Falha no WhatsApp permite manipular mensagens. Facebook diz que é falso

Esta semana foram reveladas várias vulnerabilidades de segurança escondidas no WhatsApp que permitem aos hackers manipular mensagens enviadas em conversas públicas ou privadas. As vulnerabilidades foram reveladas durante uma conferência de cibersegurança nos Estados Unidos.

A Check Point Software Technologies, uma empresa israelita de cibersegurança, identificou falhas no WhatsApp que permite a piratas informáticos manipular mensagens em conversas públicas e privadas.

Segundo a Bloomberg, a empresa israelita diz que os investigadores encontraram três vulnerabilidades que podem permitir a manipulação de conversas.

Uma das falhas identificadas permite mudar a identidade de um dos remetentes nas conversas de grupo; outra permite que se modifique a resposta de outro utilizador a uma mensagem específica; e a terceira permite que um dos utilizadores envie uma mensagem supostamente privada para outro participante do grupo, mas que é, na verdade, pública. Assim, quando o utilizador responde, a resposta pode ser visível para todos.

Victor Chebyshev, investigador de Segurança da empresa de cibersegurança Kaspersky, afirma que as falhas encontradas na aplicação “são, de facto, muito preocupantes, uma vez que os utilizadores podem ser humilhados numa conversa de grupo, através de mensagens falsas enviadas pelos hackers”.

Ainda assim, apesar dos alertas, o especialista não recomenda que os utilizadores deixem de usar a aplicação.

“Apesar destes bugs na segurança serem muito perigosos, a verdade é que são muito comuns em qualquer software. Os utilizadores devem ser muito cautelosos ao utilizar a app, principalmente nas conversas de grupo. Em caso de suspeita, os utilizadores devem confirmar com o remetente a autoria das mensagens, numa conversa privada”, disse, citado pelo Observador.

Chebyshev recomenda ainda que os utilizadores se mantenham atentos às atualizações recentes do WhatsApp e “façam o download das novas versões o mais rápido possível, de forma a permanecerem em segurança”.

O Facebook já reagiu em comunicado. A rede social garante que reviu este assunto com cuidado há um ano e afirma que “é falso sugerir que existe uma vulnerabilidade com o sistema de segurança do WhatsApp”.

“O cenário descrito aqui é o equivalente, em mobile, a alterar uma resposta num segmento de email, para fazer com que pareça um texto que não foi escrito por aquela pessoa. Precisamos de ter em mente que lidar com as preocupações levantadas por estes investigadores pode tornar o WhatsApp menos privado – como termos de armazenar informações sobre a origem das mensagens”, acrescenta o Facebook.

A Check Point diz que alertou o WhatsApp sobre estas falhas no final do ano passado. A aplicação diz que uma das preocupações foi abordada, mas que as outras duas são difíceis de resolver por causa dos sistema de encriptação das mensagens.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Violência policial é uma das principais causas de morte de jovens negros nos EUA

A violência policial é uma das principais causas de morte entre jovens nos Estados Unidos, com os negros a terem 2,5 vezes mais hipóteses de serem mortos do que os homens brancos. O estudo, publicado este …

A Volocopter apresenta o seu táxi voador mais potente (e já andou no ar)

https://vimeo.com/355573555 Desde 2013 a Volocopter tem vindo a aprimorar o seu projeto de táxi voador. Desta vez, o design é mais redondo, mais simples e mais potente. O Volocopter é uma aeronave 100% elétrica que os criadores …

Israel desenvolve terapia à base de ecstasy para tratar stress pós-traumático

O Ministério da Saúde israelita desenvolveu uma terapia à base de MDMA - o componente ativo da metanfetamina popularmente conhecida como 'ecstasy' - para tratar pessoas que sofrem de stress pós-traumático resistente. Num entrevista sobre a …

Quaresma de saída do Besiktas. "Presidente não me quer na equipa"

Revelação feita pelo jogador, no Instagram: "Acabei de ser informado pelo presidente do clube que ele não quer que eu continue a jogar na equipa. Estou a tentar encontrar solução para o meu futuro". O internacional …

O Dr. House português diz que 90% dos médicos só fazem "fantochadas"

É conhecido como o Dr. House português, numa referência à série televisiva norte-americana, pela forma como faz diagnósticos certeiros. E Vítor Brotas que trabalha no Hospital dos Capuchos, em Lisboa, admite que é "um médico …

Homem morre após ataque de vespas asiáticas. É a segunda morte por picadas de insecto em 2 dias

Um homem de 79 anos de idade morreu nesta sexta-feira em Oliveira do Bairro, Aveiro, após ter sido atacado por vespas asiáticas. Dois dias antes, outro homem de 50 anos faleceu na região da Beira …

Polícia antimotim dispersa manifestantes em Hong Kong com gás lacrimogéneo

A polícia antimotim de Hong Kong carregou hoje com gás lacrimogéneo sobre manifestantes que tinham erigido uma barricada no bairro de Kwun Tong, no Este da antiga colónia britânica. Embora os protestos tenham decorrido de forma …

Eleições. CDU vai manter campanha clássica, mas dispensa o "lombo assado"

O chefe do maior partido da Coligação Democrática Unitária (CDU), que junta comunistas e ecologistas, assumiu enfado com carne assada nas jornadas e ações de esclarecimento pelo país, mas garante uma campanha eleitoral nos cânones …

Bloco quer mais funcionários públicos e quotas por raça nas universidades

O BE afirma, no programa eleitoral disponibilizado hoje na íntegra, que "é o partido que quer e pode impedir uma maioria absoluta", um resultado nas eleições legislativas que faria Portugal "voltar ao passado da arrogância …

Balas com defeito que encravam armas. PSP confirma, mas diz que não é um problema

A Polícia de Segurança Pública (PSP) confirma que estão a ser utilizadas algumas balas com defeito que até encravam as armas, nos treinos dos candidatos a agentes na Escola Prática de Polícia. Mas garante que …