A maior cratera da Lua está a revelar segredos da formação lunar (e têm “implicações tremendas”)

Marshall Space Flight Center / NASA

Uma cratera que cobre quase um quarto da superfície da Lua revelou novas informações sobre como o satélite natural da Terra se formou – e as descobertas têm implicações tremendas.

De acordo com o ScienceAlert, uma nova análise do material ejetado do impacto da bacia do Polo Sul-Aitken permitiu aos cientistas refinar a linha do tempo do desenvolvimento do manto lunar e da crosta, usando tório radioativo para descobrir a ordem dos eventos.

Numa Lua totalmente coberta de cicatrizes de impacto, a bacia do Polo Sul-Aitken destaca-se. Com 2.500 quilómetros de diâmetro e até 8,2 quilómetros de profundidade, é uma das maiores crateras de impacto do Sistema Solar.



A cratera foi produzida por um impacto gigante há cerca de 4,3 mil milhões de anos, quando o Sistema Solar ainda era “um bebé”. Neste momento, a Lua ainda estava quente e maleável e o impacto teria “espalhado” uma quantidade significativa de material debaixo da superfície.

Uma equipa de cientistas realizou uma nova simulação do padrão de respingo do impacto do Polo Sul-Aitken e descobriu que o local onde o material ejetado deveria ter caído corresponde a depósitos de tório na superfície lunar.

Uma das coisas mais peculiares sobre a Lua é que o lado próximo e o lado oculto são muito diferentes um do outro. O lado que está sempre virado para a Terra está coberto de manchas escuras, que correspondem aos mares lunares, amplas planícies de basalto escuro da atividade vulcânica antiga dentro da Lua.

Em contraste, o lado oposto é muito mais pálido, com menos manchas de basalto e muito mais crateras. A crosta também é mais espessa e tem uma composição diferente.

A maior parte do tório aparece no lado próximo da Terra, por isso a sua presença é geralmente interpretada como relacionada com essa diferença entre os dois lados. Porém, o material ejetado do impacto Polo Sul-Aitken conta uma história diferente.

O tório da Lua foi depositado durante um período conhecido como Oceano Magma Lunar. Nesta época, há cerca de 4,5 a 4,4 mil milhões de anos, acredita-se que a Lua estava coberta por rocha derretida, que gradualmente arrefeceu e solidificou.

Durante esse processo, os minerais mais densos afundaram na parte inferior da camada fundida, para formar o manto, e elementos mais leves flutuaram para o topo, para formar a crosta.

Como o tório não é facilmente incorporado nas estruturas minerais, teria permanecido na camada derretida imprensada entre essas duas camadas, apenas afundando em direção ao núcleo durante ou após a cristalização da crosta e do manto.

De acordo com a nova análise, quando o impacto Polo Sul-Aitken atingiu, escavou tório dessa camada, espalhando-o pela superfície lunar no lado próximo.

Isso significa que o impacto teria ocorrido antes que a camada de tório se afundasse e sugere que a camada de tório deve ter sido distribuída globalmente, em vez de estar concentrada no lado lunar próximo.

O impacto do Polo Sul-Aitken também derreteu rochas de maiores profundidades do que o material ejetado. Em termos de composição, é muito diferente do material pulverizado na superfície, com muito pouco tório. Por sua vez, isto sugere que o manto superior tinha duas camadas de composição distintas no momento do impacto que foram expostas de formas diferentes.

O material de respingo de impacto já foi coberto por mais de quatro mil milhões de anos de crateras, intemperismo e atividade vulcânica, mas a equipa conseguiu localizar vários depósitos de tório intocados em crateras de impacto recentes.

“A formação do Polo Sul-Bacia de Aitken está entre os eventos mais antigos e importantes da história lunar. Não só afetou a evolução térmica e química do manto lunar, mas também preservou materiais do manto heterogéneo na superfície lunar na forma de material ejetado e derretimento por impacto”, escreveu a equipa de investigadores liderada pelo geólogo planetário Daniel Moriarty, do Goddard Space Flight Center da NASA.

“À medida que entramos numa nova era de exploração lunar internacional e comercial, esses materiais do manto na superfície lunar devem ser considerados entre os alvos de mais alta prioridade para o avanço da ciência planetária.”

“Estes resultados têm implicações importantes para a compreensão da formação e evolução da Lua”, remataram.

Este estudo foi publicado na revista científica JGR Planets.

  //

PARTILHAR

RESPONDER

México venceu, apesar de não deixarem os jogadores dormir

Adeptos de El Salvador acrescentaram um episódio à rivalidade com o México. Corona começou no banco mas entrou logo aos 20 minutos. O México continua o seu percurso vitorioso rumo à fase final do Mundial 2022. …

“Esqueceram-se de nós". Bombeiros fazem greve de dois dias em novembro devido ao OE

Os bombeiros profissionais marcaram greve para os dias 11 e 12 novembro para contestarem a proposta de Orçamento do Estado para 2022, que "se esqueceu completamente" da classe, anunciaram hoje a associação e o sindicato …

Professores do Uganda deixam as salas de aula para se tornarem fabricantes de caixões low-cost

Quando a covid-19 obrigou ao encerramento das escolas no Uganda, Livingstone Musaala abriu mão do seu trabalho como professor de matemática para se dedicar à construção de caixões de valor acessível - numa altura em …

Casos de covid-19 entre os alunos mais novos não aumentaram no primeiro mês de aulas

Um mês depois do início do ano letivo, não se registou um aumento de casos de covid-19 entre os alunos mais novos. De acordo com o jornal Público, o regresso ao ensino presencial não se refletiu …

Imagem procurava mostrar que "Portugal e Espanha são mais fortes quando estão juntos", disse Vox a Ventura

O líder do Chega afirmou hoje que o Vox lhe transmitiu que, ao partilhar uma imagem da dinastia filipina onde mostra Portugal anexado por Espanha, pretendia mostrar que os dois países “são mais fortes quando …

Em La Palma, empresas usam drones para alimentar animais isolados pela lava

Duas empresas espanholas utilizam drones para alimentar os animais que estão encurralados no meio da lava lançada pelo vulcão de La Palma. Numa altura em que a lava se estende pela ilha a um ritmo muito …

CDS acusa Governo de comprar voto do PAN no OE com medida sobre as touradas

A deputada do CDS-PP Cecília Meireles acusou esta quinta-feira o Governo de estar a comprar o voto do PAN no Orçamento do Estado para 2022 com a proibição das touradas para menores de 16 anos. Na …

Se for eleita, Le Pen irá desmantelar as turbinas eólicas

A candidata à presidência francesa Marine Le Pen disse que, se for eleita presidente no próximo ano, acabará com todos os subsídios destinados às energias renováveis e derrubará as turbinas eólicas. Marine Le Pen, candidata do …

Sonae admite ser "inevitável" aumento de custos devido à subida do preço dos combustíveis

O administrador da Sonae MC Miguel Águas afirmou hoje que "é inevitável" que haja aumentos de custos ao longo da cadeia devido à subida do preço do combustível, mas trabalha para que "impacto não seja …

Entre promessas por cumprir e a saída do Afeganistão, Biden está a perder popularidade - e os Democratas estão preocupados

Já desde Agosto que a popularidade de Joe Biden tem estado em queda e a perda de energia nos eleitores independentes está a preocupar os Democratas na preparação para as intercalares do próximo ano. Uma …