Holanda vota em eleição dominada pela popularidade da extrema-direita

Rijksoverheid / Phil Nijhuis / Wikimedia

Geert Wilders, líder da extrema-direita na Holanda

Geert Wilders, líder da extrema-direita na Holanda

Os holandeses votam, esta quarta-feira, numas eleições parlamentares dominadas pela popularidade da extrema-direita eurocética e xenófoba e pelo conflito diplomático com a Turquia.

A direita, encabeçada pelo primeiro-ministro, Mark Rutte, lidera as intenções de voto, mas com escassa vantagem sobre o partido de extrema-direita de Geert Wilders, que alguns estudos de opinião admitem poder acabar em primeiro lugar.

Mesmo que vença, o líder da extrema-direita não deverá tornar-se primeiro-ministro, dado o sistema de representação proporcional nos 150 lugares da câmara baixa do parlamento e a recusa dos principais partidos em participar numa coligação com a extrema-direita.

Vinte e oito partidos concorrem à eleição, entre os quais se destacam, além da direita e da extrema-direita, os democratas-cristãos, os liberais pró-europeus D66 e a Esquerda Verde.

O governo de Rutte, eleito em 2010, aplicou pacotes de austeridade muito impopulares, mas os sinais de retoma económica e a baixa do desemprego serviram-lhe de argumentos para pedir aos eleitores mantenham a confiança no seu Partido Popular para a Liberdade e a Democracia (VVD, direita).

“A escolha é simples: é entre o caos e a continuidade”, disse Rutte, identificando o caos com o Partido da Liberdade (extrema-direita) de Wilders, que se propõe tirar o país da União Europeia, fechar as fronteiras à imigração muçulmana, encerrar as mesquitas e banir o Corão.

“Tornar os holandeses donos do seu país novamente”, prometeu.

A eleição holandesa é vista por analistas como um importante indicador do comportamento dos eleitores quanto aos movimentos populistas, depois do referendo que ditou a saída do Reino Unido da União Europeia e da eleição de Donald Trump para a Casa Branca e a poucos meses das presidenciais em França (abril e maio) e das legislativas na Alemanha (setembro).

A última semana da campanha ficou marcada por uma crise diplomática com a Turquia devido à recusa da Holanda de permitir que dois ministros turcos participassem em comícios junto da comunidade turca pelo “sim” no referendo que vai reforçar os poderes do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O outono chegou e traz aguaceiros. Mas o calor ainda pode aparecer em outubro

O outono começou oficialmente às 8h50 desta segunda-feira. Este é o dia do equinócio, a data em que, segundo o saber popular, o dia e a noite têm a mesma duração. A data que assinala o …

Portugal não aderiu a programa da UE criado de propósito após os incêndios de 2017

No ano passado, a União Europeia criou um programa de proteção civil devido aos incêndios de 2017 em Portugal. Contudo, o país não aderiu ao mecanismo. Em 2017, Portugal viveu momentos difíceis devido aos incêndios que …

Boris responsabiliza Irão por ataque a petrolífera saudita

Boris Johnson diz que o país atribui ao Irão, "com muito alto grau de probabilidade, os ataques à gigante petrolífera saudita". O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acusou esta segunda-feira o Irão de ser, muito provavelmente, responsável …

41 países comprometem-se com iniciativa "Clima e Qualidade do Ar"

A iniciativa "Clima e Qualidade do Ar", apresentada na véspera da Cimeira da Ação Climática, propõe alcançar até 2030 uma qualidade do ar saudável e a harmonização das políticas de luta contra as alterações …

Reino Unido. Trabalhistas querem abolir ensino privado se forem Governo

O Partido Trabalhista britânico compromete-se a abolir o ensino privado no Reino Unido caso venha a formar Governo. O plano do partido liderado por Jeremy Corbyn implica nacionalizar e integrar no sistema educativo público todas …

Rio acusa PS de se comportar como "dono disto tudo" (e diz que também tem um "Centeno")

No último debate a dois antes das legislativas de 6 outubro, os líderes do PSD e PS trocaram esta segunda-feira críticas - em tom leve e cordial -, recordando telhados de vidro de cada força …

Em decisão histórica, partidos árabes recomendam Gantz como primeiro-ministro de Israel

O Presidente de Israel, Reuven Rivlin, iniciou este domingo as suas consultas para a formação de um novo Governo. A Lista Conjunta, uma coligação que reúne os principais partidos árabes do país (Balad, Hadash, Ta’al …

Tancos. Azeredo Lopes teve "exercício perverso" de funções públicas, diz Ministério Público

O Ministério Público (MP) já terá terminado a acusação do caso de Tancos, na qual sustenta que o antigo ministro da Defesa Azeredo Lopes soube de toda a encenação, tendo ainda tentado tirar louros políticos …

Salário de 273 mil euros brutos anuais para Varandas revolta accionistas do Sporting

Um grupo de acionistas do Sporting fez chegar ao presidente da Mesa da Assembleia Geral (AG) da Sporting SAD, Bernardo Ayala, um pedido em que exige a retirada da proposta de aumento salarial para o …

Eleições na Madeira. A noite em que quem perdeu ganhou e quem ganhou perdeu

Depois de 43 anos de poder absoluto, o PSD perdeu este domingo pela primeira vez a maioria do parlamento da Madeira. O PS, que atingiu um valor histórico na região, também reclamou louros de vitória. …