Os genes indicam que há 7 mil anos, a maioria dos homens morreu

Os genes dos homens modernos indicam que algo peculiar aconteceu há 5.000 ou 7.000 anos: a maioria da população masculina na Ásia, Europa e África parece ter morrido, deixando apenas um homem para cada 17 mulheres.

Este “gargalo” populacional foi apresentado pela primeira vez em 2015 e, desde então, vários investigadores tentam descobrir o que poderá tê-lo causado. Uma das hipóteses afirmava que a queda da população masculina ocorreu devido a fatores ecológicos ou climáticos, que afetavam particularmente a descendência masculina.

Uma outra teoria sugeriu que a população estava a morrer naturalmente porque existiam homens com maior poder na sociedade e, por isso, reproduziam-se mais.

Agora, um novo estudo publicado na revista Nature Communications no passado dia 25 de Maio, dá outra explicação: as pessoas que vivem em clãs patrilineares – constituídos apenas por homens da mesma descendência – podem ter lutado entre si, acabando com todas as linhagens masculinas de uma só vez.

A proporção de 17 mulheres para cada homem “pareceu-nos muito extrema e deve haver outra explicação”, disse o autor principal do estudo, Marcus Feldman, geneticista populacional da Universidade de Stanford, na Califórnia.

De acordo com a nova explicação, a população masculina não caiu drasticamente. O que aconteceu foi que a diversidade do cromossoma Y diminuiu devido à forma como as pessoas viviam e lutavam na altura. Na verdade, não existiam menos homens, apenas havia menor diversidade genética entre os elementos do sexo masculino.

Os humanos têm 23 pares de cromossomas que carregam a maioria dos nossos genes. Destes, o 23º par é o responsável por determinar o nosso sexo: enquanto as mulheres têm dois cromossomas X, os homens têm um cromossoma X e um Y.

Como os descendentes herdam um cromossoma de cada progenitor, os genes são normalmente misturados, aumentando assim a diversidade entre as espécies. No entanto, o cromossoma Y, não tendo nenhuma outra “contraparte” feminina, acaba por não ser misturado.

Ou seja, o gene fica praticamente o mesmo quando é transmitido de avô para pai e de pai para filho – exceto nos casos onde ocorrem mutações genéticas, que explicam por que motivo o cromossoma Y difere entre os homens).

Guerra pode ter causado o gargalo do cromossoma Y

Para comprovar a sua teoria, os cientistas conduziram 18 simulações nas quais criaram diferentes cenários para justificar o gargalo, fatores como mutações no cromossoma Y, competição entre grupos e a morte.

As simulações demonstraram que a guerra entre clãs patrilineares pode ter causado o “gargalo do cromossoma Y”, porque os membros de cada clã teriam cromossomas Y muito semelhantes entre si. Ou seja, se um clã matasse o outro, reduziria também as hipóteses do cromossoma Y da família passar para a descendência.

No entanto, nas simulações dos investigadores nas quais não existiam clãs patrilineares o gargalo não se deu. Além do mais, o mesmo gargalo não incidia nas mulheres da época, como é demonstrado pelo ADN mitocondrial – um tipo de ADN que apenas é transmitido da mãe para o filho.

“Neste mesmo grupo, as mulheres poderiam ter vindo de qualquer lugar“, disse Feldman à Live Science. “As mulheres poderiam ter chegado ao grupo a partir das vitórias que clã alcançava sobre os outros grupos, ou poderiam também ter sido mulheres que já viviam naquela área.”

Por exemplo, se olharmos para a colonização ao longo da história, normalmente os grupos tendem a “matar todos os homens e manter as mulheres para si mesmos”, notou.

Monika Karmin, geneticista populacional da Universidade de Tartu, na Estónia, que não participou novo estudo, disse que a “beleza de seu estudo” está na forma como os pesquisadores estruturaram a sua hipótese e demonstraram que “os clãs de combate são realmente uma causa provável” para a queda drástica da diversidade genética masculina.

“No entanto, temos que ter em mente que há muito pouca informação sobre a organização social daquele tempo”, disse Karmin, a principal autora do estudo de 2015 que propôs o gargalo pela primeira vez. Ou seja, poderiam haver outras forças “socioculturais” em jogo, acrescentou.

