Há um vegetal sempre presente na nossa cozinha que previne a perda de memória

Ingerir alho pode prevenir o esquecimento, sobretudo em pacientes com Alzheimer ou Parkinson. O benefício vem do sulfeto alílico.

O consumo de alho ajuda a neutralizar as mudanças relacionadas à idade nas bactérias intestinais associadas a problemas de memória, segundo um estudo recente, realizado em cobaias. O benefício vem do sulfeto alílico, um composto presente no alho e conhecido pelos seus benefícios para a saúde.

“A nossa descoberta sugere que a administração dietética de alho, contendo sulfeto alílico, pode ajudar a manter microrganismos intestinais saudáveis e melhorar a saúde cognitiva em idosos”, afirmou Jyotirmaya Behera, líder da equipa de cientistas da Universidade de Louisville, nos Estados Unidos.

Na prática, este composto restaura triliões de microrganismos, também conhecidos como microbiota, no intestino. Pesquisas anteriores já haviam sublinhado a importância da microbiota intestinal para a saúde humana, mas poucos estudos haviam explorado o bem-estar do intestino e as doenças neurológicas normalmente associadas ao envelhecimento.

“A diversidade da microbiota intestinal é diminuída em pessoas idosas, um estágio da vida em que as doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer e o Parkinson, se desenvolvem, e as habilidades cognitivas e de memória podem diminuir”, disse Neetu Tyagi, cientista que fez parte da equipa responsável e co-autora deste estudo.

“Quisemos entender melhor como as alterações na microbiota intestinal estão relacionadas ao declínio cognitivo associado ao envelhecimento”, acrescentou, citada pelo Science Daily.

Behera adiantou que os dados sugerem que o consumo dietético de alho “pode ajudar a manter os microrganismos do intestino saudáveis e melhorar a capacidade cognitiva e de raciocínio na população mais idosa”.

Os cientistas testaram esta teoria em ratos idosos de 24 meses, o que equivale à idade humana entre os 56 e os 69 anos. A estas cobaias foi-lhes dado sulfeto alílico e os animais foram, posteriormente, comparados a ratos mais novos e da mesma idade que não receberam aquela substância.

Os resultados desta experiência revelaram que os roedores mais velhos que consumiram o suplemento revelaram ter uma melhor memória a curto e médio prazo, assim como uma melhor saúde intestinal.

Além disso, pesquisas subsequentes concluíram que o sulfeto alílico preserva ainda uma expressão genética derivada de um fator neuronal natriurético no cérebro que é crucial para a preservação da memória. As descobertas foram anunciadas na reunião anual da American Physiological Society, em Orlando, Florida.

Ainda assim, as experiências continuam. Os cientistas têm como objetivo entender melhor a relação entre a microbiota intestinal e o declínio cognitivo como tratamento no envelhecimento da população.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cofundador do Alibaba paga 3,5 mil milhões para ser o único dono dos Brooklyn Nets

O cofundador do Grupo Alibaba, Joseph Tsai, vai pagar mais 3,5 milhões de dólares para ser o único dono da equipa de basquetebol norte-americana Brooklyn Nets, avança esta sexta-feira a Bloomberg. O multimilionário já detinha 49% da equipa, …

Instagram, Facebook e Whatsapp prejudicam saúde mental das crianças

Um estudo de investigadores da University College London demonstra que a utilização de redes sociais como o Instagram, o Facebook e o Whatsapp estão a causar danos ao bem-estar das crianças e jovens. A investigação, cujos …

Clínica da Opus Dei diz que homossexualidade causa gastroenterite

A Clínica Universitária de Navarra, que pertence à prelatura da Opus Dei, defende que a homossexualidade e a promiscuidade são causadoras de gastroenterite. No guia de atuação de urgência sobre esta condição médica, a Clínica Universitária …

Sporting anuncia saída de Bas Dost para o Eintracht de Frankfurt

O goleador holandês Bas Dost está de saída para o Eintracht Frankfurt, anunciou este sábado o Sporting. O clube alemão também já confirmou a transferência. O Sporting anunciou ter chegado a um princípio de acordo com …

Há centenas de esquilos pretos a invadir os Estados Unidos (e já se sabe porquê)

Biólogos do Reino Unido decifraram o mistério de todos os esquilos cinzentos (Sciurus carolinensis) que correm pelos Estados Unidos com pêlo preto. O pouco do código genético que faz com que as espécies de esquilo cinza …

Morreu Marium, o mais famoso dugongo da Tailândia. Comeu plástico

Quando foi resgatado, em abril, tornou-se uma estrela na Tailândia. O dugongo órfão, chamado Marium, acabou por morrer este sábado, devido a uma infeção causada pela ingestão de plástico, de acordo com os veterinários que …

Afinal, "cura milagrosa" para o cancro pode matar

O jornal britânico The Guardian denuncia o esquema do autoproclamado "Genesis II Church of Health and Healing" - que na verdade não é nem uma igreja nem uma instituição de saúde. Este sábado terá lugar em …

Há uma cidade na Venezuela que é "invisível"

Guanta está lá, embora não seja fácil vê-la. Vistas a partir de El Morro, do outro lado da baía, as suas luzes piscam sob uma nuvem baixa. É uma nuvem diferente das outras, mais espessa, mais …

Há novas regras para subir ao Everest. E é preciso apresentar currículo

O Nepal acaba de anunciar novas regras para escalar o Evereste. Com 8848 metros de altitude, é a montanha mais alta do mundo e verdadeira obsessão para alguns alpinistas, colecionadores de cumes, e cujo número …

"Não há comida, nem dinheiro". Bolsonaro reduz horário do exército

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, disse esta sexta-feira que todo o país "está sem dinheiro", o que levará o Exército a trabalhar em horário reduzido, acrescentando que há falta de comida para os recrutas. "O Exército …