“Holocausto não teve nada a ver com raça”. Canal suspende Whoopi Goldberg após comentários polémicos

3

A actriz Whoopi Goldberg foi suspensa pelo canal de televisão ABC News depois de ter dito que o Holocausto “não teve nada a ver com raça”. A declaração levantou muita polémica e o primeiro pedido de desculpas da personalidade só a agravou.

A ABC News suspendeu Whoopi Goldberg durante duas semanas do programa de televisão “The View”, onde é uma das comentadoras. Uma decisão tomada depois de a actriz de 66 anos ter dito que o “Holocausto não teve nada a ver com raça”.

Um comentário feito durante uma discussão em torno da decisão de uma escola norte-americana que baniu uma novela gráfica sobre o Holocausto, considerando que tinha excesso de nudez e palavrões, além de conteúdo “suicida”.

“O Holocausto não é sobre raça. É sobre a desumanidade do homem para com o homem” e envolveu “dois grupos de pessoas brancas”, afirmou Whoopi Goldberg no programa.

Após a polémica levantada pelas suas declarações, a actriz pediu desculpas, mas também isso não lhe saiu muito bem, pois afirmou, numa entrevista, que os nazis mentiram e que, na verdade, tinham problemas com a etnia e não com a raça.

Posteriormente, Whoopi Goldberg reforçou o pedido de desculpas, salientando que o Holocausto foi, “de facto, sobre raça porque o Hitler e os nazis consideravam os Judeus como uma raça inferior”.

A actriz também vincou, numa publicação no Twitter, que o Holocausto teve tanto a ver com “raça” como com “desumanidade”. “O povo judeu pelo mundo sempre teve o meu apoio e não o vou abandonar”, apontou ainda. “Lamento a dor que causei”, reforçou.

Mas, apesar dos mea culpas, a ABC News resolveu suspender Whoopi Goldberg devido aos “comentários errados e ofensivos” que fez. “Estará ausente durante um tempo para reflectir”, referiu a estação numa nota no Twitter que é assinada pelo próprio presidente da ABC News, Kim Godwin.

“Apesar de se ter desculpado, pedi-lhe que se afastasse por uns tempos para reflectir e perceber o impacto dos seus comentários”, argumentou Godwin.

“Toda a organização ABC News mantém solidariedade para com os nossos colegas Judeus, amigos, famílias e comunidades”, vincou ainda a ABC.

Entretanto, o jornal britânico Daily Mail assegura que os colegas de Whoopi Goldberg no The View, Sunny Hostin, Joy Behar e Ana Navarro, estão “furiosos com a decisão da emissora” depois do pedido de desculpas da actriz.

Não se sabe se a suspensão implica que Whoopi Goldberg fica sem receber o salário de 96 mil dólares por semana, de acordo com o mesmo jornal.

Nas redes sociais, várias pessoas se colocam ao lado da actriz e há quem note que o melhor é “cancelar” o programa se as pessoas não podem ter a sua opinião. Há ainda quem afirme que não vai assistir ao The View enquanto Whoopi Goldberg estiver suspensa.

Já Steve Greenberg nota que, “como homem judeu”, acredita que ela não falou “com malícia ou desrespeito”.

Mas, por outro lado, também há quem considere que a suspensão não é suficiente e que Whoopi Goldberg devia ser despedida.

E há quem se lembre do caso da comediante Roseanne Barr que foi despedida da ABC, em Maio de 2018, no seguimento de publicações racistas no Twitter, onde comparou uma conselheira afro-americana do então Presidente dos EUA, Barack Obama,a um macaco.

Ora, Whoopi Goldberg “não estava a brincar”, entendem os que pedem o mesmo tratamento para a actriz.

Não é a primeira vez que Whoopi Goldberg se envolve em polémicas. Em 2009, disse que o realizador Roman Polanksi que se declarou culpado de “sexo ilegal com menor” em 1997, não tinha cometido “violação-violação”.

Além disso, também defendeu Bill Cosby quando este estava a ser alvo de acusações de abuso sexual.

  ZAP //

3 Comments

  1. A whoopi deve estar com os copos. Ela diz isso porque não esteve a viver na Alemanha na grande guerra, senão ela via o que lhe acontecia. Hitler queria livrar-se dos judeus, dos ciganos , dos pretos. Isso não é racismo?

  2. Ninguém é obrigado a concordar com ela ou a acreditar nela… As opiniões devem ser admitidas e rebatidas com outras opiniões/ diálogo…

    Ser afastada do seu trabalho (que é um espaço de cometário e critica a vários temas, pelas suas opiniões é mais um exemplo deste novo tipo de fascismo que constitui a “persiguição do políticamente correcto” !..

    Parece-me uma revelação de fraqueza não rebater palavras apenas com palavras e antes com ameaças e coações e castigos não judiciais (de privação da profissão e ordenado)

    Sanções e penas apenas para os tribunais!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.