Mestrado de Medicina da Universidade do Porto vai ter cadeira de Poesia

Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto / Facebook

Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.

Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.

O mestrado integrado de Medicina do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto vai ter, a partir de Setembro, uma cadeira de Introdução à Poesia. A ideia é “despertar o lado humanista que se pretende que um médico tenha”.

Esta cadeira de Poesia vai ser opcional para os alunos do primeiro semestre do segundo ano do curso de Medicina do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) e terá um limite de alunos.

É o médico-cirurgião e poeta João Luís Barreto Guimarães quem vai leccionar a cadeira.

Vamos falar, no fundo, da vida, onde se inclui a morte, que é o grande tema que a poesia cobre”, explica o médico em declarações à TSF.

“Há alguma coisa para iluminar, mas não há nenhuma verdade absoluta para ensinar”, diz ainda Barreto Guimarães, sublinhando que a ideia é “despertar consciências no sentido da dimensão humana que vai além da prescrição de um fármaco ou da execução técnica de uma cirurgia”.

O médico-poeta explica à TSF que o “desafio” surgiu numa altura em que “os cursos de Medicina estão a tentar alargar o âmbito dos temas que apresentam aos seus alunos”, sempre através de cadeiras opcionais.

Porque, afinal, “o médico que só sabe de medicina nem de medicina sabe”, aponta o cirurgião-poeta citando o mote do professor Abel Salazar que dá nome ao ICBAS.

“A cadeira foi aceite e aprovada por unanimidade e louvor”, destaca ainda, admitindo que ainda não sabe “exactamente como vai ser”. “Vai ser uma aventura”, sublinha.

Barreto Guimarães refere que não vai apenas falar de “poemas sobre medicina”, nem de poemas escritos por médicos.

A ideia é “saltar de tema em tema, incluindo alguns temas médicos e poemas que versam o homem, o corpo, a anatomia, a doença, o tratamento, a vida e a morte”, resume o cirurgião.

Além disso, pretende-se ainda “abrir pistas de leitura” para depois das aulas, de modo a que cada aluno possa fazer “outras descobertas e, desejavelmente, despertar e ajudar a desenvolver o lado humanista que se pretende que um médico tenha”.

O médico cita a poetisa polaca Wislawa Szymborska, de quem gosta especialmente, para notar que “um poema não consegue verdadeiramente anular o sofrimento, mas permite acompanhar o processo”.

O mais difícil das aulas vai ser “dar uma nota a estes 30 alunos”, assume Barreto Guimarães, embora alertando que deve haver uma prova final.

Susana Valente Susana Valente, ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Por sua vez, a Faculdade de Engenharia Da Universidade do Porto vai ter uma cadeira semestral de Cultura Musical, com apoio da Casa da Música.

  2. Não há dúvida que a presença da poesia em qualquer acto da vida é a essência da felicidade. Acho que contribuir para o desenvolvimento do lado humano, do ser humano, deve ser o principal objectivo de qualquer currículo. E, no que diz respeito à formação de um médico, é essencial para o desenvolvimento da sua sensibilidade. Os versos de Natália Correia: “Ó subalimentados do sonho/ A poesia é para comer! ” definem bem quanto a poesia é importante para a vida. No caso dos médicos, espero que os ajude a serem menos duros na hora de transmitirem algo de desagradável ao doente e que o façam com a souplesse que o momento exige. Há pessoas que querem saber toda a verdade, há outras que não a suportarão. Eu não sei como reagiria se o médico me dissesse, de chofre, ” a sra tem um cancro!”, como eu sei que já tem acontecido muitas vezes! Só é pena que a ideia não seja extensiva a todo o ensino da medicina, nos restantes cursos. Obrigada, ao poeta médico Barreto Guimarães pela sua feliz iniciativa. Fez-me lembrar o nosso grande Miguel Torga. E viva a poesia!

  3. Está de parabéns o Instituto Abel Salazar ! Este médico, que deu o nome ao instituto, também ele artista, foi pintor e antifascista! Como médico, conhecendo bem as falhas da sua profissão, definiu-a, primorosamente, na frase:
    “O médico que só sabe de medicina nem de medicina sabe!”. A poesia poderá, por isso, ajudar a suprir algumas dessas lacunas que Abel Salazar sentia existirem na formação dos nossos médicos. Tal como afirma Barreto Guimarães “um poema não consegue anular o sofrimento mas permite acompanhá-lo”. E eu acrescentaria: suavizando-o.

RESPONDER

Vacina russa contra a covid-19 pode vir a ser produzida em Sintra

O Presidente da câmara de Cascais fez de intermediário para que viesse para Portugal uma licença de produção da Sputnik V. António Costa não se opõe, mas lembra que a vacina ainda não foi aprovada …

FC Porto admite batalha legal com o Sporting devido ao caso Palhinha

Os azuis e brancos contestam a utilização de João Palhinha após o jogador ter sido suspenso ao somar cinco amarelos na Liga. O FC Porto admite uma batalha legal. O FC Porto está preparado para levar …

Supremo recusa levantar arresto de bens a Rui Rangel e Fátima Galante

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou, esta quinta-feira, recursos dos ex-juízes, arguidos no processo "Operação Lex", que contestavam o arresto dos seus bens. No acórdão proferido, a que a agência Lusa teve acesso, o Supremo …

Portugueses a partir dos 60 anos vão ter segunda dose AstraZeneca

Após os casos de coágulos, a DGS só vai mudar o esquema vacinal aos mais jovens, sendo que população com mais de 60 anos que tomou a vacina da Astrazeneca irá receber a segunda dose …

Messi já tem uma decisão tomada em relação ao seu futuro

Andoni Zubizarreta, dirigente do Barcelona, garante que Lionel Messi já tomou uma decisão em relação ao seu futuro no clube, embora não saiba qual é. Depois da novela que foi a situação de Lionel Messi no …

Menos dinheiro para estradas e mais para as empresas. Governo apresenta a versão final do PRR

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) vai ser divulgado na sua versão final esta sexta-feira. Durante a manhã, será apresentado ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. A apresentação do Plano de Recuperação e …

Os lobos de Yukon mudaram a dieta para sobreviver à extinção da Idade do Gelo

Os lobos cinzentos (Canis lupus) do território de Yukon, no Canadá, sobreviveram à extinção no final da última Idade do Gelo adaptando a sua dieta ao longo de milhares de anos. Os lobos cinzentos estão entre …

Termina esta sexta-feira 2.ª fase de adesão a medidas voluntárias na TAP

Termina esta sexta-feira a segunda e última fase de adesão a medidas voluntárias para os trabalhadores da TAP, depois de a companhia ter concedido mais uma semana aos colaboradores para analisarem as opções. A TAP anunciou …

EDP entrega aos deputados contratos das barragens, mas pede confidencialidade

Depois do pedido de esclarecimentos de alguns deputados, a EDP enviou ao Parlamento mais de 1500 páginas de documentos sobre os negócios das barragens, mas pediu confidencialidade.  A EDP já enviou ao Parlamento a sua resposta …

Tiroteio em armazém da FedEx nos EUA faz pelo menos oito mortos

Pelo menos oito pessoas morreram, esta quinta-feira à noite, no tiroteio ocorrido num armazém da empresa de serviços postais FedEx em Indianápolis, no estado norte-americano do Indiana. Segundo a porta-voz da polícia de Indianápolis, Genae Cook, …