Os mamíferos só se tornaram diurnos depois de os dinossauros se extinguirem

Os mamíferos passaram os seus primeiros 100 milhões de anos no escuro e só começaram a sair durante o dia quando os dinossauros desapareceram, há 66 milhões de anos atrás, revelou um estudo publicado esta segunda-feira na revista Nature.

O estudo – conduzido pela University College London (UCL), no Reino Unido, e pelo Museu de História Natural Steinhardt, da Universidade de Tel Aviv, em Israel – apoia uma das teorias evolutivas mais antigas, que afirma que o antepassado comum de todos os mamíferos é um animal noturno.

Os cientistas da UCL e da Universidade de Tel Aviv analisaram dados de 2.415 espécies de mamíferos vivos. Através da compilação de hábitos de comportamento e da análise da árvore genealógica dos mamíferos, usaram algoritmos para reconstruir padrões de atividade prováveis dos nossos antepassados.

Ou seja, se dois mamíferos intimamente relacionados um com o outro são noturnos, o antepassado comum provavelmente também era.

Tamar Dayan, outra autora do estudo e professora de Zoologia na Universidade de Tel Aviv, destacou a importância de analisar grandes quantidades de informação tanto sobre o comportamento dos mamíferos antepassados como dos mamíferos atuais, já que os registos fósseis de animais que viveram há milhões de anos são muito limitados.

Os resultados indicaram que os mamíferos se tornaram diurnos pouco depois da extinção dos dinossauros, ainda que a mudança não tenha ocorrido da noite para o dia.

Houve uma fase, que durou vários milhões de anos, na qual os mamíferos combinavam atividades noturnas com atividades diurnas. Esta fase coincidiu com a sequência de eventos que provocaram a extinção dos dinossauros.

Ficamos surpreendidos quando descobrimos esta correlação entre o desaparecimento dos dinossauros e o começo da atividade diurna dos mamíferos, mas, usando várias análises alternativas, obtivemos sempre os mesmos resultados”, destacou em comunicado o principal autor do estudo, Roi Maor.

A equipa de Maor constatou também que os antepassados dos símios primatas – gorilas, gibões e saguis – foram dos primeiros mamíferos a abandonar a vida noturna, há cerca de 52 milhões de anos atrás. Isso explica o porquê de os primatas se terem adaptado melhor ao modo de vida diurno: tiveram mais tempo para se adaptar ao sol.

De facto, os macacos e os primatas (incluindo os humanos) são os únicos mamíferos diurnos com olhos evoluídos. A sua capacidade de distinção de cores é comparável à de répteis e aves diurnas, dois animais que sempre viveram de dia, lembram os especialistas.

O estudo apoia a hipótese  de que a extinção dos dinossauros abriu novas portas para os mamíferos, nomeadamente a alimentação diurna. Mas “não podemos dizer que a extinção dos dinossauros provocou o começo da atividade diurna dos mamíferos, embora haja uma relação clara nas descobertas”, explica Kate Jones, co-autora do estudo.

ZAP // EFE / New Scientist

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas investigam estranho gelo cor-de-rosa num glaciar dos Alpes italianos

Uma equipa de cientistas anunciou esta segunda-feira estar a tentar averiguar a origem de gelo cor-de-rosa num glaciar nos Alpes italianos. O fenómeno deverá ser provocada por algas que aceleram os efeitos das mudanças climáticas. A origem …

Especialistas de 32 países alertam OMS: covid-19 também se transmite pelo ar

Numa carta aberta à Organização Mundial de Saúde, 239 cientistas pedem que a organização reveja as recomendações que tem emitido, alertando para o facto de a covid-19 poder transmitir-se pelo ar. Numa carta dirigida à Organização …

Moreirense 0-0 Sporting | Nulo em jogo de pólvora seca

A 30ª jornada fechou no Minho com um nulo entre Moreirense e Sporting, que continua sem derrotas sob o comando de Rúben Amorim. A formação leonina poderia muito bem ter vencido em Moreira de Cónegos, pois …

Armazém flutuante. A China está a guardar petróleo no mar (e já se sabe porquê)

A China está a guardar uma quantidade épica de petróleo no mar. De acordo com a CNN, o país comprou tanto petróleo estrangeiro a preços baratos que formou um congestionamento maciço de navios-tanque no mar, …

Peregrinos em Meca proibidos de tocar ou beijar a Caaba por causa da covid-19

Os muçulmanos que vão participar na peregrinação a Meca não poderão tocar ou beijar a Caaba nem a "pedra negra", presentes na Grande Mesquita, local considerado como um dos mais sagrados pelo Islão, informaram as …

Países Baixos continuam a abater milhares de martas. 20 quintas afetadas pela pandemia

Esta segunda-feira, as autoridades holandesas abateram milhares de martas em mais duas fazendas onde foram detetados surtos de covid-19. Esta segunda-feira, as autoridades abateram milhares de martas em mais duas fazendas, sendo agora 20 as quintas …

Cientistas criam robô para fazer testes à covid-19 (e proteger os profissionais de saúde)

O Korea Institute of Machinery & Materials (KIMM) desenvolveu um novo robô de coleta remota de amostras que elimina o contacto direto entre os profissionais de saúde e os pacientes, potencialmente infetados com o novo …

"Não use desodorizante". A peculiar estratégia de Berlim para promover o uso de máscaras nos transportes públicos

"Não use desodorizante". Esta é a peculiar campanha adotada pela empresa que controla os transportes públicos em Berlim, na Alemanha, para promover o uso correto de máscaras, evitando assim novos casos de covid-19.  Tal como escreve …

Vírus pode ter estado adormecido antes de surgir na China, diz investigador de Oxford

O novo coronavírus pode ter estado adormecido algures no mundo antes de ter surgido na China, defendeu o investigador da Universidade de Oxford, Tom Jefferson, apontando para várias descobertas de amostras do vírus em Espanha, …

Federer sente falta de Wimbledon. "Deu-me tudo"

Roger Federer admitiu sentir a falta de Wimbledon, o torneio do "Grand Slam" que, se não tivesse sido cancelado devido à pandemia de covid-19, estaria a decorrer em Londres. O tenista suíço Roger Federer admitiu, esta …