Falha no WhatsApp permite manipular mensagens. Facebook diz que é falso

Esta semana foram reveladas várias vulnerabilidades de segurança escondidas no WhatsApp que permitem aos hackers manipular mensagens enviadas em conversas públicas ou privadas. As vulnerabilidades foram reveladas durante uma conferência de cibersegurança nos Estados Unidos.

A Check Point Software Technologies, uma empresa israelita de cibersegurança, identificou falhas no WhatsApp que permite a piratas informáticos manipular mensagens em conversas públicas e privadas.

Segundo a Bloomberg, a empresa israelita diz que os investigadores encontraram três vulnerabilidades que podem permitir a manipulação de conversas.

Uma das falhas identificadas permite mudar a identidade de um dos remetentes nas conversas de grupo; outra permite que se modifique a resposta de outro utilizador a uma mensagem específica; e a terceira permite que um dos utilizadores envie uma mensagem supostamente privada para outro participante do grupo, mas que é, na verdade, pública. Assim, quando o utilizador responde, a resposta pode ser visível para todos.

Victor Chebyshev, investigador de Segurança da empresa de cibersegurança Kaspersky, afirma que as falhas encontradas na aplicação “são, de facto, muito preocupantes, uma vez que os utilizadores podem ser humilhados numa conversa de grupo, através de mensagens falsas enviadas pelos hackers”.

Ainda assim, apesar dos alertas, o especialista não recomenda que os utilizadores deixem de usar a aplicação.

“Apesar destes bugs na segurança serem muito perigosos, a verdade é que são muito comuns em qualquer software. Os utilizadores devem ser muito cautelosos ao utilizar a app, principalmente nas conversas de grupo. Em caso de suspeita, os utilizadores devem confirmar com o remetente a autoria das mensagens, numa conversa privada”, disse, citado pelo Observador.

Chebyshev recomenda ainda que os utilizadores se mantenham atentos às atualizações recentes do WhatsApp e “façam o download das novas versões o mais rápido possível, de forma a permanecerem em segurança”.

O Facebook já reagiu em comunicado. A rede social garante que reviu este assunto com cuidado há um ano e afirma que “é falso sugerir que existe uma vulnerabilidade com o sistema de segurança do WhatsApp”.

“O cenário descrito aqui é o equivalente, em mobile, a alterar uma resposta num segmento de email, para fazer com que pareça um texto que não foi escrito por aquela pessoa. Precisamos de ter em mente que lidar com as preocupações levantadas por estes investigadores pode tornar o WhatsApp menos privado – como termos de armazenar informações sobre a origem das mensagens”, acrescenta o Facebook.

A Check Point diz que alertou o WhatsApp sobre estas falhas no final do ano passado. A aplicação diz que uma das preocupações foi abordada, mas que as outras duas são difíceis de resolver por causa dos sistema de encriptação das mensagens.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O novo recurso da Google encontra qualquer música. Basta cantarolar, assobiar ou cantar

Na semana passada, a gigante tecnológica da Google lançou uma versão atualizada da aplicação que ajuda a encontrar qualquer música que esteja presa na sua cabeça - mas que não saiba o nome. Com a nova …

Pintura de Jacob Lawrence desaparecida há 60 anos foi encontrada em Nova Iorque

Uma visitante do Met, nos Estados Unidos, descobriu o paredeiro do quadro desaparecido de Jacob Lawrence. A mulher associou o quadro a um pendurado na sala de estar dos seus vizinhos, suspeitando que poderia fazer …

Fezes ancestrais ajudam a descobrir como o microbioma afeta a nossa saúde

Um novo estudo, realizado em Israel e na Letónia, analisou fezes ancestrais e comparou-as com o nosso microbioma para tentar descobrir pistas sobre as doenças modernas. A equipa de investigadores, que trabalhou enterrada até aos joelhos …

Santa Clara 1-2 Sporting | “Leão” mostra POTEncial nas ilhas

Ao final da tarde deste sábado, o Sporting venceu o Santa Clara por 2-1, num duelo a contar para a 5ª jornada da Liga NOS que decorreu no Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada. …

Robô ultrarrealista pode vir a substituir os golfinhos em cativeiro em parques temáticos

A empresa de engenharia Edge Innovations, com sede em São Francisco, Estados Unidos, projetou e construiu um golfinho-robô que se parece e age quase exatamente como um. Nadando ao redor da piscina enquanto um grupo de …

PCP avisa: Abstenção é “apenas e só” para discutir o OE2021

O secretário-geral do PCP avisou este sábado que a abstenção anunciada pelo partido visa "apenas e só" fazer passar o Orçamento do Estado de 2021 a "outra fase de discussão" e recusou estar garantido um …

Convento medieval encontrado sob parque de estacionamento em Inglaterra

Uma equipa de arqueólogos britânicos encontrou um convento medieval, há muito perdido, debaixo de um parque de estacionamento em Inglaterra. Há muito que os arqueólogos britânicos especulavam sobre a potencial localização de um antigo convento medieval, …

Virgin Galactic leva cientista planetário ao Espaço pela primeira vez

O norte-americano Alan Stern será o primeiro a realizar experiências científicas financiadas pela NASA, a bordo de uma aeronave comercial da empresa espacial privada Virgin Galactic. A NASA revelou a semana passada que o cientista planetário …

Português responsável por limpeza de hospitais condecorado pela Rainha Isabel II

O português Maciel Vinagre pensou que era mentira ou engano ao ler a notificação de que tinha sido distinguido pela Rainha Isabel II pelo trabalho como responsável da limpeza de dois hospitais públicos britânicos durante …

Japonês inventa sacos de plástico "comestíveis" (para salvar o veado sagrado de Nara)

Um empresário local no destino turístico japonês de Nara desenvolveu uma alternativa aos sacos de plástico de compras para proteger o veado sagrado da cidade. Hidetoshi Matsukawa, que trabalha na Nara-ism, um agente de souvenirs, disse, …