa que se chama “Livro de Reclamações”. É simples.

  19. Os meus parabéns pelo excelente profissionalismo e atitude do Sr. GNR. Infelizmente a justiça portuguesa deixa um pouco a desejar sendo por isso que muita gente tenta o abuso e o desrespeito de por quem tenta de alguma forma executar o seu trabalho. Não tenho nada contra a nacionalidade, pois se fosse português axo que deveria ter a mesma correção !! Estou a resistir fora de Portugal já alguns anos, e se me atreve-se a tentar fazer o mesmo no país em que estou ou seria de mediato extraditada ou estaria presa durante uns bons anos, pois aqui não se brinca com a justiça, mas axo muito bem porque assim não aparecem selvagens a tentar desrespeitar o funcionamento e o trabalho das pessoas!

  20. Estes ditos agentes são uns abusadores,são estes que induzem no povo o sentimento de mêdo que se tem por um agente de autoridade e devia ser o contrario…

  21. Todos os comentários aqui descritos, não passam de mera demagogia, os gajos que nos vêm da estação espacial internacional, olham com apreço esta imensa bola em tons de azul, a 1ª semana conseguem deferir o Continente, País e até acertar com precisão a localidade onde residem. Passada essa semana, todos as fronteiras se esbatem na cabeça do ser humano, todas a suas proezas, ficam diminutas, insignificantes. É a loucura. Mais mil anos passaram e continuaram as diferenças, territoriais, raciais, religiosas, etc etc. Processo evolutivo da espécie, (primórdios da evolução, futuro incerto).

  22. Tanta gente a defender o bandido!!!
    Depois queixem-se que não há lei nem ordem…
    Parece que agora a repartições publicas são para fazer vídeos para a Internet enquanto se desrespeita os funcionários, utentes, etc!!
    E, toda a gente sabe que esses malandros da GNR andam todos os dias por aí a aplicar o “mata-leão” a anjinhos que não fazem mal a uma formiga…
    É que que foi mesmo uma ‘agressão’ grave; parece que o patife brasileiro está em coma e vai ficar com sequelas…
    Enfim…
    Da minha parte, seria um louvor para o GNR e expulsão para o bandido!!

    • Caro amigo, a sua segunda frase diz tudo.
      É impressionante como muita gente que aqui comentou, diaboliza o guarda da GNR (sem conhecimento integral do que se passou e, mais grave, alguns até inventam factos nesta mini gravação, fazendo afirmações que a própria gravação desmente, só mesmo tipico de alguėm motivado por ódios, vá-se lä saber porquê ), um atribui até a nomenclatura “bofia” e “o gajo”, enfim…
      Mas o mais inacreditável disto tudo, é ver pessoas a meter ciganos ao barulho para definir uma suposta ausência de atuação da GNR, pois este exercicio critico para com o agente aqui mencionado é precisamente o que justifica muitas das vezes a ausência de intervrenção musculada das forças da Lei. Estamos perante um completo contrasenso. Criticam este agente porque agiu e criticam as forças da Lei porque não intervém noutras circunstâncias. Para gente desta, o melhor mesmo é irem para a selva, pois só quando lhes vão ao kú é que gritam “ó da guarda”, até lá, a pilantragem é toda Santinha e os GNR, PSP, PJ, são todos um bando de abusadores… Vão-se catar!

      • Completamente de acordo!
        Trocam-se todos e muitas vezes estão a contrariar o que acabam de escrever na linha anterior!…
        É o “preso por ter cão, preso por não ter cão”!…
        E até aposto que muitos dos que criticam o GNR (ou generalizam!) são tudo menos cidadãos exemplar!…
        Da mesma forma que os ciganos, o traficantes e os bandidos em geral, estão sempre a criticar a polícia…
        Na cabeça deles (onde tem as ideias e valores todos trocados), eles é que estão certos (e são sempre as vitimas) e a polícia e o ‘cidadão comum’, é que estão todos mal (e são os agressores)!!

