Fenprof defende reorganização das turmas e reforço do pessoal não docente

*Bloco / Flickr

O secretário-geral da Federação Nacional dos Professores defendeu esta segunda-feira turmas com menos alunos para assegurar melhorias na aprendizagem e o cumprimento das regras de distanciamento, no dia em que os alunos dos 2.º e 3.º ciclos regressam às escolas.

“Era necessário que as turmas pudessem ser ainda reorganizadas para poderem ficar com menos alunos. Isso era importante do ponto de vista da aprendizagem e de um trabalho mais personalizado dos professores, mas também para manter o distanciamento”, afirmou Mário Nogueira, que falava aos jornalistas junto à Escola Eugénio de Castro, em Coimbra.

O dirigente sindical realçou também a importância do reforço do pessoal não docente, numa altura em que a desinfeção e limpeza “são fundamentais” e em que as escolas ainda apresentam um défice.

No entanto, a preocupação com as condições dos alunos nas escolas “é superada pela importância que tem o regresso ao ensino presencial”, frisou. “O ensino presencial já fazia falta.

Os prejuízos que os nossos alunos tiveram ao longo deste período todo foram grandes, apesar do esforço de todos”, notou. Mário Nogueira espera agora que seja possível manter as escolas abertas até ao final do ano letivo.

Questionado sobre o plano de recuperação de aprendizagens que deverá ser apresentado pelo Governo em maio, o secretário-geral da Fenprof salientou que espera que o próximo ano letivo “se organize para que seja possível superar” os problemas que o ensino à distância trouxe.

“Vamos aguardar para ver o que aí vem, mas que este ano não tenha mais problemas e mais prejuízos e não se acumulem mais défices na aprendizagem”, disse.

Os alunos dos 2.º e 3.º ciclos retomam hoje as aulas presenciais, no âmbito da segunda fase do plano de desconfinamento do país devido à pandemia, que prevê também a reabertura de centros de dia, equipamentos para deficientes e esplanadas.

Identificados mais 5 mil alunos sem condições para aulas à distância

As escolas de acolhimento começaram por estar abertas para receber os filhos dos profissionais essenciais, mas no segundo confinamento, o Ministério da Educação previu também a possibilidade de serem acolhidos nestes estabelecimentos de ensino os alunos com necessidades educativas especiais, bem como aqueles para quem o ensino à distância é considerado ineficaz ou que se encontravam em risco de abandono.

E foi este número que não parou de crescer. Na primeira semana de aulas à distância frequentaram as escolas 3300 alunos (média diária) por causa das dificuldades com o ensino remoto.

No final desse mês, de acordo com o último balanço que tinha sido feito pela tutela, eram já 6000. Segundo o Público, na última semana do 2.º período foram 8500.

Para as escolas foram encaminhados os alunos com problemas de acesso à internet ou que não tinham um equipamento informático para acompanhar as aulas à distância.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Mais de metade dos alunos LGBTQI sofre bullying na escola, diz relatório

Mais de metade dos alunos LGBTQI sofre 'bullying' na escola, alertou esta segunda-feira a UNESCO, por ocasião do Dia Internacional Contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia. A Organização Internacional de Jovens e Estudantes LGBTQI (IGLYO) e …

Telescópio vai "caçar" a luz de 30 milhões de galáxias para mapear Universo e "revelar" energia escura

Um instrumento de um telescópio nos Estados Unidos vai capturar nos próximos cinco anos a luz de quase 30 milhões de galáxias e outros objetos cósmicos, permitindo aos cientistas mapearem o Universo e desvendarem os …

Portugal ficou acima da média europeia quanto ao teletrabalho

Dados do Eurostat sobre o teletrabalho durante a pandemia revelaram que Portugal registou uma média ligeiramente superior (13,9%) à da União Europeia (12,3%) entre as pessoas com idade dos 15 e os 64 anos. Em anos …

"Idiotas". Bolsonaro critica pessoas que mantêm isolamento social na pandemia

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, criticou os brasileiros que seguem as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e mantêm isolamento social na pandemia, a quem chamou de 'idiotas', em conversa com os seus …

SEF com 18 casos de exploração de imigrantes na agricultura na região Oeste

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) tem em investigação 18 casos associados a auxílio à imigração ilegal, angariação de mão-de-obra ilegal e tráfico de pessoas em explorações agrícolas da região Oeste desde 2017. Questionado pela …

Carlos Costa compara venda do Novo Banco a cabaz de fruta "parcialmente apodrecida"

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, considerou que o processo de venda do Novo Banco, em 2017, foi como alienar "um cabaz de fruta que está parcialmente apodrecida". "A questão é sempre a …

Irmãos presos injustamente durante 31 anos recebem 75 milhões de dólares

Henry McCollum e Leon Brown estiveram presos durante mais de 30 anos por um crime que não cometeram. Foram detidos em 1983 e condenados à pena de morte pela violação e homicídio de uma criança. …

"Há ali algumas coisas em que tem razão". Rui Rio concorda com críticas de Alberto João Jardim

Alberto João Jardim defendeu que o PSD nacional tem de "acordar" e "mudar já". Rui Rio ouviu o antigo governante madeirense "com atenção" e considera que tem razão. No artigo de opinião no jornal da Madeira …

Votar contra a reforma das Forças Armadas seria "uma contradição muito grande", diz Rio

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio, afirmou esta segunda-feira que seria uma "contradição muito grande" votar contra a reforma das Forças Armadas, defendida pelo partido "há anos", só porque foi apresentada pelo …

Testes da vacina da Sanofi-GSK mostram eficácia do composto

Os testes preliminares da vacina contra a covid-19 da Sanofi e GalxoDmithKline demonstraram eficácia nos grupos de adultos inoculados pelos cientistas responsáveis pela Fase 2 do processo. Após as duas doses da vacina, os testes realizados …