As focas estão a fazer estranhos sons debaixo de água (mas são inaudíveis para os humanos)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Oregon descobriu que as focas de Weddell estão a chilrear, assobiar e vibrar sob o gelo da Antártida em frequências sonoras que são inaudíveis para os humanos.

Dois anos de gravações num observatório subaquático de transmissão ao vivo em McMurdo Sound capturaram nove tipos de vocalizações ultrassónicas tonais de focas que chegam a 50 quilohertz. Os humanos ouvem na faixa sónica entre 20 a 20 mil hertz – ou seja, até 20 quilohertz.

As focas de Weddell (Leptonychotes weddelii), o mamífero mais meridional do mundo, prosperam sob o gelo marinho, usando os seus grandes dentes para criar buracos de ar e conseguem mergulhar a 600 metros em busca de presas e permanecer submersos durante 80 minutos.

Os cientistas identificaram em 1982, e pela primeira vez, 34 tipos de chamada de focas em frequências sónicas, vinculando os sons às interações sociais.

O autor principal do estudo, Paul Cziko, professor no Instituto de Ecologia e Evolução da Universidade de Oregon, começou a registar as vocalizações sonoras de alcance das focas em 2017, após concluir a instalação do Observatório Oceanográfico McMurdo. Segundo Cziko, muitos trabalhadores na Estação McMurdo adormeciam a ouvir a transmissão dos sons das focas.

“As chamadas das focas de Weddell criam uma paisagem sonora sob o gelo quase inacreditável”, disse Cziko, num comunicado divulgado pelo EurekAlert. “Realmente parece que se está no meio de uma batalha espacial em Star Wars, com raios laser e tudo.”

Nos dois anos seguintes, o hidrofone digital de banda larga do observatório captou as vocalizações de alta frequência durante a monitorização passiva das focas.

“Continuámos a encontrar este tipo de chamadas ultrassónicas”, disse Lisa Munger, bióloga marinha e instrutora no Clark Honors College da Universidade de Oregon. “Finalmente, percebemos que as focas estavam a usá-los com bastante regularidade.”

Os nove novos tipos de chamadas eram compostos de elementos vocais únicos ou múltiplos com frequências fundamentais ultrassónicas.

Onze elementos, incluindo chilros, assobios e vibrações, estavam acima de 20 kHz. Dois ultrapassaram os 30 kHz e seis ficaram sempre acima de 21 kHz. Um apito atingiu 44,2 kHz e os chilros noutro tipo de chamada começaram a cerca de 49,8 kHz. As harmonias de algumas vocalizações ultrapassaram 200 kHz.

O significado das vocalizações ultrassónicas das focas de Weddell é desconhecido.

As focas estão entre 33 espécies de mamíferos com pés de barbatana agrupados como pinípedes e, até agora, acreditava-se que os pinípedes (que também incluem leões-marinhos e morsas) vocalizavam apenas em níveis sónicos.

Segundo Czico, as focas podem produzir os sons para “se destacar sobre todo o ruído de baixa frequência, como mudar para um canal diferente para se comunicar“.

Outra hipótese é que as vocalizações ultrassónicas podem ser usadas para ecolocalização, um sonar biológico que golfinhos, baleias e morcegos usam para navegar com visibilidade limitada para evitar obstáculos e localizar amigos ou presas.

“Gostaríamos de saber quem está a produzir as chamadas ultrassónicas – machos, fêmeas, jovens ou todos”, disse Munger. “E como é que as focas usam esses sons quando estão em águas mais profundas em busca de peixes? Precisamos de gravar em mais lugares para poder correlacionar os sons com os comportamentos.”

Este estudo foi publicado a 18 de dezembro na revista científica Journal of the Acoustical Society of America.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Os humanos estão a criar condições que podem iniciar uma nova pandemia

Os humanos estão a criar condições ambientais que podem levar a novas pandemias, indica um novo estudo da Universidade de Sydney. O novo estudo da Sydney School of Veterinary Science sugere que a pressão sobre os …

Governo aperta cerco, mas especialistas queriam mais. Desconfinamento pode estar em risco

Numa altura em que os números de casos diários não para de subir, a preocupação cresce. Apesar das novas medidas tomadas pelo Executivo na zona de Lisboa - a mais afetada do país - Portugal …

Guterres é hoje empossado para segundo mandato à frente da ONU. Marcelo estará presente

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, presta hoje juramento e toma posse para um segundo mandato durante uma sessão plenária da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque. Desta forma, a …

Câmara de Lisboa proíbe instalação de ecrãs no espaço público durante Euro2020

A instalação de ecrãs no espaço público durante o período do Euro2020 não será autorizada pela Câmara Municipal de Lisboa, tendo em conta a situação pandémica, anunciou hoje o município. “A Câmara Municipal de Lisboa, tendo …

A sucção da tromba de um elefante é mais rápida do que a velocidade de um comboio-bala

Os elefantes conseguem sugar coisas a uma velocidade de 530 quilómetros por hora — mais rápido do que um comboio-bala japonês. A tromba dos elefantes é-lhes altamente útil, já que a usam tanto para comer como …

Mais de metade dos rios do mundo não flui todo o ano

Entre 51% e 60% dos 64 milhões de quilómetros de rios e riachos do planeta Terra não fluem periodicamente ou secam durante parte do ano. De acordo com a agência Europa Press, este é o resultado …

Astrónomos podem ter detetado as maiores estruturas giratórias do universo

Pela primeira vez, astrónomos acabam de encontrar evidências de que algumas das maiores estruturas do cosmos giram numa escala de centenas de milhões de anos-luz. A estrutura em questão é um filamento cósmico, uma estrutura longa …

"A melhor seleção do mundo é a Bélgica"

Elogios do selecionador da Dinamarca ao adversário, mas ainda mais elogios aos seus jogadores, apesar de nova derrota dinamarquesa. Dois jogos em casa, duas derrotas. Apesar de realizar os seus encontros em Copenhaga, a Dinamarca está …

Se extraterrestres visitassem a Terra "não estariam vivos", diz astrónomo do SETI

Especialistas do Search for Extraterrestrial Intelligence (SETI), entidade que tem por objetivo a busca de vida no espaço, estão a afastar-se cada vez mais da ideia de encontrar inteligência extraterrestre igual à humana. Num artigo de …

Cientistas ajudam enxames de drones a evitar obstáculos (copiando o instinto dos pássaros)

Uma equipa de engenheiros da EPFL, na Suíça, desenvolveu um modelo de controlo preditivo que permite que enxames de drones voem em ambientes confusos com rapidez e segurança. Usar enxames de drones tem imensas vantagens, mas …