Físicos descobriram fusão nuclear tão poderosa que pensaram em escondê-la para sempre

Uma dupla de físicos descobriu um novo tipo de fusão que acontece entre quarks, a partícula elementar e um dos dois elementos básicos que constituem a matéria, e ficaram tão preocupados com o seu poder que quase optaram por esconder os resultados.

Marek Karliner e Jonathan Rosner, da Universidade de Tel Aviv, em Israel, questionaram-se se esta nova descoberta poderia provocar uma nova corrida de armamento nuclear e a uma nova era subatómica. “Devo admitir que quando percebi que a reação era possível pela primeira vez, fiquei assustado”, diz Karliner ao Live Science.

Porém, depois de aprofundar estudos sobre a reação, os físicos perceberam que era limitada, o que é bom e mau ao mesmo tempo: por um lado, pessoas ou governos mal-intencionados não poderiam utilizar a nova tecnologia para criar armas terríveis, por outro, mostra que provavelmente não vamos poder usá-la para gerar energia limpa.

Durante mais de um século, sabíamos que as partículas que formam o núcleo de um átomo se sustentam pela ação de uma quantidade de energia impressionante. Separá-las liberta uma parte dessa energia – um processo chamado de “fissão”, que é o que acontece no caso das bombas nucleares. Por outro lado, uni-las liberta ainda mais energia, um processo chamado de “fusão”, tal como acontece no Sol.

Ao invés de rearranjar os protões e neutrões dos átomos, a dupla de físicos decidiu investigar as partículas menores dentro deles, isto é, os quarks, rearranjando-os de uma forma semelhante.

Há seis tipos de quarks: up (para cima), down (para baixo), strange (estranho), charm (charme), bottom (fundo) e top (topo). Possuem várias propriedades, como a carga elétrica, a massa, a carga de cor e o spin, e nunca estão sozinhos, agrupando-se com outros quarks formando grupos chamados bariões.

O barião Xi cc++, por exemplo, é formado por dois quarks charm e um quark up, o que o torna muito mais pesado do que os quarks up e down encontrados em protões e neutrões. A massa é importante porque a conversão de massa para energia é a origem da energia da fissão e fusão.

Por exemplo, uma bomba de hidrogénio gera energia de 17,6 milhões de eletrões volts. Os cálculos de Karliner e Lezter mostram que a fusão de quarks charm poderiam libertar 12 milhões de eletrões volts. Já dois quarks pesados, como os bottom, libertariam 138 milhões de eletrões volts.

Mas, afinal, o que fez com os físicos mudassem de ideias? A dupla percebeu que, ao contrário dos átomos, quarks bottom não podem ser colocados no casco de uma bomba para ser lançado contra um dado alvo, porque existem durante um tempo tão curto que isso não seria possível.

A sua existência, por enquanto, só pode acontecer em aceleradores quânticos por um picosegundo, ou um trilionésimo de segundo. Depois disso, transformam-se num quark muito mais leve e inofensivo.

Assim, os autores do estudo puderam, sem ter problemas de consciência, divulgar finalmente as suas conclusões, num artigo publicado recentemente na revista Nature – porque na prática, ninguém pode dar uso, bom ou mau, a este conhecimento.

Pelo menos, para já.

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. “Físicos descobriram fusão nuclear tão poderosa que pensaram em escondê-la para sempre”. Bem… Pelo que li, estes cientistas descobriram algo que é impraticável. É mais que claro que estes cientistas descobriram… NADA!!! Não critico os cientistas. É esse o trabalho deles: Investigar, experimentar… Por vezes resulta e por vezes não. Critico o relevo a esta notícia. Uma mão cheia de nada. Descobriram algo, mas também descobriram que não é possivel fazê-lo. Notícia de NADA!!!

  2. Na física tudo é possível, e como sabemos até o tempo é relativo, o que torna ainda perigosa a descoberta sim. Ultimamente, os avanços da física tem acelerado de forma espantosa, e em um tempo onde a civilização humana não acompanha da mesma forma a evolução sócio-econômica, com suas guerras e terrorismo e a destruição do seu meio ambiente, pode ser um risco para que governos usufruam da tecnologia para o extermínio em massa de governos opostos.

RESPONDER

Museu de Nova Iorque devolve ao Egito "caixão dourado" roubado em 2011

O Museu Metropolitan (MET) de Nova Iorque vai devolver ao Egito um sarcófago roubado em 2011, durante as manifestações da chamada "Primavera Árabe", anunciou este domingo a instituição nova-iorquina. Construído em ouro para o sacerdote Nedjemankh, …

Quase um terço da população chinesa terá mais de 65 anos em 2050

Trinta por cento da população chinesa terá mais de 65 anos, dentro de três décadas, informou hoje um jornal chinês, ilustrando o rápido envelhecimento do país, apesar de ter abolido a política de filho único. “O …

Trump pede à Europa que julgue os seus "jihadistas" (ou os EUA terão de os libertar)

O presidente dos Estados Unidos apelou aos países europeus, nomeadamente o Reino Unido, a França e a Alemanha, para repatriarem e julgarem os seus combatentes do Estado Islâmico feitos prisioneiros na Síria. Caso contrário, aponta …

Depois de 11 mortes e 1800 condenações, franceses querem o fim dos Coletes Amarelos

A maioria dos franceses defende que devem parar os protestos nas ruas dos “coletes amarelos”, três meses após o início das primeiras manifestações que fizeram 11 vítimas mortais, noticia esta segunda-feira a agência France Presse. Uma …

Uma tese de doutoramento levou Marcelo à capa do El País

A tese de doutoramento sobre Marcelo Rebelo de Sousa é de autoria de uma professora universitária e jornalista da RTP. O tema já chegou ao jornal espanhol El País. O jornal percorre as provas de popularidade …

Seguros de saúde sobem para 2,6 milhões com crise no SNS

No primeiro semestre de 2018 o número de contratos de seguros de saúde aumentou 3%, em termos homólogos, para 2,6 milhões, escreve esta segunda-feira o Jornal de Notícias na sua edição impressa. Os dados, da Autoridade …

PSP usa critérios étnicos para avaliar risco de bairros problemáticos

Apesar de a recolha de dados étnico-raciais não ser permitida em Portugal, a PSP utiliza ainda critérios étnicos na avaliação do grau de risco de zonas urbanas sensíveis (ZUS), avança o jornal Público esta segunda-feira. Segundo …

Pyongyang fala em “momento decisivo” em vésperas de nova cimeira com Washington

O principal diário norte-coreano, Rodong Sinmun, escreve esta segunda-feira que o país enfrenta "um momento decisivo", em termos de desenvolvimento económico, a pouco mais de uma semana da cimeira entre o líder norte-coreano e dos …

OCDE quer tribunais especiais para julgar a corrupção

Portugal precisa de fortalecer os mecanismos de prevenção da corrupção, defende a OCDE, que sugere a criação de tribunais especializados e a redução das possibilidades de recurso dos arguidos.  O retrato da análise da corrupção …

Costa "está a colocar todos os potenciais sucessores no palco”

No seu habitual espaço de comentário político semanal na SIC, Luís Marques Mendes falou sobre as recentes alterações no Governo, a moção de censura do CDS que "não faz sentido" e a "crise anunciada" da …