Explosões de raios gama podem explicar porque (ainda) não encontrámos extraterrestres

ESO

Impressão artística que mostra uma supernova e a explosão de raios-gama associada originadas por uma estrela de neutrões em rotação muito rápida com um campo magnético muito forte — um objeto exótico chamado estrela magnética.

Impressão artística que mostra uma supernova e a explosão de raios-gama associada originadas por uma estrela de neutrões em rotação muito rápida com um campo magnético muito forte — um objeto exótico chamado estrela magnética.

Há finalmente uma explicação científica para o facto de os humanos não terem encontrado até ao momento vida extraterrestre. Não, não é porque ela não existe. Mas porque poderá ter sido destruída por explosões de raios gama.

Este é o tipo de explosão conhecida mais forte em todo o universo e pode ser provocada por estrelas de grandes dimensões, as chamadas hipernovas, ou pela colisão entre estrelas mortas, as denominadas estrelas de neutrões.

São explosões de radiação electromagnética de alta frequência que emitem tanta energia como o Sol durante todo o seu período de vida de 10 biliões de anos. Uma imagem que dá para perceber a sua intensidade letal.

Um grupo de investigadores acredita que uma dessas explosões de raios gama, provocada pela morte de estrelas de grandes dimensões, pode ter sido a causa de uma das maiores extinções em massa que ocorreram na Terra há biliões de anos. E pode assim também ter provocado a morte de seres extraterrestres noutros planetas.

“A Via Láctea é muito mais velha do que o sistema solar e havia muito tempo e muito espaço – o número de sistemas planetários com condições similares à Terra é enorme – para a vida se desenvolver noutro lado na galáxia”, nota um dos autores do estudo, o físico Tsvi Piran, da Universidade Hebraica de Jerusalém, citado pelo Live Science.

Aquilo que parece ser uma evidência de que há vida extraterrestre choca com o facto de ainda não se terem encontrado provas disso – é o chamado Paradoxo de Fermi ou “O Grande Silêncio”.

E Tsvi Piran explica que esse “silêncio” pode ter a ver o facto de as explosões de raios gama poderem ter atingido planetas onde existia vida extraterrestre.

Os investigadores deste estudo concluíram que uma dessas explosões na Via Láctea teria efeitos nocivos para a Terra, mesmo que acontecesse a milhares de anos-luz de distância, podendo, nomeadamente, destruir a camada de Ozono, o que seria fatal para a vida no nosso planeta.

Mas estes cientistas também analisaram o efeito que estas mega-explosões teriam na potencial vida existente noutros planetas. E concluíram que, sendo a concentração de estrelas maior mais perto do centro da galáxia, os planetas situados nessa zona correm mais riscos de serem afectados pelas explosões de raios gama e, logo, a possibilidade de extinção das espécies de vida aí existentes é superior.

Esta explicação plausível choca apenas com o detalhe de que “podem-se imaginar muitas formas de vida diferentes resistentes a radiações relevantes”, conforme nota Tsvi Piran. Pelo que o mistério continua…

SV, ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Lixo espacial cadente iluminou os céus na Austrália

Na sexta-feira passada, pedaços de lixo espacial de um foguetão russo iluminaram os céus na Austrália. Os especialistas dividem-se na possibilidade de bocados dele caírem na Terra. Na sexta-feira passada, num final de tarde como tantos …

Cientistas criaram uma borracha que até rasga (mas concerta-se sozinha)

Investigadores da Universidade Flinders, na Austrália, desenvolveram um novo tipo de borracha que consegue regenerar sozinha. A equipa de investigadores da universidade australiana criou um novo tipo de borracha e um catalisador que, em conjunto, podem …

Dez anos depois, voltou a ser avistado um guepardo do noroeste africano

Naturalistas na Argélia filmaram um guepardo do noroeste africano, uma subespécie listada na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como estando em "perigo crítico", pela primeira vez em dez anos. De acordo …

NASA dedica novo telescópio a Nancy Grace Roman, a "mãe" do Hubble

A NASA renomeou o telescópio Wide Field Infrared Probing Telescope (WFIRST) em homenagem a Nancy Grace Roman, a mãe do Hubble. A NASA batizou o seu telescópio espacial de última geração, atualmente em desenvolvimento, - o …

Guitarrista dos Queen teve um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte

Brian May, guitarrista dos Queen, sofreu um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte, anunciou o próprio músico, de 72 anos. May partilhou um vídeo no Instagram no qual conta todo o episódio. Tudo …

"Missão Tianwen". China planeia lançar sonda para Marte em julho

A China planeia lançar uma sonda e um pequeno robô de controlo remoto para Marte, em julho, na sua primeira missão ao Planeta Vermelho, anunciou esta segunda-feira a agência responsável pelo projeto. "O nosso objetivo era …

Bairros de lata são incubadoras de covid-19, mas ninguém ajuda os milhões que lá vivem

Bairros de lata, como as favelas, são consideradas incubadores de covid-19. No entanto, pouca atenção lhes tem sido dada na resposta à pandemia. Tendo devastado algumas das cidades mais ricas do mundo, a pandemia do novo …

Morreu Saturn, o jacaré que sobreviveu a um bombardeamento da II Guerra (e que se diz que pertenceu a Hitler)

Saturn, um jacaré norte-americano de 84 anos, morreu esta sexta-feira no jardim zoológico de Moscovo, na Rússia, anunciou a instituição na sua conta de Facebook, dando conta que o animal morreu de velhice. O réptil …

Antiviral Remdesivir pode ser eficaz no combate à covid-19

O antiviral Remdesivir é eficaz contra a covid-19 caso seja administrado antes dos pacientes necessitarem de ventilação mecânica, indica um ensaio internacional com este medicamento, coordenado pelo Hospital Can Ruti, em Badalona, Barcelona, Espanha. Segundo um …

Há uma misteriosa ilha em Nova Iorque que quase ninguém pode visitar (e está abandonada)

A menos de 1,6 quilómetros de Manhattan, em Nova Iorque, localiza-se uma misteriosa ilha abandonada há mais de meio século. É preciso ter autorização do New York City Department of Parks and Recreation para visitar …