Em Liverpool, enquanto uma equipa foi campeã, outra foi deixada ao abandono

Esta temporada, o Liverpool sagrou-se campeão da liga inglesa. Por outro lado, a equipa feminina dos Reds foi negligenciada e terminou no último lugar do campeonato.

Depois de um jejum de 30 anos, o Liverpool voltou a ser campeão inglês. Em circunstâncias sem precedentes impostas pela pandemia de covid-19, os Reds viram o título cair-lhes no colo, na semana passada, após a derrota do Manchester City em Stamford Bridge. A Premier League ainda não terminou, mas a caminhada do Liverpool roça a perfeição: 28 vitórias, dois empates e uma derrota.

No entanto, em Liverpool, existem duas realidades bem diferentes. Se de um lado temos uma equipa que quase só sabe o que é vencer – quase alcançando a invencibilidade da equipa do Arsenal de 03/04 -, do outro temos uma equipa praticamente deixada ao abandono. Trata-se da equipa de futebol feminino.

A FA Women’s Super League, a principal liga de futebol feminino inglês, foi interrompida devido ao novo coronavírus e nunca mais voltou. O Chelsea levou a melhor numa corrida ao título com Manchester City e Arsenal. Do lado oposto da tabela classificativa, no último lugar, ficou o Liverpool.

A equipa feminina dos Reds está longe de ter os mesmos apoios do que os seus colegas masculinos. Em 14 jogos disputados para o campeonato, o Liverpool somou apenas um triunfo. Perdeu em dez ocasiões e empatou três jogos. Marcou apenas oito golos, mas defensivamente não foi desastroso, ficando-se pelos 20 golos sofridos.

A situação da equipa feminina do emblema de Liverpool só piorou em maio, quando uma enxurrada de jogadoras em final de contrato abandonaram o clube, escreve o jornal norte-americano The New York Times. Jogadoras como Christie Murray e Courtney Sweetman-Kirk justificaram a sua saída com a vontade de estar num sítio em que pudessem voltar a sentir o amor pelo futebol. Em Liverpool tornara-se impossível.

Ao sair do clube, Sweetman-Kirk mencionou não apenas a falta de investimento do clube, mas também a falta de importância atribuída à equipa feminina.

Enquanto a direção do Liverpool gasta quase 350 milhões de euros em salários com a equipa masculina, a realidade é bem diferentes para as mulheres. Apenas dez membros da equipa técnica eram considerados funcionários a tempo inteiro e as jogadores chegaram a estar alojadas em condições alegadamente precárias.

As críticas ao desinteresse na equipa de futebol feminino levaram o Liverpool a tomar algumas medidas para remediar a situação, mas a equipa continuava a ser uma mera sombra da equipa masculina. A direção argumentava que, embora não fossem as ideais, as condições oferecidas condiziam com as outras equipa da metade superior da tabela.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

China parece ter controlado segunda vaga de coronavírus em 21 dias, sem registar mortes

A China parece ter controlado a segunda vaga de covid-19 após um surto que começou num mercado de Pequim, em junho, e que levou a pelo menos 328 novos casos e ao encerramento parcial da …

Guerra aberta pelo ouro da Venezuela em Inglaterra. Maduro ordena investigação ao "roubo"

Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela, ordenou uma "investigação penal" ao que denomina "o roubo de ouro venezuelano" que está depositado no Banco Central de Inglaterra. Esta é a resposta do governante depois de o Tribunal …

Hospitais da Papua-Nova Guiné recusam atender grávidas. Médico aconselha mulheres a evitar gravidez

Um obstetra da Papua-Nova Guiné aconselhou as mulheres daquele país a não engravidarem nos próximos dois anos, revelando que o medo de transmissão do coronavírus tem levado os hospitais a recusarem atender grávidas. Segundo noticiou esta …

China vai encerrar gradualmente todos os mercados de aves vivas

A China vai fechar gradualmente todos os mercados onde aves vivas são vendidas, visando reduzir os riscos para a saúde pública, informou hoje a imprensa oficial. Chen Xu, alto funcionário da Administração Estatal de Regulação do …

Em 33 anos, Amazónia perdeu 72,4 milhões de hectares de floresta. O equivalente ao território do Chile

A floresta amazónica, presente em nove países da América do Sul, perdeu 72,4 milhões de hectares de cobertura vegetal entre 1985 e 2018, uma área equivalente ao território do Chile, segundo dados divulgados na quinta-feira …

Decisão do Reino Unido é "absurda", "errada" e "desapontante"

O chefe da diplomacia portuguesa considerou hoje a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais” como um “absurdo”, “errada” e que causa “muito desapontamento”, trazendo ainda graves consequências económicas e …

"Peixe racista". Estátua da Pequena Sereia novamente vandalizada

A icónica estátua da "Pequena Sereia" em Copenhaga, um dos monumentos mais famosos da Dinamarca, foi novamente vandalizada, ao ter sido pintada com uma frase antirracismo, divulgou hoje a polícia dinamarquesa. “A Pequena Sereia foi vandalizada …

Itália admite segunda vaga e defende restrições a viagens

Itália abriu esta terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições. O ministro da Saúde de Itália afirmou, esta quinta-feira, não poder afastar uma segunda …

Menos férias e mais dias de aulas para quem não tem exames no próximo ano letivo

O próximo ano letivo vai ter menos dias de férias e mais dias de aulas para os alunos que não tenham exames. Os alunos terão aulas presenciais e aulas à distância. O ministro da Educação, Tiago …

FC Porto revela camisola para a próxima época (e as opiniões dividem-se)

O FC Porto revelou a camisola oficial do clube para a próxima temporada. Pelas redes sociais, as opiniões dividem-se, havendo quem não esteja satisfeito com a mudança. Os adeptos portistas acordaram esta sexta-feira com a imagem …