/

Juízes recusam suspender julgamento de Ricardo Salgado

2

Paulo Cunha / Lusa

O juiz que está a julgar o ex-presidente do Banco Espírito Santo (BES), no âmbito da Operação Marquês, recusou suspender o julgamento, depois de a defesa ter alegado o facto de ter sido diagnosticado Alzheimer ao seu cliente.

De acordo com a rádio Renascença, Ricardo Salgado vai continuar a ser julgado no âmbito da Operação Marquês, depois de o coletivo de juízes ter recusado o pedido da sua defesa.

Fonte judicial autorizada adiantou à rádio que o juiz-presidente do coletivo, Francisco Henriques, deu despacho, decidindo dar continuidade ao julgamento.

Na semana passada, a defesa do antigo banqueiro pediu a suspensão do processo no qual o ex-presidente do BES é arguido, fundamentando-o com um atestado médico a comprovar o diagnóstico de doença de Alzheimer.

Nos documentos, o especialista clínico que tem seguido o antigo banqueiro sustenta que “Ricardo Salgado tem apresentado um agravamento progressivo das limitações cognitivas e motoras descritas” desde julho de 2021 e que “o quadro clínico de defeito cognitivo que apresenta atualmente, nomeadamente o defeito de memória, limita a sua capacidade para prestar declarações em pleno uso das suas faculdades cognitivas”.

Entretanto, a agência Lusa teve acesso ao despacho assinado pelo juiz-presidente, que mostra que o coletivo concluiu que “não é indubitável que as capacidades de defesa do arguido estejam limitadas de tal forma que o impeçam de se defender de forma plena” em tribunal.

Simultaneamente, o presidente do coletivo de juízes entende que as afirmações do requerimento que indicam um estado de degradação do antigo presidente do BES, ao ponto de não ter capacidade para se defender ou não compreender o alcance do julgamento, “constituem uma petição de princípio que não têm sustentação no atestado médico” junto aos autos do processo.

Após cerca de um mês de interrupção, a retoma do julgamento de Ricardo Salgado está agendada para esta sexta-feira, 22 de outubro, com as audições das últimas testemunhas (Jean-Luc Schneider, Alain Rukavina e Ricardo Gaspar Rosado de Carvalho), sendo que para esse mesmo dia estão já previstas as alegações finais.

Salgado responde neste julgamento por três crimes de abuso de confiança, devido a transferências de mais de 10 milhões de euros no âmbito da Operação Marquês, do qual este processo foi separado.

  ZAP // Lusa

 

2 Comments

    • Não será preciso. Pode gozar da Liberdade mais uns largos Anos, os processos ficarão em hibernação até ao seu ultimo suspiro. E aí sim!… será condenado a titulo póstumo !

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.