        • Não tenha duvida. Eu também estou em crer que, até pela forma odiosa como alguns escrevem sobre o GNR, muito comentário aqui deve vir de gente que já deve ter levado umas ripadas no lombo, claro que sem fazerem mal nenhum, pois devem ser uns “santinhos”.
          Sabe o que lhe digo, isto é o espelho da gente deste país, sempre pronta a fazer juizos de valor precipitados, e por isso eventualmente injustos. Só mesmo alguém que levou umas sarrafadas é que se permite, com base num video de 3 minutos, video esse que não é isento, pois foi feito por uma parte envolvida e, para gente inteligente, que saiba ler “além do video”, observa que, até chegar aquele ponto de intervenção, algo mais se passou e o cidadão em causa teve de certeza comportamentos impróprios. Claro que essa parte o cidadão não filmou.
          Cabe na cabeça de alguém, com um minimo de neurónios, que o guarda “atacou” o cidadão apenas pelo que se viu no video? Claro que não.
          Depois, muito energumeno queixa-se que “a policia foge deles”, ” não há segurança”, bla, bla, bla…. Pudera, se actuam e são cidadaos estrangeiros e minorias, lá vem a história estúpida do “racista”, do “xenofobo”, etc, ou seja, ser duma minoria, na optica destes imbecis, é um passaporte de livre transito para fazerem o que querem, podem portar-se mal á vontade.
          Sabe o que lhe digo meu amigo, os agentes da Lei neste país o melhor que fazem é “assobiar para o lado”, pois intervirem, serem enxovalhados em publico, sujeitos a perder o seu ganha pão, serem presos, etc, em prol duma sociedade onde alguns os destratam como aqui vemos. Livra!

          • Uma sociedade em que o ganha-pão, é aplicar o mata-leão nos mais fraquinhos, e ainda há gente que acha correcto, tem um sério problema de civismo e valores.

            Eu não defendo o moço, eu apenas acho que o GNR, exagerou. Aliás, as regras da sua propria instituição dizem o contrário daquilo que ele praticou!

            Pelo amor de Deus, alguma coerência.

  23. tudo se evitava se o respeito pela autoridade existisse.

    estamos a caminhar para a descredibilização das forças de segurança
    acho que ainda vamos sofrer com isso…
    quanto ao facto de ser brasileiro ou portugues, não me parece importante, só lhe notei a falta de educação estampada num rosto pateta.

  24. A lei determina que dentro de edifícios públicos é proibido qualquer tipo de filmagens. E para reclamações existe o livro de reclamações. Os privados também proíbem filmagens nos seus espaços.

    • Brutalidade?
      Onde?
      Só se fôr nos comentários, porque na actuação do guarda a ‘brutalidade’ foi tanta que o bandido nem sequer ficou com marcas!…
      Até o meu sobrinho num dia de escola fica pior (e sem faltar ao respeito a ninguém)!!

      • Este sabe onde deve bater para que a mulher não fique com “marcas”. O psicológico não interessa para nada. Reles.

  25. Continuem a defender delinquentes/coitadinhos e castigar as forças de segurança… daqui a nada temos o Brasil aqui, e ai é que vão ver como a vida fica boa sem autoridade…

  26. Este senhor brasileiro pela maneira como procedeu foi para ali com intenção de provocar distúrbios nem se sabe até que ponto felizmente o senhor GNR teve a coragem e capacidade de o neutralizar caso contrário a situação poderia ter acabado mal.

  27. Isto realmente é incrível….há uns anos quando íamos para outro país, íamos numa atitude de respeito e de trabalho. Este anormal vem para o nosso país provocar deliberadamente o nosso povo, e tenta gozar e humilhar um agente de autoridade que lhe dá uma ordem…… E ainda tem aqui plateia a aplaudir de pé o que ele fez….. Algo está muito errado…

    • Também não vamos chamar “plateia” a meia-dúzia de frustrados que, coitados andam sempre deprimidos e prontos a odiar tudo e todos – principalmente na Internet!

