Hackers podem “roubar” satélites e fazê-los colidir, alerta cientista

Um especialista da Universidade de Denver, nos Estados Unidos, alertou recentemente que eventuais vulnerabilidades em satélites artificiais em órbita podem vir a ser exploradas por piratas informáticos (hackers).

Mais de 50 anos depois do lançamento do primeiro satélite artificial (Sputnik-1), existem agora outros tantos em órbita: meteorológicos, militares, de comunicações.

Todos estes são operados a partir da Terra e é este facto que pode fazer destes objetos “vítimas” de piratas informáticos. De acordo com o cientista William Akoto, vulnerabilidades nos softwares de controlo dos satélites artificias podem ser aproveitadas por hackers.

“Se o hackers se infiltrarem nestes computadores, poderiam enviar comandos maliciosos para os satélites e apoderarem-se deles”, afirmou o cientista, num artigo de opinião publicado recentemente no portal The Conversation.

Akoto alerta que as vulnerabilidades de software, aliadas à falta de normas e regulamentos de segurança cibernética para satélites comerciais, quer nos Estados Unidos como noutros país, podem deixar os satélites muito vulneráveis a ataques cibernéticos.

Estas fragilidades, defende, são ainda maiores se tivermos em conta que muito dos componentes utilizados nos satélites recorrem a tecnologia de código aberto. “Estes ataques poderiam traduzir-se no bloqueio do funcionamento dos satélites, negando assim o acesso aos seus serviços”, sustenta o especialista.

Os hackers poderiam também bloquear ou falsificar os sinais oriundos do satélites, gerando assim o caos em, por exemplo, redes elétrica, de água ou sistemas de transporte.

Por outro lado, alerta ainda, “os satélites têm têm propulsores que lhes permitem acelerar, desacelerar e mudar de direção no Espaço (…) E se o hackers assumissem o controlo destes satélites poderiam alterar as suas órbitas e fazê-los colidir com outros satélites ou até mesmo com a Estação Espacial Internacional”.

Por tudo isto, o cientista da universidade norte-americana considera fundamental que os países trabalhem em prol de uma regulamentação de segurança cibernética espacial, notando que os esforços nesta área têm corrido a um ritmo lento.

“Qualquer que sejam os passos dados pelo Governo [dos Estados Unidos] e pela indústria, é imperativo agir agora. Seria um erro profundo esperar que os piratas informáticos ganhassem o controlo de um satélite antes desta questão [da segurança cibernética] ser abordada”, rematou William Akoto.

 

PARTILHAR

RESPONDER

Jornal Económico e A Bola avançam para regime de lay-off

O Jornal Económico e o desportivo A Bola vão avançar para o regime de lay-off devido a quebras significativas nas vendas e publicidade desencadeadas pela pandemia de covid-19, que já fez mais de 300 vítimas …

Moratória nos créditos à habitação não suspende Seguros (e pode ter que os pagar durante mais tempo)

A suspensão dos pagamentos dos empréstimos do Crédito à Habitação, por parte dos clientes bancários que queiram aderir à moratória aprovada pelo Governo, pode não travar os pagamentos dos Seguros de Vida e Multi-riscos que …

Espanha poderá ser o primeiro país na Europa a avançar com rendimento básico universal

A ministra da Economia espanhola assegurou, este domingo, que o Governo está a trabalhar para aplicar o rendimento básico universal, embora não tenha dado ainda uma data concreta. Em declarações ao canal televisivo laSexta, a ministra …

Presidente revela que não está imune e é contra "descompressão" de medidas em abril

O Presidente da República revelou numa entrevista esta terça-feira divulgada pela Antena 1 que já fez um dos novos testes sorológicos para detetar a presença de anticorpos para o novo coronavírus e não está imunizado. "Depois …

Ministros das finanças procuram entendimento. Itália ameaça consenso de Centeno

Os ministros das Finanças da zona euro voltam a reunir-se esta terça-feira, por videoconferência, com a responsabilidade de chegarem a um compromisso sobre uma resposta comum para minimizar os efeitos da pandemia covid-19, precisando para …

Empresas estão a cobrar às farmácias 150 euros por caixa de máscaras

Empresas, muitas das quais nem sequer são do ramo farmacêutico, estão a cobrar às farmácias 150 euros por uma caixa de máscaras. Antes, eram vendidas por cinco euros. A pandemia de covid-19 levou a que a …

Governo alarga apoios a sócios-gerentes sem trabalhadores

O Governo enviou esta segunda-feira para promulgação pelo Presidente da República um decreto com alterações ao regime de apoio extraordinário dos trabalhadores independentes, estendendo agora os benefícios aos sócios-gerentes sem trabalhadores por conta de outrem. Este …

"Futebol precisa de dar e sofrer porque pode." Anúncio de lay-off do Liverpool gera críticas e um pedido de desculpas

O Liverpool anunciou que ia avançar com um mecanismo do Governo britânico semelhante ao lay-off que está a ser usado em Portugal, para receber apoios para pagar aos funcionários do clube que não são jogadores, …

"Semana D" na Educação. Alunos do 12.º com prioridade no regresso às aulas

O Ministério da Educação, liderado por Tiago Brandão Rodrigues, reúne-se esta terça-feira com os vários representantes da comunidade escolar para discutir como será o 3.º período de aulas numa época de contenção do novo coronavírus. Esta …

Benfica, Sporting e FC Porto querem cortar salários em 50%

Os 'três grandes' do futebol português querem cortar a folha salarial dos jogadores em 50%. Em causa está o controlo dos danos financeiros da pandemia de covid-19. Benfica, Sporting e FC Porto querem reduzir os salários …