Marques Mendes: PSD tem mais capacidade de “atrair indecisos”. Pico da pandemia deverá ocorrer entre 20 e 24 de janeiro

Carlos Barroso / Lusa

Luís Marques Mendes

Luís Marques Mendes considera que Rui Tavares (Livre) e João Cotrim de Figueiredo (Iniciativa Liberal) foram as grandes surpresas dos debates que antecederam a campanha eleitoral para as legislativas de 30 de janeiro. “Foram competentes e eficazes. Representaram uma lufada de ar fresco”, considerou. Já António Costa, na visão do comentador, “esteve muito igual e muito constante”, ao passo que Rui Rio “começou mal com Ventura”, mas “melhorou e acabou em alta”.

Relativamente ao confronto dos dois principais líderes partidários, o comentador considera que Rui Rio venceu com “alguma vantagem“. “Não é que António Costa tenha estado mal, mas Rio esteve melhor”, especialmente na “atitude”. “Apareceu mais fresco, mais combativo, mais determinado e com mais ambição”, descreveu. Como tal, Marques Mendes depreende que “as hostes de Rui Rio estão mais motivadas”. “O PSD tem agora maior capacidade de atrair indecisos“, explicou, ressalvando que a vitória está longe de garantida.

No que respeita aos partidos mais pequenos, o comentador destaca Catarina Martins e Francisco Rodrigues dos Santos como “os mais combativos“, estando os dois “a fazer pela vida”. Já André Ventura, candidato do Chega, está a “perder gás”, aponta Marques Mendes. “A mensagem é tão repetida que cansa. O país ficou a perceber que não vai ter a influência que imagina”, atirou.

Num outro âmbito, o da pandemia, o comentador revelou que teve acesso a um dos relatórios do Instituto Superior Técnico e da Ordem dos Médicos, no qual o pico da presente vaga da pandemia de covid-19 está previsto para o período entre 20 e 24 de janeiro, quando o país deve registar até 50 mil casos diários de infeção, os internamentos devem chegar aos 2.500 nas enfermarias e aos 240 nas unidades de cuidados intensivos. Já os óbitos deveram oscilar entre os 35 a 40 diariamente. Tal como lembrou Marques Mendes, a 15 de janeiro de 2021 o país tinha mais de quatro mil pessoas internados, 622 doentes em cuidados intensivos e reportava 159 mortes por covid-19. “O efeito vacinação amorteceu este choque”, resumiu.

Finalmente, o comentador abordou também alguns números relativos ao cenário económico do país — os quais, explicou, deverão ser publicados oficialmente nos próximos dias. Segundo o próprio, o PIB deverá crescer 4,8% e a inflação fixou-se em 1,3% em 2021. No que respeita aos contas públicas, o antigo líder do PSD diz que o défice permaneceu abaixo dos 4% e que a dívida pública é atualmente 127% do PIB. Estes valores mostram, na opinião de Marques Mendes, que “a crise política não prejudicou a recuperação“.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE