Filha de Fujimori lidera primeira volta das presidenciais no Peru

KeikoSofiaFujimoriHiguchi / Facebook

A candidata a presidente do Peru, Keiko Fujimori Higuchi, filha do ex-presidente Alberto Fujimori,

A candidata a presidente do Peru, Keiko Fujimori Higuchi, filha do ex-presidente Alberto Fujimori,

Keiko Fujimori, filha do controverso ex-Presidente do Peru Alberto Fujimori (1990-2000), venceu a primeira volta das presidenciais peruanas, que se realizaram este domingo.

Filha do ditador Alberto Fujimori, Keiko Fujimori enfrentará o economista Pedro Pablo Kuczynski na segunda ronda das eleições presidenciais no Peru, de acordo com os resultados parciais divulgados na madrugada desta segunda-feira.

Com 40% dos votos contados, Keiko Fujimori consegue 39% dos votos e o seu opositor centrista 24%, a uma distância considerável da terceira classificada Verónika Mendoza, que nos últimos dias parecia em posição de disputar o segundo lugar com a promessa de uma “mudança radical” às políticas económicas do Peru, mas esta madrugada contava apenas 17% nos resultados parciais.

Difundidas logo após o encerramento das assembleias de voto, às 16h (22h em Lisboa), as sondagens à boca das urnas dos institutos Ipsos e CPI atribuíram entre 37,8% e 39,1% dos votos a Keiko Fujimori.

Os primeiros resultados oficiais deverão ser conhecidos na segunda-feira de madrugada.

Quase 23 milhões de peruanos foram chamados a participar nestas eleições, após uma campanha marcada por acusações de compra de votos e ataques mortíferos atribuídos à ex-guerrilha maoísta do Sendeiro Luminoso.

Keiko Fujimori, de 40 anos, candidata pelo partido de direita Força Popular, era vista como a grande favorita do escrutínio, apesar da opinião divida sobre o pai Alberto Fujimori, que dirigiu o país durante 10 anos, antes de ser condenado a 25 anos de prisão por crimes contra a humanidade e corrupção.

A candidata promete um pendor económico mais liberal, mas as suas grandes promessas são o investimento em obras públicas e o combate ao crime, na figura dos grandes traficantes de cocaína e guerrilhas residuais do Sendero Luminoso.

O escrutínio realizou-se no dia seguinte a dois ataques contra o exército e atribuídos pelas autoridades a forças residuais do Sendero Luminoso. Pelo menos sete pessoas morreram no centro do país.

A campanha eleitoral foi também perturbada por uma nova lei que proíbe, sob pena de exclusão, a distribuição de dinheiro ou ofertas.

Dos 19 candidatos inscritos à partida, nove renunciaram à candidatura. Um deles, Gregorio Santos, foi detido por suspeita de corrupção, mas apresentou-se a partir da prisão.

A legislação, que permite desqualificar os candidatos até ao dia da votação, foi criticada por juristas e pelo secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, que afirmou recear “uma eleição semidemocrática”.

Os peruanos foram chamados a eleger o Presidente e dois vice-presidentes do Peru para o período 2016-2021, assim como 130 congressistas e 15 representantes para o parlamento.

O sistema político do Peru, onde o voto é obrigatório, tem por base um regime presidencialista com um mandato de cinco anos renovável, mas não de modo consecutivo, e um parlamento de câmara única.

É a segunda vez que Keiko Fujimori se apresenta a eleições, depois de ter perdido para o atual presidente Ollanta Humala, em 2011.

Reservas contra candidatura da filha de Fujimori

Na semana passada, milhares de pessoas manifestaram-se no Peru contra a candidatura de Keiko Fujimori à presidência e para condenar o golpe de Estado do pai, o ex-presidente Alberto Fujimori, a 5 de abril de 1992.

Representantes da Coordenadora Nacional de Direitos Humanos (CNDDHH) disseram à agência Efe que as manifestações, na terça-feira, em várias cidades do país, reuniram cerca de 50 mil pessoas, um número também avançado por membros do grupo civil “Keiko no va”.

O secretário-executivo da CNDDHH, Jorge Bracamonte, disse que a manifestação em Lima foi realizada com a intenção de recordar que a partir do golpe de 1992 “perverteram-se todas as instituições do país”.

Keiko Fujimori, antiga deputada, procurou distanciar-se das políticas do pai, a cumprir uma pena de 25 anos por violação dos direitos humanos e corrupção durante o seu mandato entre 1990 e 2000.

Alberto Fujimori governou o país com mão de ferro: mal foi eleito, dissolveu o Congresso, fechou o Poder Judiciário, o Ministério Público, o Tribunal Constitucional e o Conselho da Magistratura, e aliou-se aos militares.

Encurralado por inúmeros escândalos, Fujimori acabou por fugir do país em 2000, durante uma viagem presidencial, tendo pedido asilo político no Japão.

O Tribunal Constitucional do Peru ratificou, em janeiro de 2015, a condenação a 25 anos de cadeia aplicada em 2009 ao antigo Presidente Alberto Fujimori por crimes contra a Humanidade.

Agência Brasil

PARTILHAR

RESPONDER

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …

"Já sofreu muito". Trump comuta pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comutou a pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone, que foi condenado em fevereiro a 40 meses de prisão, anunciou sexta-feira a Casa Branca. Roger …

Armas, droga, sucata e prostituição financiam neonazis portugueses (mas lucros não vão todos para a causa)

Os grupos neonazis portugueses são "bastante desorganizados" e financiam-se com dinheiro obtido em negócios ilícitos, como o tráfico de armas, de droga e de mulheres para prostituição e a sucata. Mas os ganhos obtidos não …