/

Ferramentas ancestrais na China podem contar a história dos nossos antepassados

Um grande número de ferramentas de pedra antigas levou a uma grande lacuna no registo arqueológico da China, desafiando a compreensão de como a espécie humana se espalhou pelo mundo.

Os nossos antepassados começaram a fabricar ferramentas de pedra há mais de 3 milhões de anos. Com o passar do tempo, as ferramentas tornaram-se mais complexas.

Há cerca de 300 mil anos, um novo tipo de ferramenta feito com recurso à técnica Levallois – nome dado pelos arqueólogos para um tipo de distintivo de lascado da pedra – começou a aparecer em África e no oeste da Euroásia.

Em vez de lascar uma pedra para criar uma ferramenta, as técnicas de Levallois funcionam na pedra, por isso são as próprias lascas que se tornam as ferramentas – o que permite que várias ferramentas sejam feitas a partir de uma única pedra.

Até recentemente, parecia que a revolução Levallois não se teria espalhado para o leste, para lugares como a China, até muito mais tarde, há cerca de 40 mil anos. Mas esta ideia está a ser questionada.

Bo Li, da Universidade de Wollongong, na Austrália, e os seus colegas confirmaram que as ferramentas de pedra de estilo Levallois recuperadas da caverna de Guanyindong, no sul da China, têm entre 160 e 170 mil anos. O anúncio foi feito num artigo publicado a 19 de novembro na revista Nature.

No início do ano, os investigadores descobriram ferramentas de pedra Levallois – algumas com 385 mil anos – num local chamado Attirampakkam, na Índia. Isto significa que os nossos antepassados do centro e do leste da Euroásia começaram a fabricar ferramentas Levallois muito antes do que se pensava.

A questão agora é: quem eram os fabricantes? É uma pergunta difícil de responder, segundo Michael Petraglia, investigador do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana, na Alemanha, que não esteve envolvido no estudo.

Em África, as ferramentas de Levallois estão associadas à nossa espécie – Homo sapiens -, enquanto na Europa foram os neandertais que as criaram. Petraglia diz que qualquer uma das espécies poderia, em princípio, ter se deslocado para a China, levando consigo ferramentas Levallois.

Contudo, também é possível que um humano antigo que vivesse no leste da Euroásia – por exemplo, os denisovanos, sobre os quais se sabe muito pouco – possa ter inventado as ferramentas de forma independente.

Se as ferramentas tivessem sido fabricadas por homo sapiens, isso significaria que a nossa espécie chegou à China muito mais cedo do que se pensa. Descobertas recentes mostram que os nossos antepassados chegaram ao país há 120 mil anos – ainda assim, 50 mil anos depois das ferramentas encontradas na caverna Guanyindong terem sido usadas.

De acordo com Li, os arqueólogos precisam urgentemente de encontrar mais fósseis humanos na China, idealmente preservados para que ADN antigo possa ser recolhido.

  ZAP // NewScientist

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.