Israel vai às urnas decidir se Benjamin Netanyahu continua

D. Myles Cullen / CJCS

Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu

Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu

Quase seis milhões de israelitas vão às urnas esta terça-feira para decidir, em eleições legislativas antecipadas, se o atual primeiro-ministro Benjamin Netanyahu continua ou não na chefia do Governo.

A votação para as eleições legislativas antecipadas em Israel arrancou oficialmente, com a abertura das urnas às 7h locais (5h em Lisboa), constaram jornalistas da AFP.

Numa campanha eleitoral que relegou para segundo plano o conflito israelo-palestiniano, as eleições são, em grande medida, um referendo a favor ou contra Netanyahu, de 65 anos, primeiro-ministro desde março de 2009, que acumula já quase uma década no poder, tendo em conta o primeiro de três mandatos, de 1996 a 1999.

Durante 15 horas, até às 22h locais (20h em Lisboa), um total de 5,88 milhões de eleitores israelitas é chamado às urnas para decidir se o atual primeiro-ministro Benjamin Netanyahu continua ou não na chefia do Governo, e escolher 120 deputados nas mais de dez mil assembleias de voto instaladas em escolas, hospitais, ou mesmo prisões em todo o país.

Continuar ou não com Netanyahu “é a grande questão”, por estar “no poder há tanto tempo”, explicou Tamir Sheafer, professor de ciência política. “Trata-se do segundo maior período” de exercício do poder, depois de David Ben Gourion, o fundador do Estado de Israel.

Uma sondagem publicada na quinta-feira passada pelo jornal Haaretz atribui 24 lugares à aliança entre o Partido Trabalhista, de Isaac Herzog, o Kadima, de Tzipi Livni, a União Sionista (mais um do que na anterior), e 21 ao Likud, de Benjamin Netanyahu (menos dois), num total de 120 lugares no Parlamento.

Moshé Kahlon, antigo membro do Likud e atualmente líder de um novo partido de centro-direita (Kulanu) é considerado elemento decisivo para a formação do Executivo depois das eleições. As últimas sondagens dão-lhe entre oito e dez lugares.

Sem o apoio de Moshé Kahlon, os dois grandes partidos não deverão conseguir maioria no futuro Parlamento, indicam as sondagens.

No sistema israelita, o chefe do partido vencedor não é necessariamente chamado a formar governo, mas quem está mais bem posicionado para formar uma coligação. As diferentes alianças possíveis tornam muito incerto avançar o nome do próximo líder do executivo.

Netanyahu admitiu já que o risco de perder é real, depois de as sondagens darem a liderança à União Sionista.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pelo menos 30 crianças mortas pelo frio e más condições de vida em campos de deslocados na Síria

Organizações internacionais alertaram, esta terça-feira, que as baixas temperaturas e condições de vida desumanas dos deslocados no noroeste da Síria provocaram a morte de pelo menos 30 crianças nos últimos dias. Face à intensificação da ofensiva …

Está a nascer um mosteiro de 6 milhões de euros em Bragança (e vai acolher monjas italianas)

A aldeia de Palaçoulo, em Miranda do Douro, Bragança, foi o local escolhido para a localização do futuro Mosteiro Trapista de Santa Maria, Mãe da Igreja. A obra orçada em seis milhões de euros constitui …

Crédito ao consumo atingiu recorde de 7,6 mil milhões em 2019

O montante dos novos créditos ao consumo aumentou 7,1% em dezembro do ano passado, face ao mesmo mês do ano anterior, para 667,954 milhões de euros. De acordo com o os dados divulgados pelo Banco de …

Hamas engana soldados israelitas com fotografias de mulheres

Dezenas de soldados israelitas foram alvo de um ataque informático do Hamas, que usou fotografias de mulheres para infetar os seus telemóveis. De acordo com a BBC, o tenente-coronel Jonathan Conricus afirmou que os soldados receberam …

"Navio fantasma" dá à costa na Irlanda depois de mais de um ano à deriva

Um "navio fantasma" abandonado, que esteve mais de um ano à deriva, apareceu agora na costa de Ballycotton, uma vila costeira no condado de Cork, na Irlanda. Segundo o Irish Post, o navio MV Alta, de 77 metros …

12.º caso suspeito de coronavírus em Portugal deu negativo

O mais recente caso suspeito de coronavírus deu negativo, anunciou, esta terça-feira, a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com a Direção-Geral da Saúde, citada pelo jornal online Observador, a criança regressada da China que foi …

Vinte governadores brasileiros assinam carta com críticas a Bolsonaro

Vinte dos 27 governadores do Brasil subscreveram esta terça-feira uma carta dirigida ao Presidente do país, Jair Bolsonaro, que acusam de falta de diálogo, criticando também algumas das suas declarações públicas. "Recentes declarações de Jair Bolsonaro …

Super Bock e Sagres aliam-se em campanha contra o racismo

As duas marcas de cerveja aliaram-se numa campanha contra o racismo, depois do episódio ocorrido, no passado domingo, com Moussa Marega, no Estádio D. Afonso Henriques. "Contra o racismo, não há rivais" é o mote da …

Conselho de Disciplina abre processo disciplinar ao Vitória de Guimarães

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou, esta terça-feira, a abertura de um processo disciplinar ao Vitória de Guimarães, devido aos insultos racistas a Moussa Marega. O avançado do FC Porto recusou-se …

Pinto da Costa confirma fim da carreira de Casillas. E diz que episódio com Marega é um caso de polícia

O presidente do FC Porto confirmou, esta terça-feira, o fim da carreira do guarda-redes espanhol, que anunciou a intenção de se candidatar à presidência da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF). O dirigente portista falou aos …