Os macacos-prego podem ter tido a sua própria Idade da Pedra há 3.000 anos

tfalotico / Flickr

Sapajus libidinosus

Num vale remoto do Parque Nacional da Serra da Capivara, no Brasil, um grupo de macacos-prego usa pedras redondas de quartzo para abrir as castanhas-de-caju. Os arqueólogos encontraram ferramentas com, pelo menos, 3.000 anos.

Uma comunidade de macacos-prego (Sapajus libidinosus) do Parque Nacional da Serra da Capivara, no Brasil, faz uso de ferramentas para abrir castanhas-de-caju e sementes há, pelo menos, 3.000 anos e adaptou a sua técnica a diferentes alimentos ao longo do tempo.

Esta não é a mais antiga prova do uso de ferramentas por parte destes animais, uma vez que os chimpanzés da Costa do Marfim usam utensílios de pedra deste género há mais de 4.000 anos. Ainda assim, há algo de especial nesta descoberta.

Durante cerca de 450 gerações, os macacos que passaram por este parque adaptaram as suas ferramentas. A mais recente escavação arqueológica revelou 122 artefactos de pedra de vários tamanhos, com marcas de impacto, superfícies esmagadas, resíduos presos e outros sinais de que tinham sido, de facto, usados como ferramentas.

Os arqueólogos acreditam que cada tamanho era adequado a uma diferente dureza ou tipo de alimento. Além disso, os cientistas afirmam que este é o primeiro exemplo da variação de uma ferramenta a longo prazo. Os seres humanos, enquanto espécie, não são os únicos a ter um registo arqueológico detalhado, e isso “é realmente interessante”, disse o co-autor do artigo científico, Tomos Proffitt, à National Geographic.

As ferramentas mais antigas encontradas neste local são relativamente pequenas e leves, apesar de estarem muito danificadas em quase todas as superfícies. Além disso, não apresentavam qualquer vestígio de caju. Por esse motivo, os cientistas sugerem que este tipo de utensílios foi utilizado para fontes de alimentos menores do que as castanhas-de-caju, criando mais cortes e arranhões na pedra.

Mas, há 300 anos, tudo mudou: as pedras que os macacos-prego usavam nesta altura para martelar eram muito maiores, até maiores do que as usadas atualmente. Esta descoberta sugere que os animais ainda não estavam de olho nas castanhas de caju.

A atividade destes macacos “concentrou-se menos nos cajus e mais na abertura de alimentos mais duros“, lê-se no estudo, publicado recentemente na Nature Ecology & Evolution.

Na mais recente mudança, ocorrida no último século, o tamanho das ferramentas voltou a diminuir, assemelhando-se ao das usadas pelos macacos-prego contemporâneos. “Esta descoberta apresenta o primeiro exemplo de variação no uso de ferramentas a longo prazo fora da linhagem humana”, escreveram os investigadores.

Os cientistas desconhecem as razões exatas para esta mudança nas ferramentas, mas apresentam duas alternativas para explicá-la. Uma delas é que diferentes grupos de macacos-prego, com diferentes comidas favoritas, ocuparam o local em diferentes épocas. Outra é que um único grupo poderia ter ocupado o sítio de forma mais ou menos contínua, e a mudança nas ferramentas pode refletir uma alteração na disponibilidade dos alimentos.

É muito difícil interpretar estes resultados uma vez que os macacos não alteraram a sua técnica de martelar – apenas o tamanho do martelo. Apesar disso, estes animais podem ter tido a sua própria “Idade da Pedra” e ter criado diferentes ferramentas para fins distintos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Islândia está a tentar trazer de volta árvores cortadas pelos Vikings

Numa tentativa de reflorestar o país, a Islândia está a tentar trazer de volta as árvores derrubadas pelos Vikings no passado. É o país menos florestado da Europa. As árvores na Islândia são tão raras e …

Parlamento encerra trabalhos com reunião-maratona de sete ou oito horas

O parlamento encerra, na sexta-feira, a legislatura com uma reunião plenária que começa às 09:00, para vários debates e uma “maratona” de votações, e deverá prolongar-se, no total, sete a oito horas, até às 17:00. A …

EUA. Florida recruta insetos para matar plantas invasoras

A Florida, nos Estados Unidos (EUA), está a importar insetos para travar as espécies invasoras que estão a destruir as plantas do Parque Nacional de Everglades. Estes insetos parecem ser menos prejudiciais do que as …

Falcao colocado na órbita do FC Porto

O avançado do Mónaco está a ser apontado pela imprensa francesa como possível reforço do FC Porto. De acordo com o portal Le10Sport, os dragões estão no mercado a tentar garantir a contratação de Radamel Falcao, internacional …

TAP deu prémios em ano de prejuízos quando era totalmente pública

O presidente executivo da TAP disse que os prémios atribuídos relacionam-se com a melhoria de indicadores e que não é a primeira vez que a companhia paga prémios em ano de prejuízos, incluindo quando era …

MP pede à Hungria extensão do Mandado de Detenção Europeu de Rui Pinto

O Ministério Público (MP) pediu à Hungria o alargamento do Mandado de Detenção Europeu (MDE) de Rui Pinto para assim poder acusar o colaborador do Football Leaks por novos factos apurados na investigação relacionada com …

Alcochete. Bruno de Carvalho está na lista internacional de terroristas

Juntamente com os outros 43 arguidos do processo do ataque à Academia de Alcochete, Bruno de Carvalho, antigo presidente do Sporting CP, está na lista internacional de terroristas. A advogada de Fernando Mendes, antigo líder da …

O primeiro golfinho boto-branco ibérico visitou praias de Matosinhos e Porto. Chama-se Gaspar

O primeiro golfinho boto-branco registado na Península Ibérica tem visitado as praias do Porto e de Matosinhos e, além de ser bastante "sociável", os pescadores acreditam tratar-se de uma fêmea por já o terem avistado …

Centro nos EUA com condições "cruéis e ilegais" mantém quase 2 mil crianças detidas

A Amnistia Internacional (AI) denunciou nesta quinta-feira as condições "cruéis e ilegais" em que vivem quase duas mil crianças migrantes, a maior parte desacompanhada, num centro de detenção em Homestead, na Florida, Estados Unidos (EUA), …

Governo vai agravar penalização por uso do telemóvel ao volante

O Governo anunciou esta quinta-feira que está a fazer “alterações cirúrgicas” ao Código da Estrada que passam por agravar a penalização ao uso do telemóvel durante a condução e reduzir o período de notificação das …