Físicos observam pela primeira vez o espectro luminoso da antimatéria

(dr) CERN

Experiência ALPHA no CERN

Experiência ALPHA no CERN

Depois de duas décadas de tentativa, os físicos da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN) observaram a primeira medida de luz emitida por um átomo de antimatéria.

O resultado confirma o que foi previsto pelas leis da física e abre uma nova forma de testar a teoria da relatividade especial de Einstein.

O estudo, publicado na revista Nature, pode ajudar os cientistas a responderem a um dos maiores mistérios da física moderna – porque é que existe mais matéria do que antimatéria no universo?

A lei da física prevê que, para cada partícula de matéria, há uma antipartícula. Assim, para cada eletrão com carga elétrica negativa, existe um positrão com carga positiva.

Isto significa que, para cada átomo de hidrogénio regular, há um átomo de anti-hidrogénio. E, tal como um átomo de hidrogénio é composto de um eletrão ligado a um protão, um átomo de anti-hidrogénio é composto de um anti-eletrão (ou positrão) ligado a um antiprotão.

Se uma antipartícula encontra uma partícula regular, ambas se aniquilam, libertando energia sob a forma de luz.

Uma possível solução

Este facto cria dois grandes problemas. O primeiro é que, como há tanta matéria regular no universo, é praticamente impossível encontrar antimatéria na natureza, uma vez que esta será aniquilada antes mesmo de eles terem qualquer hipótese de começar a procurá-la.

O segundo problema é: como é que há muito mais matéria regular do que antimatéria no universo, se os nossos modelos físicos atuais sugerem que o Big Bang produziu uma quantidade igual de partículas e anti-partículas? Não deveria ter sido tudo aniquilado?

“Algo aconteceu, alguma pequena assimetria, e ainda não temos uma boa ideia para explicar isto”, disse um dos membros do estudo, Jeffrey Hangst, da experiência ALPHA no CERN.

Pode estar tudo prestes a mudar, porque, pela primeira vez, os cientistas foram capazes de medir o tipo de luz emitida por um átomo de anti-hidrogénio quando atingido por um laser, e comparar o resultado com a luz emitida por um átomo de hidrogénio regular.

E, apesar de não parecer muito, é a primeira vez que os cientistas conseguem controlar um átomo de anti-hidrogénio durante tempo suficiente para medir diretamente o seu comportamento e compará-lo com o seu equivalente regular.

Como é impossível encontrar uma partícula de anti-hidrogénio na natureza, os especialistas terão de produzir os seus próprios átomos em laboratório. Ao longo dos últimos 20 anos, a equipa ALPHA descobriu como produzir a quantidade suficiente desses átomos para realmente ser possível trabalhar com eles.

Os físicos desenvolveram a uma técnica que lhes permite criar cerca de 25.000 átomos de anti-hidrogénio a cada 15 minutos, prendendo cerca de 14. Os métodos anteriores só conseguiram capturar 1,2 átomos durante 15 minutos.

Essas partículas presas são explodidas pela luz laser para forçar seus positrões a “saltar” de um nível de energia mais baixo para um nível mais alto. À medida que voltam ao nível de energia mais baixo, a quantidade de luz libertada por eles pode ser medida.

Perspetivas futuras

A equipa de cientistas descobriu que o átomo de anti-hidrogénio emite exatamente o mesmo espectro de luz que os átomos de hidrogénio regulares.

“Há muito tempo que existe a ideia que a antimatéria é um reflexo exato da matéria, e estamos a reunir provas que mostrem que isso é verdade”, disse Tim Tharp, outro membro da equipa ALPHA.

Este resultado é consistente com o Modelo Padrão de Física de Partículas, que prevê que hidrogénio e anti-hidrogénio terão características de emissão de luz idênticas. Agora, os físicos têm a oportunidade de testar ainda mais espectros usando diferentes tipos de lasers.

Se todos forem idênticos, a teoria de Einstein sobrevive mais um dia. A relatividade especial pressupõe que o espaço-tempo se divide de forma diferente no espaço e no tempo para os observadores, com um movimento uniforme em relação ao outro.

