Juan Carlos alvo de uma terceira investigação de corrupção

Paco Campos / EPA

O Rei Emérito de Espanha, Juan Carlos, com o filho, Rei Felipe VI de Espanha

O Ministério Público espanhol decidiu abrir uma terceira investigação a alegada corrupção que envolve o antigo rei Juan Carlos.

A procuradora-geral, Dolores Delgado, e o procurador-chefe anti-corrupção, Alejandro Luzon, disseram hoje a um grupo de jornalistas, num encontro informal, que a investigação ainda se encontra numa fase “embrionária”, mas que o inquérito será aberto em breve.

O Ministério Público tomou esta decisão depois de ter recebido há alguns dias um relatório com “informação financeira”, mas os dois responsáveis não quiseram dar mais informações.

No início desta semana, a procuradoria-geral anunciou uma segunda investigação sobre as finanças de Juan Carlos, depois do diário espanhol online elDiario.es ter noticiado que a procuradoria anti-corrupção estava a investigar a alegada utilização pelo antigo rei, a ex-rainha Sofia e outros membros da família real de cartões de crédito ligados a contas estrangeiras que não estavam em seu nome.

Juan Carlos começou por ser alvo de investigações em Espanha e na Suíça por possíveis delitos financeiros, que o levaram a abandonar o seu país, em agosto. Na altura, o ex-soberano escreveu numa carta pública ao seu filho, o atual rei, Felipe VI, que se ia mudar para o estrangeiro devido às “repercussões públicas de certos episódios” da sua vida privada.

Em junho, o Supremo Tribunal espanhol decidiu investigar as suspeitas de delito de corrupção do rei emérito na construção do comboio de alta velocidade entre Medina e Meca, na Arábia Saudita.

As investigações envergonharam e assustaram a família real espanhola, que receia uma diminuição da popularidade da instituição monárquica.

Juan Carlos desempenhou um papel fundamental na transição de Espanha para o regime democrático nos anos 70, quando substituiu o ditador Francisco Franco como chefe de Estado.

A sua vida luxuosa e os escândalos de corrupção que envolveram membros da família real têm levado a muitas críticas, principalmente depois da crise financeira de 2007.

Juan Carlos abdicou do trono, em 2014, a favor de Felipe VI para tentar inverter a diminuição da popularidade da monarquia.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.