      • Frustado e deprimido deves andar tu meu animal ( que até é uma ofensa aos animais assim te tratar), pelos vistos dizes que estavas la, e estando la meteste o rabinho entre as pernas de cobarde que és e assististe a tudo na plateia, e deixaste que o Rambo desse uma de salvador da Pátria, pelo que vejo e leio, não és só frustado e deprimido, pelos vistos também és um grande cobarde

        • Ora aí está!…
          Mais um excelente exemplo de extrema educaçāo e civismo dessas personagens que defendem o bandido com unhas e dentes!!
          Mais palavras para quê?!…

  28. Aprendem lá estás “porcarias” nas escolas de GNR e depois confundem Cidadãos com bandidos. Civismo, educação e respeito pelos Cidadãos isso não interessa nada.

    • Tu é que, claramente, andas confuso e trocas tudo!!
      Ou então deves ter andado na ‘escola’ dos bandidos!
      Civismo, educação e respeito foi tudo o que faltou ao bandido brasileiro!

  29. O Zuca estava a sofrer tanto, que tinha reacção e mobilidade para virar o telemovel para a cara dele!!!!
    A todos os defensores dos animais, deixem-se de falsos moralismos. É fácil insultar e intimidar as pessoas/funcionárias e quando se vê com o “cú apertado” faz um directo para o facebook para mostrar que é uma pessoa de bem… porque não fez ele um directo dos insultos e ameaças que fez ás funcionárias das finanças?

    Porcaria de gente que hoje só se revê nas redes sociais!!!!!

    Faz lembrar o outro no minipreço… com um telemóvel e a queixar-se que nao tinha ninguém para o socorrer ou então queixar-se do frio quando andava a passear na zona dos frios!!!!

  30. E os cidadãos também tem de aprender… Uma delas é de não gravar em direto um sítio público onde estão pessoas que não aceitaram ser gravadas. É difícil de perceber isso??? Credo…..

  31. Depois de ler todos os comentários e cuidadosamente a fim de não ser injusto a nenhum dos lados. Chego a uma simples conclusão: a história toda da uma novela ou quem sabe um best-seller. Parabéns aos protagonistas. Já uma mão cheia indicada par o próximo Oscar…

  32. Dois pesos e duas medidas. Proporcionalidade adequada à situação! Infelizmente vejo muitos comentários de ódio, racistas e xenófobos para esta situação e isto deixa-me preocupado! Ver os colegas deste agente a comentarem na internet que o mesmo devia ser condecorado para mim é absolutamente ridículo! Se fosse um ou dois ciganos a armar barraca da grande e aos pontapés numa repartição ou outro estabelecimento idêntico certamente o agente assobiaria para o lado. Na minha opinião, bastava tirar-lhe o telemóvel, agarrá-lo pelo braço e trazê-lo para a rua.

    • Eu também apaladou e acho que devia ser condecorado (e não sou colega dele)!!
      E, traz esses ciganos para aqui a ver como a GNR os trata…
      Quanto ao suposto ódio, racismo e xenofobia, dá sempre jeito para desculpabilizar os bandidos!….

      • Acho bem que os verdadeiros bandidos sejam eles ciganos, brancos, pretos ou amarelos tenham aplicada a autoridade,força e medidas necessárias (Exemplo do assalto a um balcão do BES). Neste caso só não acho que estejamos perante um caso de um bandido e este sr foi tratado como tal! São opiniões.

