Uma feição humana difamada é a chave para a nossa sobrevivência

Investigadores sugerem que os seres humanos sobrevivem e prosperam exatamente por não pensarem por si mesmos, imitando aqueles com mais conhecimento ou experiência.

Os chimpanzés compartilham 98% dos seus genes com os seres humanos. As suas mãos e expressões faciais semelhantes a humanos podem causar arrepios aos mais sensíveis.

No entanto, pessoas e chimpanzés levam vidas muito diferentes. Atualmente, menos de 300.000 chimpanzés selvagens vivem em alguns cantos florestais de África, enquanto os humanos colonizaram todos os cantos do globo, da tundra do Ártico ao deserto de Kalahari. Com mais de 7 mil milhões de pessoas, a população humana menoriza a de quase todos os outros mamíferos.

O que poderia explicar o incrível sucesso evolutivo da nossa espécie? Uma resposta óbvia é o nosso grande cérebro. Pode ser que a nossa inteligência bruta tenha proporcionado uma capacidade sem precedentes de pensar fora da caixa, inovando soluções para problemas cruéis à medida que as pessoas migravam pelo mundo.

Mas um número crescente de cientistas cognitivos e antropólogos estão a rejeitar esta explicação. Estes investigadores pensam que, em vez de ganhar a vida como inovadores, os seres humanos sobrevivem e prosperam exatamente por não pensarem por si mesmos.

Em vez disso, as pessoas lidam com climas desafiantes e contextos ecológicos, copiando cuidadosamente os outros. Em vez de Homo sapiens somos realmente Homo imitans: o “Homem imitador”.

Olhar e aprender

Num famoso estudo, os psicólogos Victoria Horner e Andrew Whiten mostraram a dois grupos de sujeitos de teste — crianças e chimpanzés — uma caixa com um presente dentro. Numa condição, a caixa era opaca, enquanto na outra era transparente. Os investigadores demonstraram como abrir a caixa para recuperar a recompensa, mas também incluíram a etapa irrelevante de bater na caixa com um pau.

Estranhamente, as crianças copiavam cuidadosamente todos os passos para abrir a caixa, mesmo quando podiam ver que o pau não tinha efeito prático. Ou seja, copiavam irracionalmente: em vez de fazer apenas o necessário para receber a recompensa, as crianças imitavam todas as ações que haviam testemunhado.

Obviamente, este estudo incluiu apenas crianças de três e quatro anos. Porém, estudos adicionais mostraram que crianças mais velhas e adultos têm ainda mais chances de copiar sem pensar nas ações das outras pessoas, e os bebés têm menor probabilidade de imitar demais.

Por outro lado, os chimpanzés no estudo de Horner e Whiten apenas imitaram demasiado quando a caixa era opaca. Quando era transparente, ignoraram completamente este passo, abrindo apenas a caixa com as mãos. Outros estudos desde então sustentaram estas descobertas. No que toca a copiar, os chimpanzés são mais racionais do que crianças ou adultos.

Os benefícios de seguir sem questionar

De onde vem a preferência humana aparentemente irracional de sobre-imitação? No seu livro “O Segredo do Nosso Sucesso”, o antropólogo Joseph Henrich aponta que as pessoas em todo o mundo confiam em tecnologias que são frequentemente tão complexas que ninguém pode aprendê-las racionalmente. Em vez disso, as pessoas devem aprendê-las passo a passo, confiando na sabedoria dos mais velhos e colegas mais experientes.

Por exemplo, a melhor maneira de dominar a arte de fazer um arco é observar caçadores bem-sucedidos, assumindo que tudo o que fazem é importante. Como aluno inexperiente, ainda não é possível julgar quais etapas são realmente relevantes.

A propensão humana à super-imitação torna possível o que os antropólogos chamam de cultura cumulativa: o desenvolvimento a longo prazo de habilidades e tecnologias ao longo de gerações. Nenhuma pessoa pode entender todas as razões práticas por trás de cada passo para fazer um arco ou esculpir uma canoa. Mas enquanto as pessoas copiarem com alta fidelidade, a tecnologia será transmitida.

Ritual e religião também são domínios nos quais as pessoas realizam ações que não estão conectadas de maneira tangível com resultados práticos.

