FMI aconselha aumento da idade da reforma nos países desenvolvidos

greekadman / Flickr

-

O Fundo Monetário Internacional voltou a insistir na necessidade de aumentar da idade da reforma nas economias desenvolvidas, para alcançar uma melhor distribuição dos rendimentos nestes países.

Num relatório divulgado esta quinta-feira, intitulado “Política Orçamental e Desigualdades Sociais“, o Fundo Monetário Internacional (FMI) salvaguarda que cada governo tem diferentes objetivos de redistribuição de rendimentos e que “não há um conjunto de políticas que seja a melhor prática” para uma redistribuição eficiente dos recursos.

No entanto, a instituição liderada por Christine Lagarde deixa algumas recomendações, incluindo o aumento da idade efetiva da reforma, argumentando que isso ia “ajudar a melhorar a sustentabilidade dos sistemas de pensões sem cortar nos benefícios”.

“Aumentos graduais da idade estatutária da reforma reduzem a necessidade de outras reformas que diminuem os benefícios das pensões e que podem aumentar a pobreza na terceira idade e podem também melhorar o emprego e o crescimento económico”, escreve o FMI.

O Fundo sugere também que haja uma indexação das pensões ao número de anos contributivos em vez de haver apenas uma idade fixa para a reforma, independentemente do número de anos de descontos para o sistema de pensões.

Sistema progressivo de tributação

Além disso, sublinhando que, em muitos países, os sistemas de pensões têm um tratamento fiscal mais favorável, o FMI considera que estes sistemas devem ser incorporados num sistema progressivo de tributação do rendimento.

Equalizar o tratamento entre as fontes de rendimento incorporando todos os benefícios das pensões num sistema tributário progressivo standard pode reduzir os custos orçamentais líquidos, ao mesmo tempo que se protegem os grupos com menor rendimento e se reduzem as desigualdades”, lê-se no relatório.

Reconhecendo que, normalmente, as reformas dos sistemas de pensões preocupam-se com a redução da taxa de substituição (o rácio entre as pensões dos reformados e os salários dos trabalhadores no ativo), o Fundo recomenda que os cortes nessa taxa sejam progressivos.

“Quando possível, estas reduções devem ser progressivas para evitar aumentos da pobreza entre os mais velhos. No entanto, [a aplicação de] cortes progressivos exige cortes maiores nas taxas de substituição nos grupos com maiores rendimentos”, escrevem os técnicos da organização.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ordenados "não podem ser cortados", diz comissário. Proposta sobre salário mínimo apresentada em outubro

O comissário europeu do Emprego e Direitos Sociais, Nicolas Schmit, reconheceu as limitações da Comissão Europeia quanto a salários, defendendo que o sistema que no qual está a trabalhar permitirá que os rendimentos aumentem na Europa. Em …

Chega quer expulsar autor de moção pela remoção de ovários a mulheres

A direção do Chega vai propor a “suspensão imediata” do militante Rui Roque que defendia a extração dos ovários numa moção de estratégia que foi rejeitada em congresso, informou esta segunda-feira o partido. Mais de uma …

Precários à espera de apoio extraordinário estão a receber multas do fisco

A Associação de Combate à Precariedade denunciou que a Autoridade Tributária (AT) está a aplicar multas de 75 euros a trabalhadores precários que ficaram sem rendimento e estão a recorrer ao novo apoio extraordinário a …

Portugal regista mais seis óbitos e 688 novos casos

Portugal contabiliza esta segunda-feira mais seis mortos relacionados com a covid-19 e 688 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o último boletim divulgado epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da …

Novo lay-off é para "aguentar o emprego e as empresas" (mas agrava cortes dos trabalhadores)

O novo regime de lay-off anunciado pelo Governo, para apoiar as empresas com "perdas mais significativas", nomeadamente na área do turismo, visa "aguentar o emprego e as empresas", segundo o ministro da Economia, Siza Vieira, …

Jornal "The Guardian" sugere que Portugal é um país racista e compara Ventura a Bolsonaro

O jornal britânico "The Guardian" noticiou, esta segunda-feira, alguns dos mais recentes acontecimentos racistas que têm ocorrido no país, afirmando no seu título que "Portugal regista um aumento da violência racista com ascensão da extrema …

Jornal Washington Post declara apoio a Biden e quer afastar "o pior presidente dos tempos modernos"

O jornal de referência Washington Post declarou esta segunda-feira o seu apoio ao candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, para derrotar o republicano Donald Trump, que considera “o pior Presidente dos tempos modernos”. No …

Portugal não recorrerá aos empréstimos do fundo de recuperação da UE

O primeiro-ministro António Costa salientou esta terça-feira que Portugal "recorrerá integralmente" aos cerca de 15,3 mil milhões de euros em subvenções que poderá receber do fundo de recuperação europeu, mas adiantou que não utilizará a …

Isabel dos Santos impugna nacionalização da Efacec

A empresária angolana Isabel dos Santos avançou com uma ação para impugnar a nacionalização da Efacec, decisão que foi anunciada pelo ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, no início de julho. Numa nota enviada às …

Brexit. Na nona e última ronda, Von der Leyen está convencida de que acordo é possível

A União Europeia (UE) e o Reino Unido voltam esta terça-feira às negociações, na nona e última ronda para sair do impasse em questões como as pescas e concorrência e chegar a um acordo de …