Fio magnético pode vir a ser usado para detetar cancro

(dr) Sam Gambhir

Uma simulação deste fio magnético que poderá vir a ser usado para detetar cancro

Investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Stanford, nos EUA, desenvolveram um fio magnético que poderá vir a ser utilizado para detetar células cancerígenas.

A ideia é que este fio magnético seja inserido na veia de um paciente para depois poder encontrar células cancerígenas que possam estar pela corrente sanguínea. Os resultados desta investigação foram publicados, esta segunda-feira, na revista científica Nature Biomedical Engineering.

Para já, esta técnica só foi testada em porcos mas detetou 10 a 80 vezes mais células tumorais do que os atuais métodos de deteção de cancro através do sangue, tornando-se uma poderosa ferramenta para diagnosticar a doença mais cedo.

As células que este fio magnético apanha são as que andam pela corrente sanguínea livremente, conhecidas como células tumorais circulantes, e que podem servir como biomarcadores do cancro, sinalizando a presença da doença.

No entanto, estas células circulantes são escassas e, por isso, uma amostra de sangue normal normalmente não as deteta – afinal, estamos a falar de alguns mililitros do volume total de sangue que, em humanos adultos, é de cerca de cinco litros.

É aqui que este fio magnético pode fazer a diferença. Em primeiro lugar, os investigadores inseriram nos porcos nanopartículas especiais com propriedades magnéticas e um anticorpo que se liga às células tumorais circulantes.

De seguida, inseriram o fio numa veia perto da orelha dos animais, que é semelhante às veias do braço de um ser humano e, quando as células do tumor flutuaram pelo fio, que tem aproximadamente o comprimento de um dedo mindinho e a espessura de um clipe, aderiram a este material. Foi então que o fio magnético foi removido das veias dos porcos, com as células tumorais “presas” nele.

“Acreditamos que seria preciso recolher 80 amostras de sangue para conseguir o que este fio faz em 20 minutos”, explica Sam Gambhir, um dos investigadores do estudo. “Por isso, esperamos que esta nova abordagem possa enriquecer a nossa capacidade de detetar o cancro e dar-nos uma melhor perceção de quão raras são estas células, e quão cedo aparecem uma vez que o cancro esteja presente”.

No futuro, os investigadores acreditam que esta técnica também pode ser usada para recolher informações genéticas sobre tumores localizados em locais onde é difícil realizar uma biopsia ou para verificar se um determinado tratamento está a funcionar ou não.

Ou até mesmo tornar-se um tratamento em si mesmo. “Se conseguirmos que seja realmente bom em sugar células cancerígenas, quase que age como um filtro que as agarra e as impede de se espalhar para outras partes do corpo”, sugere Gambhir.

Para já, a equipa está a preparar a técnica para ser testada em humanos, o que envolve perceber o que acontece com as nanopartículas magnéticas que ficam no corpo. Segundo o cientista, estão neste momento a fazer os testes em ratos e, até agora, não se revelaram tóxicas e até se desintegraram em algumas semanas.

Avatar ZAP // HypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

Coleção de joias da era Viking é encontrada na Ilha de Man. É "excecionalmente rara"

Uma coleção de joias da era Viking foi encontrada na Ilha de Man, entre Inglaterra e a Irlanda, em novembro de 2020 e foi agora classificada como tesouro. Os especialistas acreditam que os artefactos, descobertos …

“As brasileiras são mercadoria". Professor da UP suspenso por comentários machistas e xenófobos nas aulas

Após uma denúncia que reuniu assinaturas de mais de uma centena de alunas, o professor auxiliar Pedro Cosme da Costa Vieira foi suspenso pelo período máximo de 90 dias, da Faculdade de Economia da Universidade …

Houve buzinão na Luz (mas sem "carinho"). Jesus culpa covid-19 pela crise do Benfica

Algumas dezenas de adeptos protestaram junto ao Estádio da Luz com um buzinão, entre gritos de "Rua Vieira" devido aos maus resultados do Benfica. Antes disso, Jorge Jesus tinha apelado a um "buzinão de carinho" …

Marcelo remete diretamente para o Governo limites ao ruído nos prédios

O chefe de Estado incluiu o detalhe "decreto-lei do Governo", no novo decreto para a renovação do estado de emergência, para permitir que o Executivo limite o ruído nos prédios. No último decreto que executou o …

Clubes ingleses decidiram: não há público, acabou a época

Decisão não afeta a Premier League mas antecipa o final de quatro divisões do futebol inglês. Na época passada os campeonatos também não chegaram ao fim. Muitos dos campeonatos não-profissionais (em várias modalidades) estão parados, não …

Cães podem ter consciência corporal tal como os humanos

Os cães podem não ser capazes de se reconhecer em frente a um espelho, mas isso não significa que não tenham um certo nível de autoconsciência. De acordo com o site Science Alert, um novo estudo …

Moratórias de crédito à habitação terminam a 31 em Março. Famílias terão de procurar opções

Todas as moratória públicas para o crédito à habitação terminam a 30 de Setembro, mas a dos bancos expira já no próximo mês. Uma das soluções para quem não consegue cumprir os pagamentos é a …

Finanças: Mais dinheiro para a TAP só com novo acordo com Bruxelas

O Ministério das Finanças refere que, enquanto não houver a luz verde de Bruxelas ao plano de reestruturação, não há mais apoio público à companhia aérea.  A TAP só garante a liquidez até final de março, …

Primeiros fundos chegam até junho. Costa pede “consenso” no Plano de Recuperação

O ministro do Planeamento, Nelson de Souza, anunciou esta quarta-feira no Parlamento, que os novos subsídios europeus do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para 2021-2026 chegarão até ao mês de junho. De acordo com o …

Descobertos "ingredientes para a vida" em rochas com 3,5 mil milhões de anos

Investigadores descobriram moléculas orgânicas em formações rochosas super antigas na Austrália, revelando o que dizem ser a primeira evidência detalhada dos primeiros ingredientes químicos que poderiam ter sustentado as formas de vida microbianas primitivas da …