Queres sair da Rússia? Faz marcação. Cruz Vermelha prevê cenário pior

Zurab Kurtsikidze / EPA

Lei invulgar na Rússia deve mesmo avançar. Zelenskyy assegura que nunca quis, nem quer, atacar Bielorrússia.

A Ucrânia não quis, nem quer, atacar a Bielorrússia, assegura o seu presidente Volodymyr Zelenskyy.

“Não temos a intenção de atacar a Bielorrússia. Este é o principal sinal que todo o povo ucraniano envia ao povo bielorrusso.

“Apelamos a que a Bielorrússia não entre numa guerra absolutamente vergonhosa”, continuou Zelenskyy.

Esta foi a reacção do presidente da Ucrânia às palavras de Alexander Lukashenko, presidente da Bielorrússia, que afirmou que a Ucrânia – que tenta que a Bielorrússia não participe na guerra – está a propor um pacto de não-agressão entre os dois países.

Alexander Lukashenko tem estado muito próximo do presidente da Rússia, Vladimir Putin. A Bielorrússia apoia a Rússia mas, oficialmente, a garantia é a de que as forças bielorrussas não vão entrar na guerra na Ucrânia.

Entrar… directamente. Porque, logo no dia 24 de Fevereiro (primeiro dia da guerra), a Rússia atacou a Ucrânia pelo ar a partir da Bielorrússia. E a Força Aérea da Rússia tem repetido lançamentos de mísseis e drones, na direcção da Ucrânia, aproveitando o espaço aéreo bielorrusso.

Cruz Vermelha espera mais ataques

A Cruz Vermelha está a intensificar a ajuda à população da Ucrânia porque espera também uma intensificação na guerra.

“Todos nós esperamos alguma intensificação dos combates”, disse à agência Reuters o seu secretário-geral, Maksym Dotsenko.

Apesar deste receio, Dotsenko comentou que “no geral, a situação está controlada” na Ucrânia, embora não consiga confirmar que “todas as necessidades estão asseguradas”.

A Cruz Vermelha não tem acesso às zonas da Ucrânia ocupadas pela Rússia. Tinha 400 funcionários na Ucrânia até Fevereiro e passou a ter 1.500 desde que a guerra começou. O número de voluntários duplicou – e cinco deles já morreram no conflito.

Marcar data e hora para sair

A lei sobre “rodovias e activividades rodoviárias” na Rússia vai ter algumas alterações.

A que se destaca: cada pessoa que queira sair da Rússia vai ter de marcar dia e hora para passar pela fronteira.

O portal TASS divulgou o documento assinado pelo chefe do Comité de Transporte e Desenvolvimento de Infraestrutura da Duma Estatal, Yevgeny Moskvichev.

“A passagem de veículos pertencentes a transportadoras russas, transportadoras estrangeiras, cidadãos da Rússia, cidadãos estrangeiros, apátridas, e outros, em estradas para cruzar a fronteira estadual da Federação Russa, é realizada em data e hora reservadas de acordo com o procedimento estabelecido pelo governo da Federação Russa”, avisa o documento.

A lei prevê também quais os documentos necessários para a reserva, o procedimento para controlar as passagens de fronteira num horário específico e as categorias de veículos que poderão passar pelos pontos de controlo fora das marcações.

O governo terá que providenciar a colocação de veículos ao longo da estrada para garantir a possibilidade de viajar na mesma.

As medidas entrarão em vigor no dia 1 de Março e estarão em vigor durante um ano.

Ficaram algumas dúvidas sobre se isto se aplica a qualquer cidadão, ou só aos transportes de mercadorias. O portal Meduza indica que só será aplicado às mercadorias.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.