Justiça francesa investiga alegado emprego fictício da mulher de François Fillon

Ian Langsdon / EPA

François Fillon

François Fillon

A justiça francesa abriu esta quarta-feira um inquérito a alegações de que o candidato da direita às presidenciais criou um emprego fictício para a mulher, pagando-lhe 500 mil euros de fundos parlamentares ao longo de oito anos.

François Fillon, primeiro-ministro durante a Presidência de Nicolas Sarkozy (2007-2012), é um dos favoritos às presidenciais de abril e maio de 2017 e as sondagens colocam-no como provável adversário da líder da extrema-direita, Marine Le Pen, na segunda volta.

O inquérito, por “uso indevido de fundos públicos”, foi desencadeado por uma notícia do jornal satírico “Le Canard Enchaîné”, segundo a qual Penelope Fillon terá “recebido cerca de 500 mil euros brutos” em oito anos na qualidade de assessora parlamentar do marido, apesar de nunca ter exercido essas funções.

Segundo o semanário, que diz ter tido acesso aos recibos de vencimento de Penelope Fillon, o caso passou-se entre 1998 e 2002, quando Fillon foi deputado pela região de Sarthe (noroeste), de onde é natural. Penelope Fillon auferiu um salário mensal de 3.900 euros brutos até 2001 e de 4.600 euros brutos no ano seguinte.

Quando Fillon foi nomeado ministro em 2002 pelo Presidente Jacques Chirac, a mulher passou a ser assessora de Marc Joulaud, que substituiu o marido no parlamento. Segundo o “Canard Enchaîné”, Penelope Fillon foi aumentada, passando a auferir entre 6.900 e 7.900 euros brutos por mês.

O jornal escreve que, nesse período, Penelope Fillon apresentava-se como doméstica e que não há memória de ter trabalhado na Assembleia Nacional. Cita, nomeadamente, uma assessora de Joulaud, que disse “nunca ter trabalhado” com ela e só a conhecer “como mulher de um ministro”.

O semanário escreve ainda que Fillon voltou a empregar a mulher quando foi deputado por Paris, por pelo menos seis meses em 2012, com uma remuneração de 4.600 euros.

Os deputados franceses podem contratar familiares, desde que estes exerçam efetivamente as funções pelas quais são remunerados. Fillon, que tem assentado a sua campanha na defesa da transparência, negou qualquer irregularidade e acusou o semanário de misoginia.

“Não vou comentar porque não há nada a comentar. Mas estou chocado com esta história desprezível e misógina. Só porque é minha mulher não devia poder trabalhar? Conseguem imaginar um político dizer, como diz esta história, que uma mulher só sabe fazer compotas? As feministas iam gritar”, disse o candidato conservador durante uma visita a Bordéus (sudoeste).

Um porta-voz de Fillon, Philippe Vigier, insistiu horas antes que o emprego de Penelope Fillon não era fictício.

O candidato favorito às primárias da esquerda francesa, Benoit Hamon, propôs que os deputados deixem de poder empregar e remunerar familiares. “Os deputados deviam deixar de poder contratar os filhos, primos, mulheres ou outros familiares”, disse Hamon.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

SEF instaurou inspeção interna à morte de ucraniano, mas não detetou suspeitas de crime

Esta quarta-feira, o ministro da Administração Interna prestou esclarecimentos sobre a morte de um cidadão ucraniano à guarda do SEF, no aeroporto de Lisboa, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias. Eduardo Cabrita considerou …

Colocações no ensino superior adiadas para o final de setembro

Na sequência do adiamento nos calendários dos exames nacionais do ensino secundário, o acesso às licenciaturas é também atrasado. O calendário de acesso ao ensino superior vai ser atrasado em cerca de três semanas. Os resultados …

Rangel e outros 13 eurodeputados do PPE pedem expulsão de partido húngaro

O eurodeputado do PSD Paulo Rangel e outros 13 chefes de delegação do Partido Popular Europeu (PPE) pediram na terça-feira a expulsão do partido húngaro Fidesz, exigindo ao líder parlamentar daquela família política, Manfred Weber, …

Milhares pediram o cancelamento do TV Fest. Festival foi suspenso

O Ministério da Cultura criou um festival televisivo exclusivamente dedicado à música portuguesa em parceria com a RTP, mas o formato e os critérios estão a causar forte polémica no meio. Uma petição pública online …

Comércio internacional pode cair para níveis da Grande Depressão

A Organização Mundial do Comércio referiu na quarta-feira que o arrefecimento do comércio internacional provocado pela Covid-19 pode chegar aos níveis registados nos anos 30 devido à Grande Depressão. Segundo noticiou o Observador, na melhor das …

Loja de telemóveis apanhada a vender álcool gel com lucro até 400%

Os inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) encontraram, em Lisboa, uma loja de reparação e venda de acessórios para telemóveis a vender frascos de gel desinfetante de 500 ml a 24,95 euros …

Em Portimão, uma sirene toca quando alguém sai de casa sem justificação

A sirene do quartel dos Bombeiros de Portimão vai passar a tocar sempre que alguém sair de casa e andar na rua sem justificação. O anúncio foi feito pela Câmara Municipal de Portimão em comunicado. De …

Short Selling - ou como vender ações emprestadas para ganhar muito dinheiro

Vender ações da bolsa que não são suas é uma forma de ganhar bastante dinheiro. Esta forma de negociação, denominada short selling, é muito lucrativa mas implica algum risco, pelo que é prudente aconselhar-se junto …

"Nem mais um abuso". Grupo no Whatsapp servia para planear ataques à polícia em Espanha

Dois homens de 25 e 30 anos, os dois criadores de um grupo de Whatsapp que servia para planear ataques à polícia espanhola, foram detidos esta terça-feira. De acordo com o jornal espanhol El País, o …

Trabalhadores independentes que reduziram descontos da Segurança Social terão apoio mais baixo

Os trabalhadores independentes que optaram por reduzir em 25%, de forma fictícia, o rendimento sobre o qual incidem as contribuições, e que por isso descontaram menos, verão refletida essa diminuição no apoio que podem receber …