A falta de sono faz-nos ver ameaças em todo o lado

Se não conseguir distinguir um sorriso de uma careta, é provável que não ande a dormir o suficiente.

Um novo estudo mostra que a privação do sono limita a nossa capacidade de ler expressões faciais. Este défice de sono pode ter consequências graves, desde não perceber se uma criança está doente ou com dores a confundir uma pessoa na rua com um potencial ladrão.

“Reconhecer as expressões emocionais das outras pessoas muda tudo na forma como interagimos ou não com elas, e por isso na forma como interagem connosco”, afirma Matthew Walker, investigador na área de psicologia e neurociência da Universidade de Berkeley, nos EUA.

“O que descobrimos é particularmente preocupante se pensarmos que dois terços das pessoas em países desenvolvidos não dormem o suficiente”, alertou o investigador. “Basta pensar nas implicações para estudantes que fazem diretas a estudar, pessoal de emergência médica que faz longos turnos, militares em zonas de guerra e polícias no turno da noite”, salienta a autora principal do estudo, Andrea Goldstein-Piekarski, da Universidade de Stanford.

O estudo, publicado em julho no Journal of Neuroscience, partiu de uma experiência em que 18 pessoas analisaram duas vezes uma sequência de 70 expressões faciais, desde amigáveis a ameaçadoras, depois de uma noite de sono completa e depois de estarem 24 horas acordadas. Os investigadores analisaram a atividade cerebral dos participantes, assim como o seu ritmo cardíaco, enquanto estes olhavam para a sequência de caras.

Os cientistas observaram que os cérebros com sono não conseguiam distinguir as caras ameaçadoras das amigáveis, em especial nas regiões de deteção de emoções da ínsula anterior do cérebro e do córtex cingulado anterior. Além disso, os níveis cardíacos dos participantes quando não tinham dormido respondiam de forma anormal às diferentes expressões faciais.

Por fim, os investigadores descobriram uma desconexão na relação neural entre o cérebro e o coração, que normalmente permite que o corpo detecte sinais de socorro. “A falta de sono parece afastar o corpo do cérebro”, descreve Matthew Walker. “Não consegues seguir o teu coração“.

Mais ameaçadores do que amigáveis

Os participantes no estudo interpretaram mais expressões como ameaçadoras quando estavam sem dormir, mesmo algumas caras amigáveis ou neutras.

“Dormir pouco causa um exagero na perceção de ameaças. Isto pode explicar porque é que as pessoas com falta de sono são menos sociáveis e mais solitárias”, afirma o psicólogo.

Por outro lado, os investigadores descobriram que, quando os participantes dormiam uma boa noite de sono, a qualidade do período de Rapid Eye Movement (REM) ligava-se à capacidade de ler as expressões faciais de forma mais precisa. Estudos anteriores da equipa de Matthew Walker já tinham revelado que o sono REM ajuda a reduzir o stress e suavizar memórias dolorosas.

“Quanto melhor a qualidade do sono, maior a capacidade do cérebro e o corpo distinguirem com precisão as expressões faciais”, afirma o investigador. “O sono REM aparentemente redefine o norte magnético da nossa bússola emocional. Este estudo dá-nos mais provas da nossa necessidade essencial de dormir“.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Milhares de manifestantes voltam às ruas de Hong Kong

A polícia de Hong Kong deteve, este domingo, onze pessoas e apreendeu várias armas, incluindo uma pistola, pouco antes do início de uma manifestação convocada para a cidade, para a qual se espera uma forte …

Irão e Estados Unidos trocam prisioneiros

Irão e Estados Unidos realizaram, este sábado, uma troca de prisioneiros que envolveu a troca de um investigador sino-americano por um cientista iraniano detido pelos EUA, num avanço diplomático que surge após meses de tensão …

Coreia do Norte anuncia "teste muito importante" em local de lançamento de mísseis

A Coreia do Norte anunciou ter realizado um "teste muito importante" no local de lançamento de mísseis de longo alcance, defendendo que terá um efeito fundamental na futura posição estratégica do país. A Agência Central de …

Balas que assassinaram John F. Kennedy preservadas em modelo 3D

A partir do próximo ano, os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos vão disponibilizar, no seu catálogo online, imagens 3D das balas que assassinaram o antigo presidente norte-americano John F. Kennedy. Para criar os modelos das …

Pela primeira vez, neurónios artificiais foram criados para curar doenças crónicas

Uma equipa de investigadores conseguiu recriar as propriedades biológicas dos neurónios em chips, que podem ser úteis ajudar na cura de doenças neurológicas crónicas. Naquele considerado um feito única na ciência, investigadores da Universidade de Bath …

Cientistas encontram uma relação negativa "muito forte" entre inteligência e religiosidade

Uma equipa de investigadores sugere que pessoas religiosas tendem a ser menos inteligentes do que pessoas sem crenças religiosas. O estudo tem gerado uma grande controvérsia. A religião é um tema forte, capaz de juntar ou …

Descoberta nova espécie de tubarão pré-histórico que podia chegar aos sete metros

Uma nova espécie de tubarão pré-histórico foi descoberta no Kansas, nos Estados Unidos. Este predador podia crescer até quase sete metros de comprimento. De acordo com a revista Newsweek, Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, e Michael …

Conhecido medicamento para diabetes pode conter um carcinógeno

A Food and Drug Administration, agência federal e reguladora do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, está a testar amostras de metformina, um medicamento para diabetes que pode conter o carcinógeno N-Nitrosodimetilamina …

Nobel da Física diz que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra

Didier Queloz disse, este sábado, estar convencido de que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra, razão pela qual está "zangado" com alguns argumentos do cofundador da Tesla, Elon Musk. Os suíços …

Ford está a reciclar palha de café do McDonald's. Quer transformá-la em peças de carro

https://vimeo.com/377768195 A Ford está a fabricar peças de carro através de palha de café reciclada do McDonald's. A iniciativa contribui para a redução da pegada ecológica e do desperdício alimentar. O combate às alterações climáticas cabe um …