        • Não é um bandido?!
          Pois não… coitado; é apenas uma ‘vitima inocente’!…
          Bandidos são os funcionários, os restantes utentes e o GNR…
          Esses, que estavam lá e presenciaram tudo o que o artista fez (não viram uma parte de um vídeo que lhe apeteceu pôr na Internet!!), é que são culpados…
          Já estou como diz o outro: “depois querem que haja paz no mundo”

  33. Parabéns ao militar da GNR, actuou com legitimidade e com ponderação! Apenas teve de chegar à detenção porque o cidadão brasileiro claramente não sabe o significado de obedecer a ordens da Autoridade e não demonstrou vontade de terminar com a sua conduta ilícita!
    Merecia uma medalha!
    No Brasil certamente que o indivíduo não só não se comportaria assim, como também não receberia uma resposta tão correcta por parte das Autoridades! Devia agradecer…

  34. Não é bandido até prova em contrário. Pode não ter tido a melhor conduta mas esta intervenção foi completamente desnecessária! Não é este o exemplo que queremos para as nossas forças de segurança e de autoridade! Qualquer dia temos um filho nosso a mijar na rua e leva com uma bastonada! Era o que faltava! E já agora, para esclarecer a legitimidade da intervenção deste sr agente:

    http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-05-10-Regras-da-GNR-proibem-acao-de-militar-nas-Financas-do-Montijo

    • Filho a mijar na rua?!
      Era uma bastonada no filho e duas no pai!!!
      Esse artigo de opinião é apenas isso: opinião!!
      E, é exactamente este o exemplo que eu quero das forças de segurança/autoridade!!
      Sem deixar qualquer mazela, acabou ali com uma situação de alteração da lei e ordem publicas!

  35. O que o militar da GNR devia ter feito, para agora não estar a ser crucificado, era ter deixado deitar fogo às Finanças. Um polícia é sempre preso por ter cão e por não ter.

  36. DETURPAR GROTESCAMENTE A VERDADE

    Ouvi e li na comunicação social e até nas redes sociais as mais disparatadas aleivosias sobre a actuação de um militar da GNR à civil numa repartição de Finanças do Montijo, que se viu obrigado a imobilizar um cidadão brasileiro, com um golpe “mata-leão” no pescoço, depois de este ter, num primeiro momento, um comportamento desrespeitoso para com os funcionários das finanças e, depois, posteriormente, ter igualmente faltado ao respeito ao militar, desobedecendo à ordem para parar de filmar, visto que estava a gravar imagens com o telemóvel, em directo para o facebook.

    A comunicação social é useira e vezeira neste tipo de notícias sensacionalistas mas sem qualquer rigor factual, trocando muitas vezes o papel dos intervenientes ao tratar a vítima como sendo o criminoso e vice-versa.

    Neste caso, uma vez mais isso aconteceu. O militar, num primeiro momento, tentou falar com o cidadão brasileiro, dizendo-lhe que não podia coagir nem faltar ao respeito aos funcionários e aconselhando-o a ter calma. Pelos vistos, esta sua intervenção não surtiu efeito, tendo o cidadão continuado com o mesmo comportamento e a filmar com o telemóvel imagens em directo para o facebook.

    Perante este cenário de desobediência, o militar decidiu imobilizar o prevaricador, de forma segura, para evitar uma reacção intempestiva que pudesse colocar em perigo a sua integridade física e até a dos funcionários e, nesse sentido, foi bem sucedido, não lhe dando qualquer chance de poder pôr em prática a sua agressividade.

    Testemunhas no local louvaram a atitude do militar que tendo embora colocado em risco a sua integridade física, decidiu corajosamente colocar ponto final nos reprováveis excessos de um cidadão brasileiro, imobilizando-o e dando-lhe ordem de prisão.

    Quem não quer ser tratado como lobo, deve evitar vestir-lhe a pele. Quem quiser ser efectivamente respeitado deve, em primeiro lugar, ser respeitador. Há sempre um patamar de compreensão, sensibilidade e tolerância. Neste caso, esse patamar foi ultrapassado e, por isso mesmo, o cidadão brasileiro deve a si próprio as consequências dos seus actos, pelos quais deve ser responsabilizado criminalmente.

