Já se faz fila para subir à rocha mais famosa da Austrália (antes que seja proibido)

Há uma verdadeira corrida de turistas para a trepar pelo dorso vermelho de Uluru, o rochedo mais famoso da Austrália, que se ergue a 348 metros sobre as planícies áridas do centro da ilha.

“Está muito concorrido neste momento e, em grande medida, isso tem a ver com o encerramento da subida”, admite Stephen Schwer, diretor-executivo do Turismo da Austrália Central, em declarações ao New York Times. “A popularidade está a causar pressão na infra-estrutura existente.”

O rochedo, também conhecido por Ayers Rock, é considerado um local de culto pelo povo aborígene Anangu. De acordo com um porta-voz do Parks Australia, “desde a devolução de Uluru aos seus ‘proprietários tradicionais’ em 1985, que os visitantes são encorajados a compreender e a respeitar o povo Anangu e a sua cultura”.

No sopé do rochedo, entre a zona de estacionamento e o trilho utilizado pelos turistas para subir o rochedo, encontram-se várias placas informativas e mensagens colocadas pelos Anangu a pedir aos visitantes para não subirem, em respeito pelos seus costumes. “Esta é a nossa casa.”

Em causa, referem os avisos, está também a segurança dos caminhantes: desde os anos 1950 que há registo de, pelo menos, 37 mortos.

Em 2017, a direção do Parque Nacional Uluru-Kata Tjuta, classificado como Património Mundial pela UNESCO, decidiu unanimemente transformar o apelo numa regra: a partir de 2019, a subida ao topo do rochedo estaria proibida. A data seria, entretanto, estabelecida para 26 de outubro.

“Uluru não é um parque temático como a Disneylândia”, afirmava Sammy Wilson, representante da comunidade indígena. “Queremos que venham, que nos oiçam e que aprendam.”

Cerca de 87% dos visitantes opta por não subir ao topo de Uluru. No entanto, desde que a interdição foi anunciada, tem aumentado o número de pessoas a visitar o parque nacional – cerca de 370 mil em 2018, mais 20% do que no ano anterior.

Várias entidades locais têm alertado para o agravar da situação no último mês. Com os parques de campismo cheios e as unidades de alojamento lotadas, muitos turistas estarão a acampar ilegalmente em propriedades privadas ou à beira das estradas, deixando lixo pelo caminho e pondo em causa o delicado ecossistema do deserto.

Mas a interdição anunciada não será a única razão para o aumento dos visitantes. A introdução de voos directos de Darwin e de Adelaide para o aeroporto de Ayers Rock, iniciados em abril, e o período de férias escolares também estarão a contribuir para a afluência de turistas.

Para fazer face à interdição e continuar a atrair turistas, as diferentes entidades e empresas ligadas ao sector estão a estudar novas atividades e pacotes turísticos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Fim dos debates quinzenais. Rio diz que é o melhor para o país (e pensa em si próprio)

O líder do PSD, Rui Rio, explicou, num vídeo da PSD/TV que defende o fim dos debates quinzenais porque é o "melhor para o país", alegando que esta proposta não tem a "preocupação de dificultar …

Lei de segurança nacional. Taiwan teme ser próximo alvo da China (e Hong Kong pode ser o novo Tibete)

A decisão de Pequim em impor a Hong Kong uma lei draconiana sobre segurança faz crescer os receios de que Taiwan possa ser o próximo alvo da República Popular da China. Por outro lado, teme-se …

Patrick Mahomes assina o maior contrato da história do desporto: 10 anos por 446 milhões

O jogador de futebol americano Patrick Mahomes fez história ao assinar o maior contrato de sempre do mundo do desporto. O quarterback dos Kansas City Chiefs renovou por dez temporadas, num valor total de 446 …

Centeno rejeita conflito de interesses. “Não conseguia emprego em Portugal nas próximas décadas"

O antigo ministro das Finanças está esta quarta-feira a ser ouvido no Parlamento, naquela que é a sua primeira grande prova de fogo no caminho que terá que percorrer até chegar ao cargo de governador …

Centenas de holandeses nas ruas de Albufeira. GNR obrigada a intervir

A Guarda Nacional Republicana (GNR) levantou, no domingo, dezenas de autos de contraordenação a estabelecimentos e a pessoas, em Albufeira, no Algarve, por desrespeito das regras impostas devido à pandemia da Covid-19, disse esta terça-feira …

Soares atravessou jejum de golos, mas há uma estatística em que ninguém o bate

O avançado portista Tiquinho Soares é o jogador que mais golos faz de cabeça, em Portugal e na Europa. Esta temporada, já leva sete cabeceamento certeiros. Tiquinho Soares esteve 12 jogos sem marcar qualquer golo com …

"Dêem a Portugal uma Ponte Aérea". Escocês faz petição e diz que decisão do Reino Unido é injusta

Um escocês admirador de Portugal considera a exclusão da lista de países isentos de quarentena nas chegadas ao Reino Unido “injusta” e “pouco transparente” e por isso promoveu uma petição popular a pedir o levantamento …

Juiz Carlos Alexandre está em isolamento profilático

O juiz Carlos Alexandre encontra-se em isolamento profilático depois de ter participado, no final de junho, numa busca a uma agência bancária em que estiverem envolvidas três pessoas infetadas com covid-19. De acordo com a RTP, …

Jogo de loucos em Itália. Milan de Ibrahimovic derrota Juve de CR7 com golo português

Cristiano Ronaldo fez o 2-0 para a Juventus em casa do AC Milan, porém, o campeão perdeu 4-2 e desperdiçou a oportunidade de ampliar para 10 os pontos de vantagem para a Lazio, derrotada em …

A maior promessa do futebol alemão pede para sair. Chelsea prepara 100 milhões de euros

O internacional alemão Kai Havertz pediu à direção do Leverkusen para sair este verão. O Chelsea é o principal candidato à contratação do médio, tendo de desembolsar 100 milhões de euros. Kai Havertz é provavelmente a …