Investigadores do Porto criam radar espacial que pode integrar missões da ESA

Dois investigadores do Porto concluíram o primeiro protótipo laboratorial de uma variante de radar com radiação laser para aquisição de imagens 3D (LIDAR) que poderá integrar missões da Agência Espacial Europeia (ESA) já em 2018.

Em comunicado de hoje, o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto (INESC) informa que o LIDAR, previsto para integrar veículos espaciais em missões de exploração do sistema solar, foi desenvolvido por Filipe Magalhães e Francisco Araújo, ambos investigadores do laboratório associado INESC TEC.

Este é um projeto financiado pela ESA, cuja principal vantagem, de acordo com Filipe Magalhães, é a leveza de um equipamento que pode auxiliar na aterragem de sondas, na navegação de robôs na superfície de planetas ou luas e até na recolha e transporte de amostras do solo de Marte para a Terra.

“Nas missões espaciais, cada quilograma a mais traduz-se em milhares de euros de despesa em combustível e energia”, referiu Filipe Magalhães.

Mas o sistema “compressive sensing” (sensorização compressiva) permite que seja possível recolher imagens – resolução de 1024×768 – com uma câmara de apenas um detetor com apenas um pixel, sem qualquer tipo de varrimento ou movimento, o que torna esta tecnologia leve.

Outra vantagem do LIDAR desenvolvido pelos investigadores do INESC Porto, com o apoio da ESA, é a recolha de imagens 2D e 3D que servem para medições em comprimentos de onda, algo que até à data “eram impossíveis ou então muito dispendiosas”.

Segundo o técnico da ESA João Pereira do Carmo, citado no comunicado do INESC Porto, “a inexistência, na Europa, de detetores de grande resolução para a obtenção de imagens 3D e os elevados custos do seu possível desenvolvimento”, levaram a Agência Espacial Europeia “a promover soluções alternativas e de grande potencial” com é considerada esta proposta de Filipe Magalhães e Francisco Araújo.

“Outra vantagem do sistema é a possibilidade de miniaturizar o sensor, reduzindo substancialmente a massa e a potência consumida, exponenciando o número de aplicações e missões espaciais para o qual pode ser considerado no futuro”, salienta João Pereira do Carmo.

Pretende-se, assim, que o LIDAR do INESC venha a permitir identificar qual a melhor localização para a aterragem das sondas espaciais na Lua ou em Marte.

Este radar fará essa identificação através de uma análise topográfica do terreno, tendo por base a aquisição de imagens e as respetivas distâncias registadas para cada pixel da imagem.

Conforme dados do INESC “os robôs exploradores na superfície do planeta também podem detetar obstáculos e movimentar-se mais facilmente graças às potencialidades abertas por este sistema”.

“Facilitar a recolha e o transporte de amostras do solo de Marte para a Terra, ao localizar a posição exata da cápsula em órbita com as amostras”, é outro dos objetivos do sistema desenvolvido pelos investigadores do laboratório do Porto que conta arrancar com uma segunda fase de desenvolvimento deste sistema já no início de 2014.

“O INESC TEC, Laboratório Associado coordenado pelo INESC Porto, é uma das poucas instituições do mundo a trabalhar na aplicação desta tecnologia à exploração espacial, lê-se no comunicado.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O nosso cabelo sabe o que comemos, onde moramos e quanto custou o corte

Milímetro a milímetro, o cabelo constrói um registo da nossa dieta. Como os fios de cabelo são construídos a partir de aminoácidos, preservam os traços químicos da proteína da comida que ingerimos. Os fios de cabelo …

Não foram meteoros. Uma forte atividade vulcânica arrefeceu a Terra há 13 mil anos

Porque é que a Terra arrefeceu repentinamente há 13 mil anos? Sedimentos antigos encontrados numa caverna no Texas, nos Estados Unidos, parecem ter resolvido este grande mistério. Alguns cientistas acreditam que o fenómeno que arrefeceu repentinamente …

Novo método prevê erupções solares com algumas horas de antecedência

Um novo método capaz de prever explosões solares poderia ajudar a Humanidade a preparar-se contra possíveis desastres causados por este fenómeno explosivo da nossa estrela. As erupções solares são explosões que ocorrem na superfície do Sol …

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …