Os macacos-prego podem ter tido a sua própria Idade da Pedra há 3.000 anos

tfalotico / Flickr

Sapajus libidinosus

Num vale remoto do Parque Nacional da Serra da Capivara, no Brasil, um grupo de macacos-prego usa pedras redondas de quartzo para abrir as castanhas-de-caju. Os arqueólogos encontraram ferramentas com, pelo menos, 3.000 anos.

Uma comunidade de macacos-prego (Sapajus libidinosus) do Parque Nacional da Serra da Capivara, no Brasil, faz uso de ferramentas para abrir castanhas-de-caju e sementes há, pelo menos, 3.000 anos e adaptou a sua técnica a diferentes alimentos ao longo do tempo.

Esta não é a mais antiga prova do uso de ferramentas por parte destes animais, uma vez que os chimpanzés da Costa do Marfim usam utensílios de pedra deste género há mais de 4.000 anos. Ainda assim, há algo de especial nesta descoberta.

Durante cerca de 450 gerações, os macacos que passaram por este parque adaptaram as suas ferramentas. A mais recente escavação arqueológica revelou 122 artefactos de pedra de vários tamanhos, com marcas de impacto, superfícies esmagadas, resíduos presos e outros sinais de que tinham sido, de facto, usados como ferramentas.

Os arqueólogos acreditam que cada tamanho era adequado a uma diferente dureza ou tipo de alimento. Além disso, os cientistas afirmam que este é o primeiro exemplo da variação de uma ferramenta a longo prazo. Os seres humanos, enquanto espécie, não são os únicos a ter um registo arqueológico detalhado, e isso “é realmente interessante”, disse o co-autor do artigo científico, Tomos Proffitt, à National Geographic.

As ferramentas mais antigas encontradas neste local são relativamente pequenas e leves, apesar de estarem muito danificadas em quase todas as superfícies. Além disso, não apresentavam qualquer vestígio de caju. Por esse motivo, os cientistas sugerem que este tipo de utensílios foi utilizado para fontes de alimentos menores do que as castanhas-de-caju, criando mais cortes e arranhões na pedra.

Mas, há 300 anos, tudo mudou: as pedras que os macacos-prego usavam nesta altura para martelar eram muito maiores, até maiores do que as usadas atualmente. Esta descoberta sugere que os animais ainda não estavam de olho nas castanhas de caju.

A atividade destes macacos “concentrou-se menos nos cajus e mais na abertura de alimentos mais duros“, lê-se no estudo, publicado recentemente na Nature Ecology & Evolution.

Na mais recente mudança, ocorrida no último século, o tamanho das ferramentas voltou a diminuir, assemelhando-se ao das usadas pelos macacos-prego contemporâneos. “Esta descoberta apresenta o primeiro exemplo de variação no uso de ferramentas a longo prazo fora da linhagem humana”, escreveram os investigadores.

Os cientistas desconhecem as razões exatas para esta mudança nas ferramentas, mas apresentam duas alternativas para explicá-la. Uma delas é que diferentes grupos de macacos-prego, com diferentes comidas favoritas, ocuparam o local em diferentes épocas. Outra é que um único grupo poderia ter ocupado o sítio de forma mais ou menos contínua, e a mudança nas ferramentas pode refletir uma alteração na disponibilidade dos alimentos.

É muito difícil interpretar estes resultados uma vez que os macacos não alteraram a sua técnica de martelar – apenas o tamanho do martelo. Apesar disso, estes animais podem ter tido a sua própria “Idade da Pedra” e ter criado diferentes ferramentas para fins distintos.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Putin diz que Internet pode destruir a sociedade se não for regida pela moral

 Internet pode destruir a sociedade a partir se não não for regida por valores e leis da moral, considerou Vladimir Putin. O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, advertiu que a Internet pode destruir a sociedade a …

China torna-se o primeiro país do mundo a ter mais de mil multimilionários

A China tornou-se o primeiro país do mundo a ultrapassar a marca dos mil multimilionários, tendo neste momento um total de 1058 pessoas que têm a sorte de poder fazer parte desse grupo restrito. De acordo …

Gil Vicente 0-2 Porto | Vida fácil para o “dragão” em Barcelos

O FC Porto venceu o Gil Vicente em Barcelos, por 2-0. Pepe e Corona saíram ao intervalo com problemas físicos. O Porto foi a Barcelos conquistar três pontos de forma tranquila, perante um Gil Vicente que …

Na Índia, o comércio ilegal de burros está a crescer. A sua carne é considerada afrodisíaca

Viagra? Não, a população do estado de Andhra Pradesh, na Índia, tem um novo método para aumentar o desejo sexual: carne de burro. Esta crença está a fazer com que o comércio ilegal de carne …

Com as fronteiras fechadas, companhia aérea australiana lança "voos mistério"

A companhia aérea australiana Qantas anunciou “voos mistério”, nos quais os passageiros não fazem ideia para onde vão, numa tentativa de atrair mais clientes. As fronteiras internacionais da Austrália estão atualmente fechadas e parece improvável que …

Açores e Madeira acusam DGS de não usar dados verdadeiros nos boletins

A Direção Regional da Saúde (DRS) da Madeira garantiu que os números reportados no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) esta sexta-feira não correspondem à realidade. A DRS dos Açores também assume a existência …

Resorts do Reino Unido criaram uma lista de "hóspedes indesejáveis" (com nomes irlandeses)

Uma rede de resorts da Grã-Bretanha tinha uma lista de "hóspedes indesejáveis" com apelidos irlandeses numa tentativa de impedir a entrada de membros da comunidade de viajantes irlandeses (Pavee). Esta notícia foi avançada por uma investigação …

Tensão entre China e Austrália pode beneficiar Portugal na exportação de vinho

Em novembro, a China impôs tarifas paralisantes sobre o vinho australiano. Portugal pode ser o beneficiado desta "guerra" alfandegária. O presidente da Associação Comercial Internacional para os Mercados Lusófonos (ACIML) disse, este sábado, à Lusa que …

Índice de transmissibilidade sobe. É de 0,71 em Portugal Continental (e acima de 1 nas ilhas)

O índice de transmissibilidade da covid-19 subiu ligeiramente a nível nacional nas últimas duas semanas. Entre 24 e 28 de fevereiro, o índice foi de 0,71. O índice médio de transmissibilidade (Rt) do vírus SARS-CoV-2 está …

Museu Neandertal responde a Joe Biden. "Eram mais espertos do que pensa"

O Museu Neandertal, na Alemanha, endereçou um convite ao Presidente norte-americano Joe Biden, depois de o governante ter considerado a decisão do governador do Texas de acabar com a obrigatoriedade de utilização de máscara um …