Justiça francesa investiga alegado emprego fictício da mulher de François Fillon

Ian Langsdon / EPA

François Fillon

François Fillon

A justiça francesa abriu esta quarta-feira um inquérito a alegações de que o candidato da direita às presidenciais criou um emprego fictício para a mulher, pagando-lhe 500 mil euros de fundos parlamentares ao longo de oito anos.

François Fillon, primeiro-ministro durante a Presidência de Nicolas Sarkozy (2007-2012), é um dos favoritos às presidenciais de abril e maio de 2017 e as sondagens colocam-no como provável adversário da líder da extrema-direita, Marine Le Pen, na segunda volta.

O inquérito, por “uso indevido de fundos públicos”, foi desencadeado por uma notícia do jornal satírico “Le Canard Enchaîné”, segundo a qual Penelope Fillon terá “recebido cerca de 500 mil euros brutos” em oito anos na qualidade de assessora parlamentar do marido, apesar de nunca ter exercido essas funções.

Segundo o semanário, que diz ter tido acesso aos recibos de vencimento de Penelope Fillon, o caso passou-se entre 1998 e 2002, quando Fillon foi deputado pela região de Sarthe (noroeste), de onde é natural. Penelope Fillon auferiu um salário mensal de 3.900 euros brutos até 2001 e de 4.600 euros brutos no ano seguinte.

Quando Fillon foi nomeado ministro em 2002 pelo Presidente Jacques Chirac, a mulher passou a ser assessora de Marc Joulaud, que substituiu o marido no parlamento. Segundo o “Canard Enchaîné”, Penelope Fillon foi aumentada, passando a auferir entre 6.900 e 7.900 euros brutos por mês.

O jornal escreve que, nesse período, Penelope Fillon apresentava-se como doméstica e que não há memória de ter trabalhado na Assembleia Nacional. Cita, nomeadamente, uma assessora de Joulaud, que disse “nunca ter trabalhado” com ela e só a conhecer “como mulher de um ministro”.

O semanário escreve ainda que Fillon voltou a empregar a mulher quando foi deputado por Paris, por pelo menos seis meses em 2012, com uma remuneração de 4.600 euros.

Os deputados franceses podem contratar familiares, desde que estes exerçam efetivamente as funções pelas quais são remunerados. Fillon, que tem assentado a sua campanha na defesa da transparência, negou qualquer irregularidade e acusou o semanário de misoginia.

“Não vou comentar porque não há nada a comentar. Mas estou chocado com esta história desprezível e misógina. Só porque é minha mulher não devia poder trabalhar? Conseguem imaginar um político dizer, como diz esta história, que uma mulher só sabe fazer compotas? As feministas iam gritar”, disse o candidato conservador durante uma visita a Bordéus (sudoeste).

Um porta-voz de Fillon, Philippe Vigier, insistiu horas antes que o emprego de Penelope Fillon não era fictício.

O candidato favorito às primárias da esquerda francesa, Benoit Hamon, propôs que os deputados deixem de poder empregar e remunerar familiares. “Os deputados deviam deixar de poder contratar os filhos, primos, mulheres ou outros familiares”, disse Hamon.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Hong Kong: Reforço policial, Parlamento suspenso e escolas fechadas

O Parlamento de Hong Kong foi suspenso, esta quarta-feira, e a segurança foi reforçada na cidade e nos campus universitários, com as escolas a fecharem num momento em que prosseguem os confrontos entre manifestantes e …

Debate quinzenal: Políticas de rendimento, Rio ao ataque com o lítio e a primeira vitória dos pequenos

Os debates quinzenais com o primeiro-ministro regressam esta quarta-feira. António Costa vai abrir o debate com uma intervenção sobre "políticas de rendimento", mas as atenções estão centradas na primeira vitória dos pequenos partidos. As políticas de …

Governo vai propor 635 euros para salário mínimo em 2020. Proposta não agrada patrões

Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, vai apresentar esta quarta-feira na Concertação Social a proposta de aumento para o salário mínimo nacional para 2020, com uma atualização de 35 euros. Esta quarta-feira, …

Novo alvo do Sporting consumia e traficava droga (e tentaram matá-lo seis vezes)

Michael, jogador de 23 anos do Goiás, é alvo do Sporting já neste mercado de transferências de inverno. O brasileiro teve uma adolescência marcada pelo consumo e tráfico de drogas. Aos 23 anos de idade, Michael …

O misterioso monstro Tully acabou de ficar ainda mais misterioso

Uma nova investigação desmente um anterior estudo que argumentava que Tully era um vertebrado. A verdadeira natureza desde "monstro" continua um mistério para a comunidade científica. De vez em quando, os cientistas descobrem fósseis que são …

Vítor Pereira condenado a oito meses de prisão com pena suspensa

O treinador português foi condenado, esta terça-feira, a oito meses de prisão com pena suspensa, na Grécia, por incitamento à violência. Vítor Pereira foi condenado pela justiça grega a oito meses de prisão, com pena suspensa, …

Hospital da Cruz Vermelha pode vir a ser vendido à Santa Casa da Misericórdia

A Cruz Vermelha Portuguesa quer vender o respetivo hospital, em Lisboa, e a Santa Casa da Misericórdia da capital está interessada na aquisição. A Cruz Vermelha acredita que a venda pode acontecer até ao final do …

Tribunal de recurso absolve Benfica de jogo à porta fechada

O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa absolveu o Benfica das penas de disputar um jogo à porta fechada e do pagamento de uma multa de 56.250 euros, pelo seu relacionamento com grupos organizados de …

Senadora da oposição declara-se Presidente interina da Bolívia. Morales fala no “golpe mais matreiro e nefasto da história”

A senadora da oposição Jeanine Áñez assumiu esta terça-feira a Presidência interina da Bolívia, depois da renúncia de Evo Morales, numa sessão parlamentar que decorreu sem a presença de representares do Movimento para o Socialismo. Segundo …

Cientistas implantaram chip no cérebro de um paciente para ajudá-lo a superar o vício em opióides

West Virginia é o Estado norte-americano com a maior taxa de mortes relacionadas com opióides. Agora, é também o primeiro a usar estimulação cerebral profunda para combater este vício. A Universidade de West Virginia, nos Estados …