Há mais estrangeiros dispostos a trabalhar do que portugueses

Desde meados de 2018 que os estrangeiros residentes em Portugal estão a sustentar a evolução da população ativa (entre os 15 e os 65 anos) no país, contrariando o quadro de redução e envelhecimento que este grupo de profissionais enfrentou entre 2008 e 2016.

Segundo noticiou o Expresso, os dados divulgados esta quinta-feira pelo Banco de Portugal, na apresentação do Boletim Económico de Outubro, revelam que mais de 80% dos estrangeiros residentes em Portugal, em idade ativa, estavam disponíveis para trabalhar no final do primeiro semestre deste ano.

Um número que supera em quatro pontos percentuais a taxa de atividade – peso da população ativa sobre a população total em idade ativa – apurada entre a população portuguesa na mesma altura.

A justificar a maior disponibilidade para trabalhar identificada entre os residentes estrangeiros está, segundo o Banco de Portugal, a sua composição etária mais jovem e mais qualificada do que a população ativa portuguesa. Mais de 80% dos estrangeiros residentes em Portugal estão em idade ativa, contra apenas 60% dos portugueses.

Em matéria de qualificações, pese embora a evolução registada entre a população nacional, o nível médio de escolaridade dos estrangeiros continua a superar o dos portugueses.

Estrangeiros alavancam nível de qualificação

“Nos últimos anos, o nível médio de escolaridade da população têm vindo a aumentar significativamente, mas esse incremento tem sido maior entre a população de nacionalidade estrangeira”, conclui o Banco de Portugal.

Entre o primeiro semestre de 2011 e o primeiro semestre de 2019, o peso da população estrangeira entre os 25 e os 64 anos com ensino superior duplicou de 15% para 30%, enquanto entre os portugueses a evolução não foi além dos nove pontos percentuais, de 17% para 26%.

No mesmo período, a população com um nível escolaridade correspondente ao ensino básico reduziu em cerca de 20 pontos percentuais, tanto no caso dos residentes estrangeiros como dos portugueses, para 30% e 50%, respetivamente.

Apesar deste cenário, partindo de dados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, o Expresso apurou que para o mesmo nível de qualificações em termos de escolaridade, os portugueses ganham em média mais do que os estrangeiros.

Os dados do INE sobre o rendimento salarial médio mensal líquido dos trabalhadores por conta de outrem, mostram que, em média, em 2018, os trabalhadores portugueses levavam para casa ao fim do mês 890 euros. Os trabalhadores estrangeiros 795 euros, menos 10,7%.

Recuando até 2011, ano em que se inicia a atual série do INE, os portugueses ficam sempre acima dos estrangeiros, embora o diferencial tenha vindo a diminuir (em 2011 atingia os 20%). A única exceção a esta regra são as empresas privadas onde, nas funções mais qualificadas, os estrangeiros ficam bem à frente dos portugueses em termos salariais.

Ao nível dos quadros superiores, por exemplo, em 2016 (últimos dados disponíveis) ganhavam, em média, 38% mais, auferindo mais do dobro no caso dos profissionais altamente qualificados.

87% dos estrangeiros residentes têm trabalho

Os dados do Banco de Portugal mostram que, desde meados de 2017, o efeito demográfico da população estrangeira tem tido um impacto positivo no país, conduzindo a um rejuvenescimento da população ativa e uma maior qualificação. Em junho de 2019 residiam em Portugal 198 mil estrangeiros em idade ativa (3% da população neste escalão etário). A esmagadora maioria, 158 mil (87%) estavam empregados.

“A população estrangeira poderá potenciar a dinâmica do mercado de trabalho nos anos vindouros”, esclareceu o Banco de Portugal, reconhecendo que “apesar dos fluxos migratórios evoluírem muito em linha com a situação cíclica da economia, outros fatores como os incentivos fiscais, a perceção de Portugal como um país seguro e o ‘Brexit’ estarão a contribuir para o aumento da imigração”.

Apesar disso, os indicadores de atratividade de talento compilados recentemente pela OCDE, colocam Portugal numa posição intermédia, sugerindo que, num contexto de integração crescente de mercados a nível global, o país terá de reforçar as condições internas de competitividade se quiser melhorar o seu desempenho na atração e retenção de jovens em idade ativa.

ZAP // //

PARTILHAR

RESPONDER

A Casa Branca contratou para a NOAA cientistas que defendem que as mudanças climáticas "são uma mentira"

Funcionários do governo norte-americano terão abordado cientistas com historial de críticas regulares sobre as mudanças climáticas causadas pelo homem, aos quais foram propostos cargos de gestão na NOAA. Segundo especialistas citados pela E&E News, esta …

United quase pede para Dalot sair

Adeptos pensavam que o português nunca mais ia jogar pela equipa principal do Manchester United. Jogou na Taça da Liga e não convenceu. O Manchester United seguiu para os quartos-de-final para a Taça da Liga inglesa, …

Testemunhas revelam que agentes de inteligência dos EUA consideraram sequestrar (e envenenar) Assange

Testemunhas anónimas revelaram em tribunal que planos para envenenar ou sequestrar Julian Assange da embaixada do Equador foram discutidos entre fontes da inteligência dos Estados Unidos e uma empresa de segurança privada que espiou o …

"Assassino do Twitter" assume ter matado 8 mulheres que partilharam pensamentos suicidas

O caso está a chocar o Japão. Perante o Tribunal de Tóquio, Takahiro Shiraishi declarou-se culpado, após ter assassinado e esquartejado oito mulheres e um homem em 2017. O assassino conheceu as vítimas através da rede …

"Como me mudar para o Canadá?" É o que os norte-americanos querem saber depois do debate presidencial

Depois do debate presidencial ficar marcado por diversas interrupções e insultos entre os candidatos à Casa Branca, são muitos os americanos a sentirem-se tentados a abandonar o país, e já escolherem o destino: o Canadá. Ao …

"Não toleramos insultos": Equipa abandona jogo decisivo ao intervalo

Comentário sobre a homossexualidade de um futebolista antecipou o final de um jogo de futebol. A mesma equipa tinha protestado outro encontro devido a insulto racista. O jogo de futebol entre San Diego Loyal e Phoenix …

Cofina condenada a pagar 3 milhões de euros ao Fisco

A Cofina, que detém o Correio da Manhã, a CMTV, a Sábado e o Jornal de Negócios, vai ter de pagar três milhões de euros à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) após ter perdido o …

Desfasamento do horário vigora até 31 de março de 2021 (e pode ser prolongado)

O regime excecional que contempla o desfasamento de horários vigora até 31 de março de 2021, podendo ser prolongado, e os trabalhadores sem transportes públicos que lhe permitam cumprir o horário podem opor-se. O diploma que …

Mário Centeno vai dar aulas na Universidade Nova

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, vai dar aulas na Universidade Nova, em Campolide, Lisboa, avança o jornal Público esta quinta-feira. O antigo ministro das Finanças do Governo de António Costa vai lecionar a …

ADSE quer pagar reembolsos atrasados em menos de dois meses

A ADSE quer resolver os atrasos de largos meses que se verificam nos reembolsos das despesas que os beneficiários fazem no regime livre em menos de dois meses. De acordo com o semanário Expresso, a intenção …