“Febre das trincheiras”. Doença da I Guerra Mundial reaparece entre sem-abrigo do Canadá e EUA

Uma doença bacteriana que afetou vários soldados durante a I Guerra Mundial está a reaparecer entre sem-abrigo do Canadá e dos Estados Unidos.

Em causa está a “febre das trincheiras”, nome atribuído à doença que é transmitida por piolhos corporais e causada pela bactéria Bartonella quintana. Além da febre, a doença causa outros sintomas agudos, que incluem erupções cutâneas, dores de cabeça e dores nas pernas e nas canelas, escreve o portal Gizmodo.

Num relatório publicado esta semana no Canadian Medical Association Journal, uma equipa de médicos detalha como é que um homem de 48 anos residente em Manitoba, no Canadá, desenvolveu uma infeção cardíaca potencialmente fatal devido a este doença bacteriana descoberta pela primeira vez entre os soldados da I Guerra.

Segundo o relatório, o homem deslocou-se às urgências com sintomas de dor no peito e falta de ar. Dezoito meses antes de dar entrada as urgências, procurou atendimento médico por crises repetidas de dor no peito e de infestações de piolhos corporais.

O seu quadro clínico acabou por complicar-se e o homem de 48 anos precisou da assistência de um ventilador e de ser internado numa unidade de cuidados intensivos.

Teve depois de fazer uma intervenção cirúrgica para substituir duas válvulas cardíacas e, após a operação e tratamento de antibióticos, teve alta. Três meses depois, escreveram os médicos, o paciente mostrou-se bem numa visita de acompanhamento.

Descoberta peça primeira vez nas trincheiras da I Guerra Mundial, onde as condições de higiene e vida eram más e os soldados viviam em espaços muito reduzidos, esta doença terá infetado mais de um milhão de pessoas entre 1915 e 1918.

Apesar de a “febre das trincheiras” raramente ser fatal por si só, em muito dos casos adoecia os soldados de uma forma tão severa que estes ficavam incapazes de lutar durante meses, deixando outros com deficiências incapacitantes.

Atualmente, é tratável com antibióticos, que não existiam durante a I Guerra.

“Febre das trincheiras urbanas”

Desde a década de 1990, vários médicos têm relatados surtos esporádicos de B. quintana entre as populações de sem-abrigo, havendo clínicos que defendem que a doença deve ser rebatizada como a “febre das trincheiras urbanas”.

O relatório sobre o homem de 48 anos do Canadá defende isso mesmo e recomenda que as pessoas que vivem na rua ou em abrigos públicos tenham mais acesso a tratamentos para piolhos corporais, bem como melhores condições de abrigo.

“A forma mais importante de prevenir esta doença é acabar com a falta de habitação e a pobreza. A disponibilidade de instalações de banho e habitação estável também são uma parte crítica para o controlo desta doença”, começou ao dizer ao portal o autor do estudo Philippe RS Lagacé-Wiens, microbiologista clínico no Hospital em Winnipeg.

“Advogar por melhores apoios sociais e de habitação, disponibilidade de remédios para vícios e aconselhamento adicional, bem como aumentar a consciencialização, fazem parte do que precisamos fazer para combater esta doença (…) No final das contas, esta doença é uma consequência da pobreza, cuja extensão não deveria existir em nossa sociedade abastada”, rematou o especialista.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Encontrado cemitério perto do campo de concentração de Auschwitz

Um residente local descobriu cerca de 12 crânios humanos e vários ossos na margem do rio que atravessa a cidade vizinha de Oswiecim, perto de Auschwitz. As autoridades estão a investigar se os restos mortais …

Taiwan vai ter uma enfermaria hospitalar feita de lixo reciclado

O Hospital da Universidade Católica Fu Jen, em Taipei, capital de Taiwan, vai ter a primeira enfermaria hospitalar do mundo construída com materiais reciclados. Quando a pandemia da covid-19 apareceu, o arquiteto e engenheiro taiwanês Arthur Huang …

Turquia 0-3 Itália | Euro arranca com vitória italiana

A Itália, campeã europeia em 1968, venceu hoje a Turquia por 3-0, no encontro inaugural do Euro2020 de futebol, disputado no Estádio Olímpico de Roma, a contar para a primeira jornada do Grupo A. A 16.ª …

"Exército" de cabras ajuda a prevenir incêndios florestais na Califórnia

A Califórnia soltou um "exército" de cabras para mastigar arbustos e ervas demasiado grandes em todo o estado na esperança de reduzir o risco de incêndios florestais neste verão. Este tipo de vegetação inflamável contribui para …

Kim Jong-un perdeu peso (e isso pode ter consequências geopolíticas)

O líder norte-coreano parece ter perdido algum peso, o que já levou alguns analistas políticos a avançar com algumas teorias e possíveis consequências geopolíticas. Depois de não ser visto em público durante quase um mês, o …

Portugal Campeão Europeu em 2016

Campeões em 2016, ausentes do Euro 2020: onde estão esses 12 portugueses?

Mais de metade dos jogadores convocados por Fernando Santos para o histórico Europeu 2016 não vai estar nesta edição do torneio. Rui Patrício, Pepe, Raphaël Guerreiro, José Fonte, Cristiano Ronaldo, João Moutinho, Anthony Lopes, Danilo Pereira, …

Marrocos avisa a Europa que Ceuta “é uma cidade marroquina ocupada”

A Câmara dos Representantes de Marrocos condenou a moção aprovada pelo Parlamento Europeu (PE) a rejeitar a estratégia do Governo de Rabat na recente crise migratória em Ceuta e reforçou o estatuto do enclave espanhol …

Hong Kong vai censurar filmes em busca de “ameaças à segurança nacional”

As autoridades de Hong Kong vão começar a censurar todos os filmes nacionais e estrangeiros em busca de casos que possam ser interpretados como “violações da segurança nacional”, no mais recente exemplo do reforço do …

Reino Unido confirma que variante Delta é 60% mais transmissível

O Reino Unido registou 17 mortes e 8.125 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com os dados oficiais mais recentes, que hoje também confirmaram que a variante Delta é 60% mais transmissível. Um …

Médicos de Saúde Pública pedem "cautela" e alertam que a "pandemia ainda não acabou"

A Associação de Médicos de Saúde Pública apelou hoje à população para ter “algumas cautelas” em celebrações familiares e noutros contextos, lembrando que a vacina contra a covid-19 não é “100% eficaz” e que a …