Mas tal teoria não pode estar exatamente certa se a matéria e a antimatéria não se espelharem. De acordo com os especialistas, investigações futuras poderão vir a comprovar se Einstein estava ou não correto.

No caso de a antimatéria não obedecer às mesmas leis da física que a matéria regular, então são os nossos modelos do Big Bang que estão errados – e teremos que repensá-los e descobrir de uma vez por todas porque é que a matéria escapou à aniquilação total no Universo e permitiu a existência de tudo o que está à nossa volta.

ZAP / Hypescience

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. sugeria ao jornalista que escreveu esta notícia que tentasse fazer alguma investigação sobre este assunto especialmente no que à assimetria diz respeito, porque aparentemente ou traduziu mal algum bom artigo ou traduziu bem um mau artigo …

RESPONDER

Uma questão de físico. Já se sabe porque o Manchester United desistiu de João Félix

Foi a "falta de físico" que afastou João Félix do Manchester United. O clube inglês ponderou contratar a jovem estrela do Benfica, antes da sua mudança para o Atlético de Madrid, mas acabou por desistir …

Reino Unido e UE retomam negociações. Londres vai pedir adiamento se não houver acordo até sábado

O Reino Unido e a União Europeia (UE) retomam esta quarta-feira as negociações sobre o 'Brexit', depois de na véspera se ter anunciado que um acordo estaria iminente. "Ainda há trabalho a fazer", referiu o …

Filho de Biden quebra o silêncio. "Sei que não fiz nada errado"

O filho do ex-vice-Presidente norte-americano, que tem estado no centro do inquérito para a destituição de Donald Trump, admitiu que o seu percurso profissional na Ucrânia foi uma má decisão, rejeitando, porém, ter feito algo …

Já se sabe onde se vão sentar os novos partidos no Parlamento

A deputada do Livre vai sentar-se entre PCP e PS, o deputado da Iniciativa Liberal entre PSD e CDS-PP e o deputado do Chega o mais à direita, todos na segunda fila. A conferência de líderes …

Rota do Cabo: Funcionária emitiu 15 mil números de contribuinte fraudulentos em três anos

Funcionários das Finanças, da Segurança Social, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e advogados estão entre os principais suspeitos desta rede criminosa de auxílio à imigração ilegal. A Polícia Judiciária (PJ) desmantelou, esta terça-feira, uma organização …

"É desonesto eu pagar". Paulo Maló revoltado por causa das dívidas do império que criou

O empresário e médico dentista Paulo Maló, fundador do grupo Malo Clinic, está revoltado com a possibilidade de ter que responder financeiramente no âmbito das dívidas de 70 milhões de euros que a empresa acumulou. O …

Sismo de magnitude 6.7 atinge as Filipinas

Um terramoto de magnitude 6.7 atingiu as Filipinas, a 69 quilómetros da cidade de Davao, avança a agência Reuters. De acordo com o Serviço de Prevenção de Tsunamis do Pacífico, não é esperado um tsunami …

Web Summit: Câmara de Lisboa terá que pagar mais 4,7 milhões de euros para assegurar edição deste ano

A Câmara de Lisboa vai discutir na quinta-feira alterações ao acordo para a realização da Web Summit, entre as quais o pagamento de mais 4,7 milhões de euros e o adiamento da expansão da Feira …

Business Insider: "Lisboa foi feita para o Instagram"

"Lisboa é cool." Hillary Hoffower, jornalista do Business Insider, apaixonou-se e descreveu a capital portuguesa num artigo em que diz entender porque é que Lisboa se tornou no "destino mais popular entre millenials em 2019". Hillary …

Bolsonaro prestes a deixar PSL. Partido da IURD na corrida para o receber

Em rota de colisão com o seu atual partido, o Partido Social Liberal (PSL), o Presidente brasileiro Jair Bolsonaro equaciona romper e já recebeu cinco convites de partidos de pequeno e médio porte, admitiu a …