Mas os rituais têm um efeito oculto: unem as pessoas e demonstram afiliação cultural. Para um exemplo negativo esclarecedor, considere um aluno que se recusa a defender o Juramento de Fidelidade. A sua ação demonstra claramente a sua rejeição ao direito das autoridades lhe dizerem como se comportar.

O ingrediente secreto que nos faz humanos

Num sentido mais amplo, a imitação em excesso ajuda a permitir muito do que compreende a cultura distintamente humana, que acaba sendo muito mais complicada do que causa e efeito mecânicos.

No fundo, os seres humanos não são inovadores confiantes e corajosos, mas cuidadosos. Realizamos e imitamos ações aparentemente impraticáveis porque isso é a chave para a aprendizagem de habilidades culturais complexas e porque os rituais criam e sustentam as identidades culturais e a solidariedade das quais dependemos para a sobrevivência.

De facto, copiar os outros é uma maneira poderosa de estabelecer um relacionamento social. Por exemplo, imitar a linguagem corporal de outra pessoa pode induzi-la a gostar e confiar mais em si.

Portanto, da próxima vez que você ouvir alguém a argumentar apaixonadamente que todos deveriam adotar a não-conformidade e evitar imitar os outros, pode rir-se um pouco. Afinal de contas, não somos chimpanzés.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Determinadas organizações querem que não pensamos por nós mesmos isso é verdade e muita da tecnologia que hoje existe também está pensada para obrigar o ser humano a deixar de pensar, e ao deixar de pensar deixa de exercitar o cérebro tornado-se literalmente burro.
    Não sei se alguma vez o ser humano vai perceber isso e se vai perceber a tempo, é que estão a tentar levar-nos para um caminho onde possam controlar tudo e todos porque deixando de conseguir pensar determinadas organizações podem começar a pensar por todos e fazem o que querem de todos, escravos!

  2. OK ja percebi o mecanismo de como ainda na nossa epoca existem e em alguns lugares proliferam, religioes ,cultos,bruxarias,crenças outras coisas que nao fazem sentido no mundo moderno !

RESPONDER

Federer acusado de manobrar a tabela ATP

Contas da associação de tenistas foram alteradas por causa do coronavírus. Roger Federer está no quinto lugar mas só disputou um torneio ao longo de 2020. Em ano anormal, contas anormais: a tabela oficial da Associação …

Astrónomo do Instituto SETI garante que vamos encontrar extraterrestres até 2036

Seth Shostak, astrónomo e astrofísico do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) está convencido de que os humanos vão encontrar uma civilização extraterrestre inteligente até 2036. “O SETI duplica a velocidade aproximadamente a cada dois anos …

Mais leve e elegante. Assim é a nova e-bike que vai chegar às ruas da Europa

A startup Urban Cycles Oy, com sede em Helsínquia, demarcou uma espécie de lacuna no mercado europeu de bicicletas elétricas e por isso quis preenchê-la. O objetivo era produzir uma bicicleta elegante e mais leve. Um …

Incêndio reduz a maior ilha de areia do mundo a metade. É Património da Humanidade

Quase metade de Fraser, a maior ilha de areia do mundo, que se situa no nordeste da Austrália e foi classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, foi destruída por um incêndio florestal. O incêndio queimou …

"Toca de bruxaria" permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios …

Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado "escandaloso" (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo. Este …

Marcelo quer alívio de restrições no Natal sem pôr em xeque janeiro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira esperar que a "possível exceção" no Natal ao quadro de restrições para conter a covid-19 "seja bem entendida e bem vivida" e não provoque …

Bill Gates diz que o mundo estará de volta à normalidade já na primavera de 2021

Bill Gates, que desde 2015 tinha vindo a lançar alguns alertas sobre uma possível pandemia, deixou agora uma mensagem de esperança ao dizer que acredita que os EUA irão voltar ao normal na primavera de …

Mais um passo na hegemonia. China constrói aldeia nos Himalaias, em zona também disputada pela Índia e pelo Butão

Novas imagens de satélite mostram que a China construiu uma aldeia nos Himalaias, ao longo de uma fronteira que também é disputada pela Índia e pelo Butão, e que foi palco de um impasse agressivo …

João Félix eleito jogador do mês da liga espanhola. Ronaldo vence prémio em Itália

O português João Félix, do Atlético de Madrid, foi eleito o melhor jogador da Liga espanhola de futebol do mês de novembro. O luso revelou-se uma peça fundamental durante todo o mês e ajudou a equipa …