Os investigadores realizaram “cuidadosas simulações computorizadas, enquanto que os estudos anteriores não o fizeram”, disse Chris Tyler-Smith, um outro geneticista evolucionário do Instituto Sanger, no Reino Unido, que não esteve envolvido no estudo.

“A hipótese de que a causa do gargalo foi uma guerra é razoável“, especialmente se considerarmos o período de tempo, reiterou.

Há 5.000 ou 7.000 anos, as pessoas ainda viviam em pequenos clãs e produziam agricultura em pequena escala, um pouco antes dos grupos começarem a mudar-se para sociedades maiores e construirem grandes cidades. Esta foi uma grande “transição entre o início da atividade agrícola, onde se usavam ferramentas de pedra, para a agricultura em sociedades que já usavam ferramentas de metal”, disse Tyler-Smith.

Mas depois deste gargalo “vemos o começo das organizações sociais e a mudança das sociedades de pequena escala para cidades e organizações de pessoas que não estavam interessadas em manter a linhagem do cromossoma Y”, disse Feldman acrescentando que, durante este período, a população masculina foi recuperada.

Por norma, os pesquisadores concentram-se nos comportamentos que podem ter uma base genética e não no comportamento que influencia os genes, considerou Feldman. Esta nova descoberta é “um exemplo do que uma preferência cultural pode fazer para mudar o nível de variação genética“.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Está a nascer um mosteiro de 6 milhões de euros em Bragança (e vai acolher monjas italianas)

A aldeia de Palaçoulo, em Miranda do Douro, Bragança, foi o local escolhido para a localização do futuro Mosteiro Trapista de Santa Maria, Mãe da Igreja. A obra orçada em seis milhões de euros constitui …

Crédito ao consumo atingiu recorde de 7,6 mil milhões em 2019

O montante dos novos créditos ao consumo aumentou 7,1% em dezembro do ano passado, face ao mesmo mês do ano anterior, para 667,954 milhões de euros. De acordo com o os dados divulgados pelo Banco de …

Hamas engana soldados israelitas com fotografias de mulheres

Dezenas de soldados israelitas foram alvo de um ataque informático do Hamas, que usou fotografias de mulheres para infetar os seus telemóveis. De acordo com a BBC, o tenente-coronel Jonathan Conricus afirmou que os soldados receberam …

"Navio fantasma" dá à costa na Irlanda depois de mais de um ano à deriva

Um "navio fantasma" abandonado, que esteve mais de um ano à deriva, apareceu agora na costa de Ballycotton, uma vila costeira no condado de Cork, na Irlanda. Segundo o Irish Post, o navio MV Alta, de 77 metros …

12.º caso suspeito de coronavírus em Portugal deu negativo

O mais recente caso suspeito de coronavírus deu negativo, anunciou, esta terça-feira, a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com a Direção-Geral da Saúde, citada pelo jornal online Observador, a criança regressada da China que foi …

Vinte governadores brasileiros assinam carta com críticas a Bolsonaro

Vinte dos 27 governadores do Brasil subscreveram esta terça-feira uma carta dirigida ao Presidente do país, Jair Bolsonaro, que acusam de falta de diálogo, criticando também algumas das suas declarações públicas. "Recentes declarações de Jair Bolsonaro …

Super Bock e Sagres aliam-se em campanha contra o racismo

As duas marcas de cerveja aliaram-se numa campanha contra o racismo, depois do episódio ocorrido, no passado domingo, com Moussa Marega, no Estádio D. Afonso Henriques. "Contra o racismo, não há rivais" é o mote da …

Conselho de Disciplina abre processo disciplinar ao Vitória de Guimarães

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou, esta terça-feira, a abertura de um processo disciplinar ao Vitória de Guimarães, devido aos insultos racistas a Moussa Marega. O avançado do FC Porto recusou-se …

Pinto da Costa confirma fim da carreira de Casillas. E diz que episódio com Marega é um caso de polícia

O presidente do FC Porto confirmou, esta terça-feira, o fim da carreira do guarda-redes espanhol, que anunciou a intenção de se candidatar à presidência da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF). O dirigente portista falou aos …

Águias-de-Bonelli encontradas mortas no Douro Internacional

Duas águias-de-Bonelli jovens foram encontrados mortas no Douro Internacional, após terem sido marcadas com emissores GPS em 2018 e 2019, anunciaram na segunda-feira técnicos ligados a um projeto ibérico de salvaguarda destas aves. "O facto de …