Falha no WhatsApp permite manipular mensagens. Facebook diz que é falso

Esta semana foram reveladas várias vulnerabilidades de segurança escondidas no WhatsApp que permitem aos hackers manipular mensagens enviadas em conversas públicas ou privadas. As vulnerabilidades foram reveladas durante uma conferência de cibersegurança nos Estados Unidos.

A Check Point Software Technologies, uma empresa israelita de cibersegurança, identificou falhas no WhatsApp que permite a piratas informáticos manipular mensagens em conversas públicas e privadas.

Segundo a Bloomberg, a empresa israelita diz que os investigadores encontraram três vulnerabilidades que podem permitir a manipulação de conversas.

Uma das falhas identificadas permite mudar a identidade de um dos remetentes nas conversas de grupo; outra permite que se modifique a resposta de outro utilizador a uma mensagem específica; e a terceira permite que um dos utilizadores envie uma mensagem supostamente privada para outro participante do grupo, mas que é, na verdade, pública. Assim, quando o utilizador responde, a resposta pode ser visível para todos.

Victor Chebyshev, investigador de Segurança da empresa de cibersegurança Kaspersky, afirma que as falhas encontradas na aplicação “são, de facto, muito preocupantes, uma vez que os utilizadores podem ser humilhados numa conversa de grupo, através de mensagens falsas enviadas pelos hackers”.

Ainda assim, apesar dos alertas, o especialista não recomenda que os utilizadores deixem de usar a aplicação.

“Apesar destes bugs na segurança serem muito perigosos, a verdade é que são muito comuns em qualquer software. Os utilizadores devem ser muito cautelosos ao utilizar a app, principalmente nas conversas de grupo. Em caso de suspeita, os utilizadores devem confirmar com o remetente a autoria das mensagens, numa conversa privada”, disse, citado pelo Observador.

Chebyshev recomenda ainda que os utilizadores se mantenham atentos às atualizações recentes do WhatsApp e “façam o download das novas versões o mais rápido possível, de forma a permanecerem em segurança”.

O Facebook já reagiu em comunicado. A rede social garante que reviu este assunto com cuidado há um ano e afirma que “é falso sugerir que existe uma vulnerabilidade com o sistema de segurança do WhatsApp”.

“O cenário descrito aqui é o equivalente, em mobile, a alterar uma resposta num segmento de email, para fazer com que pareça um texto que não foi escrito por aquela pessoa. Precisamos de ter em mente que lidar com as preocupações levantadas por estes investigadores pode tornar o WhatsApp menos privado – como termos de armazenar informações sobre a origem das mensagens”, acrescenta o Facebook.

A Check Point diz que alertou o WhatsApp sobre estas falhas no final do ano passado. A aplicação diz que uma das preocupações foi abordada, mas que as outras duas são difíceis de resolver por causa dos sistema de encriptação das mensagens.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ano vai ser "inevitavelmente" de contestação social, avisa CGTP

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, disse esta sexta-feira que este ano vai ser “inevitavelmente” de contestação social se o Governo e as empresas continuarem a insistir num modelo de baixos salários. O líder da intersindical …

Maior ameaça ao crescimento português vem de Espanha

Diz o ditado popular que de Espanha nem bom vento, nem bom casamento. Mas, na verdade, o crescimento económico do país vizinho tem contribuído para puxar pela economia portuguesa. Agora, quando se prevê um abrandamento …

Cabo Verde esteve sem Internet durante 24 horas

O arquipélago de Cabo Verde voltou a ter acesso à Internet na tarde desta sexta-feira, cerca de 24 horas depois de uma instabilidade provocada por falhas no fornecedor internacional do serviço. O país tinha ficado sem …

Ventura em operação de charme no Porto depois de um atraso muito criticado no Parlamento

O deputado André Ventura, eleito pelo Chega, tem agendada para este sábado uma verdadeira operação de charme no Porto, com encontros com o presidente da Associação Comercial do Porto e com apoiantes do partido. Iniciativas …

Assistente social acusada de maltratar 14 crianças em centro de acolhimento

O Ministério Público (MP) acusa uma mulher de 46 anos, que era assistente social e diretora técnica de um centro de acolhimento na Maia, no distrito do Porto, de maltratar 14 crianças nesta instituição. De …

Marcelo não vê razão de preocupação com empresas portuguesas de Isabel dos Santos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta sexta-feira ter sinais de que não há razão para preocupação nos setores económicos e empresas portuguesas nas quais a Isabel dos Santos está a vender …

Mina de lítio em Montalegre. "Impactes negativos minimizáveis” e 370 empregos

O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da concessão de exploração de lítio, em Montalegre, conclui que o projeto possui “impactes negativos” que, no entanto, “não são significativos”, “são minimizáveis” e de “abrangência local”. O EIA do …

Cristas faz o mea culpa e abandona o congresso. Corrida à sucessão faz-se a cinco

O 28.º congresso nacional do CDS arrancou este no Parque de Feiras e Exposições de Aveiro com o discurso da líder demissionária Assunção Cristas, que fez uma espécie de mea culpa e agradeceu aos centristas …

Sérgio Conceição sai do FC Porto no fim da época

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, deixará o comando dos dragões no final da temporada. A derrota em casa com o Braga terá ditado a saída do técnico azul e branco. O técnico do FC …

Joacine quer mais direitos para deputados sem partido. "Está a antecipar" o futuro

A deputada Joacine Katar Moreira, do partido Livre, defendeu esta sexta-feira o alargamento dos direitos regimentais dos deputados não inscritos em partidos. A deputada única do Livre assumiu esta posição no final de uma reunião do …