    Querer imputar qualquer responsabilidade ao militar pela sua corajosa intervenção é pura brincadeira de mau gosto, é virar tudo ao contrário, é tirar a razão a quem na tem efectivamente.

    Mostrar na imprensa e nas redes sociais um vídeo no momento em que o militar aplica o golpe que imobiliza o cidadão brasileiro, sem mostrar as causas que levaram a esse momento, é deturpar a verdade, é enganar as pessoas, é vender gato por lebre.

    Espero que a justiça militar saiba distinguir o trigo do joio e conclua que o militar da GNR agiu correcta e legitimamente, sendo merecedor de um louvor.

  37. … pelo facto de estar numa Repartição de Finanças já é caso de provocar muito mal estar a qualquer cidadão serio quer seja português ou estrangeiro e não podemos esquecer o nariz empinado da maioria desses funcionários públicos.

RESPONDER

A Grande Mancha Vermelha de Júpiter tem uma nova companhia

Um astrónomo amador na África do Sul detetou uma nova mancha no hemisfério sul do maior planeta do Sistema Solar. A mancha, apelidada de "Mancha de Clyde", aparece entre a icónica Grande Mancha Vermelha de …

Nova aplicação deteta insuficiência cardíaca através da voz

Foi desenvolvida uma nova aplicação para smartphones que prevê a insuficiência cardíaca através da voz. A tecnologia baseia-se num dos sintomas mais comuns: a falta de ar. O sintoma mais comum da insuficiência cardíaca é a …

Atividade física ajuda a prevenir a perda de visão

Uma nova investigação sugere que o exercício físico pode ser um componente-chave na prevenção da perda de visão. Os benefícios da atividade física são cada vez mais conhecidos, mas há alguns que devem ser tidos em …

Dubai vai construir uma cidade marciana no deserto

O Dubai tem em mãos um projeto ambicioso: a construção de uma cidade marciana. O projeto foi apresentado por uma empresa sediada em Copenhaga e Nova Iorque e é uma parte do plano dos Emirados …

Coreia do Norte voltou a rejeitar negociações com os Estados Unidos

A Coreia do Norte disse, esta terça-feira, que não tenciona retomar o diálogo com os Estados Unidos, quando o vice-secretário de Estado norte-americano, Stephen Biegun, chegou à Coreia do Sul para discutir diplomacia nuclear. Num comunicado …

Construiu uma cadeira de rodas com bicicletas elétricas para a namorada. Agora, vai produzi-la em massa

Para Zack Nelson, construir esta  peça inovadora de engenharia foi "super divertido e surpreendentemente simples". Há cerca de um ano, Zack Nelson, o youtuber de tecnologia do canal JerryRigEverything, uniu duas bicicletas elétricas para criar uma …

A reeleição de Trump nunca esteve tão ameaçada. A culpa é do pessimismo dos americanos

A gestão do Presidente norte-americano face à pandemia e a perspetiva de uma crise económica ameaçam a reeleição de Donald Trump. Um estudo de opinião da Fundação Peter G Peterson para o The Financial Times indica …

Ministros da Indonésia promovem colar de eucalipto como cura para a covid-19

O ministro da Agricultura da Indonésia foi muito criticado por especialistas por alegar que um colar feito de eucalipto pode ajudar a impedir a transmissão da covid-19. Segundo o The Guardian, o ministro da Agricultura da …

SATA pede auxílio ao Estado no valor de 163 milhões de euros

A SATA, companhia aérea detida a 100% pela Região Autónoma dos Açores, precisa do valor até ao final do ano para pagar dívidas. A SATA pediu um auxílio ao Estado de 163 milhões de euros para …

Cortiça portuguesa usada em foguetões da Space X

A Corticeira Amorim forneceu a Space X, de Elon Musk, para componentes usados nos foguetões espaciais da empresa, adiantou o presidente da empresa, António Rios Amorim. "É o nosso maior cliente [deste segmento] neste momento desde …