Há fortes evidências de que o álcool danifica diretamente o ADN (e pode provocar cancro)

Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Os cientistas sabem há um tempo que o consumo de álcool leva a um aumento do risco de cancro. Uma nova pesquisa da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, encontrou uma explicação plausível para isso.

Num novo estudo com ratos, uma equipa de cientistas descobriu que o álcool danifica diretamente o ADN em células estaminais formadoras de sangue. O dano pode-se espalhar pelos tecidos do corpo, aumentando as probabilidades do desenvolvimento de cancro.

Os cientistas deram álcool diluído, ou etanol, a ratos, e usaram análise cromossómica e sequenciamento de ADN para avaliar os danos genéticos no organismo dos animais.

A equipa descobriu que o culpado era um composto químico chamado acetaldeído, um subproduto do processo de metabolização do álcool. O acetaldeído pode danificar e causar rupturas no ADN dentro das células, alterando-o permanentemente.

As células estaminais sanguíneas foram utilizadas na análise porque podem ser facilmente replicadas para estudo do ADN, e também porque podem espalhar os danos genéticos por todo o corpo.

Outras pesquisas já tinham indicado que o acetaldeído causava danos no ADN, mas essas experiências tinham sido realizadas em células em placas de Petri e não em corpos vivos. O novo estudo permitiu aos cientistas observar a forma como o organismo responde a esse dano.

De acordo com o principal autor do estudo, Ketan Patel, a questão de como o álcool causa danos no organismo era controversa. “Este artigo fornece provas muito fortes de que um metabolito do álcool provoca danos ao ADN, inclusive para as células estaminais mais importantes que continuam a fazer tecidos”, disse Patel.

Quando consumimos álcool em grandes quantidades, o corpo luta para metabolizar o acetaldeído, e este composto químico acumula-se nas células. Este é o momento em que pode causar um enorme estrago no ADN.

O corpo tem uma defesa contra o acetaldeído: um grupo de enzimas chamado aldeído-desidrogenase (ALDH). Quando funcionam corretamente, neutralizam o acetaldeído e convertem-no em acetato, que o corpo pode usar como energia.

A fim de ver como o acetaldeído afeta as células quando se acumula, a equipa teve que modificar geneticamente os ratos com uma mutação que impediu as células estaminais do sangue de produzir uma dessas enzimas, ALDH2.

“Vimos grandes danos no ADN nessas células. Pedaços de ADN foram apagados, quebrados e até mesmo partes de cromossomas foram movidas e reorganizadas”, explicou Patel.

Os ratos deficientes em ALDH2 tiveram quatro vezes mais danos celulares que os ratos do grupo de controlo com produção normal de ALDH2.

O corpo também possui um segundo tipo de defesa, um sistema de reparo que trabalha para tentar corrigir os danos causados no ADN. Mas algumas pessoas têm mutações onde uma ou ambas as defesas não funcionam.

Por exemplo, cerca de 540 milhões de pessoas na Ásia carregam uma mutação no gene ALDH2, o que significa que não podem processar o acetaldeído. Essa condição faz com que não consigam beber álcool, ficando muito vermelhos quando o fazem – daí o facto da mutação ser conhecida como “Asian Flush” (algo como “vermelhidão asiática”). Quem a possui tem maior risco de desenvolver cancro no esófago.

Além dessa mutação, outros tipos de condições que fazem com que as pessoas não sejam capazes de processar o álcool efetivamente levam a um risco ainda maior de danos no ADN relacionados com as bebidas e, portanto, de certos tipos de cancro.

É importante lembrar, no entanto, que os sistemas de reparo não são perfeitos, de forma que o álcool ainda pode causar cancro de outras formas, mesmo em pessoas com os mecanismos de defesa intactos.

O próximo passo da pesquisa é descobrir a ligação entre o consumo de álcool a alguns tipos de cancro em específico, como de boca, garganta, esófago, laringe, mama, fígado e intestino, mesmo com pequenas quantidades de álcool.

PARTILHAR

RESPONDER

Role play ao serviço da Ciência. Investigadores fingem ser Neandertais para estudar caça a aves

Uma equipa de investigadores espanhóis decidiu adotar a "dramatização" científica para reconstruir um novo elemento do comportamento Neandertal: a cooperação com os membros do grupo enquanto usa fogo e ferramentas para caçar gralhas no interior …

Estoril 0-1 Sporting | Figueira deu o fruto que saciou o leão

Foi preciso surgir um erro crasso do guarda-redes estorilista (até então a fazer uma belíssima exibição) para o campeão nacional poder respirar de alívio e festejar a quarta vitória na Liga, esquecendo por agora a …

A tinta mais branca do mundo ajuda a poupar energia nas casas - e pode eliminar de vez o ar condicionado

Uma equipa de investigadores da Universidade de Purdue desenvolveu uma tinta tão branca que revestir um prédio com ela pode reduzir, ou até mesmo eliminar, a necessidade de ter ar condicionado. Depois de testar mais de …

Costa promete "lição exemplar" à Galp depois de "tanto disparate" em Matosinhos

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou hoje que “era difícil imaginar tanto disparate, tanta asneira, tanta insensibilidade” como a Galp demonstrou no encerramento da refinaria de Matosinhos, prometendo uma “lição exemplar” à empresa. Falando em …

Porto 5-0 Moreirense | Días, Taremi e Fábio, o trio maravilha

O Porto foi o primeiro dos “grandes” a entrar em campo e deu o mote, e que mote. Os “dragões” receberam o Moreirense e golearam sem apelo nem agravo, por 5-0, graças a uma segunda …

Ronaldo volta a marcar pelo United em jogo com final frenético

O português Cristiano Ronaldo voltou hoje a marcar pelo Manchester United, mas foram Lingaard e David de Gea que ‘brilharam’ na vitória sobre o West Ham, por 2-1, em jogo da quinta jornada da Liga …

O Cumbre Vieja, num dos complexos vulcânicos mais ativos nas Canárias, entrou em erupção

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou hoje em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. Na zona, …

Portugal regista 677 novos casos de covid-19 e cinco mortes

Portugal registou, este domingo, 677 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …