Jornalista “intimidou” e Naomi Osaka chorou

RobPJKeating / Flickr

Naomi Osaka em treino

Naomi Osaka voltou a conversar com jornalistas mas houve uma pausa na conferência de imprensa: “O único propósito do jornalista foi intimidar”.

Naomi Osaka, que recusou estar em conferências de imprensa no Roland Garros deste ano e que acabou por abandonar o torneio em Paris, voltou a falar com jornalistas mas a conferência de imprensa foi interrompida. A tenista começou a chorar depois de uma troca de frases com um jornalista.

Naomi vai competir no torneio de Cincinnati, entrando diretamente para a segunda ronda do evento nos Estados Unidos da América.

Sem surpresa, a conversa desta segunda-feira com os jornalistas centrou-se na saúde mental e sobre a própria presença em conferências de imprensa. Até que foi a vez de Paul Daugherty, jornalista do The Cincinnati Enquirer. E o diálogo começou:

“Não gostas de lidar connosco, jornalistas, especialmente neste formato de conferência de imprensa. No entanto, tens muitos interesses externos que se servem de plataformas de comunicação social. Como equilibras estes dois lados?”

“Quando dizes que não gosto de lidar convosco, estás a falar do quê?” – Naomi quis entender melhor o jornalista.

“Bem, disseste que não gostas especialmente do formato das conferências de imprensa. Contudo, esse parece ser obviamente o formato de comunicação mais utilizado com os jornalistas e o mais utilizado para chegarmos até ao público”.

“Isso é interessante. Diria que o momento em que as conferências de imprensa são realizadas é que é o mais difícil para mim“.

Aqui houve uma pausa no discurso da tenista. O moderador presente na sala sugeriu avançar para outra pergunta mas a japonesa insistiu:

“Não. Estou realmente interessada nesta perspetiva. Podes repetir?”

E o jornalista repetiu: “Não és grande adepta de lidar com a comunicação social, especialmente neste formato. Sugeriste que há outras formas de falarmos, que deveríamos explorar mais. Mas a minha questão é: também tens outros interesses, fora do mundo do ténis, que utilizam as plataformas que a comunicação social disponibiliza. Por isso, achas que és capaz de equilibrar isso?

“Não posso falar por todos. Só posso falar por mim mas, desde que era mais nova, fui o alvo de muitos jornalistas. Eu diria que, sobre isso, sou muito diferente de muitas pessoas. Não posso evitar que haja algumas coisas que eu publique ou diga, que originem muitos artigos. Mas diria também que não tenho bem a certeza sobre como equilibrar esses dois lados. Só agora estou a reparar nisso“, concluiu a tenista.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Naomi, enquanto ouvia a pergunta seguinte, começou a chorar e a conferência de imprensa foi interrompida durante alguns minutos.

Mais tarde, o agente de Naomi Osaka, Stuart Duguid, criticou o jornalista: “O bullying criado pelo Cincinnati Enquirer é o epítome dos motivos que originaram esta relação atual tão tensa entre jogadoras e jornalistas. Todos ali hão de concordar: o seu tom foi totalmente errado e o seu único propósito foi intimidar. Um comportamento realmente terrível. E aquela insinuação de que a Naomi só tem este sucesso todo fora dos campos de ténis por causa da comunicação social é um mito”.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.