/

“Portugueses, não votem nos comunistas”. Ex-Presidente ucraniano critica PCP e dá conselhos a Zelenskyy

53

Mikhail Palinchak / EPA

Petro Poroshenko, ex-Presidente da Ucrânia

O ex-chefe de Estado da Ucrânia, Petro Poroshenko, também agradeceu o apoio de Portugal no acolhimento de refugiados e no esforço de adesão de Kiev à União Europeia.

Em entrevista ao Observador, o antigo Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, comentou a situação no seu país desde o início da guerra contra a Rússia. O antigo chefe de Estado diz que ficou chocado quando visitou Bucha após a retirada das tropas russas da cidade.

“Foi um choque para mim porque fui das primeiras pessoas a chegar a Bucha. As ruas de Bucha, como as de Borodianka, eram uma completa tragédia. Estavam cheias de corpos de civis, de crianças e mulheres, que foram violadas e mortas, homens com mãos atadas, mortos pelas costas, com tiros na nuca. E isto é algo que fica contigo para sempre. Não consegui dormir durante várias noites com o choque”, revela.

O ex-Presidente usa a sua experiência com Putin para deixar conselhos a Zelenskyy. “Precisamos de tornar Zelensky mais forte para as negociações. Fui o Presidente durante cinco anos e compreendo o quão difícil é, quão dura é a responsabilidade. Sei o que significa negociar com Putin. Com Putin não podes ser fraco. Se fores fraco, perdes. Se tiveres medo, vais perder“, sublinha.

Poroshenko também deixou uma palavra de agradecimento a Portugal pelo apoio dado à Ucrânia. “Aproveito para agradecer à União Europeia e a Portugal. Lembro-me da minha visita a Portugal, quando era Presidente. Lembro-me da hospitalidade dos portugueses. Vocês têm uma das maiores comunidades de ucranianos no mundo. Agora, Portugal abriu as suas casas e os seus corações para as crianças e mulheres ucranianas, para os refugiados”, afirma.

Questionado sobre a posição do PCP em relação à guerra, Poroshenko pegou na realidade ucraniana como exemplo. “Quando fui eleito no Parlamento a maior fração política no Parlamento eram comunistas. Eram mais de 200 deputados. E estou orgulhoso porque, no final do meu mandato presidencial isso mudou. Sabe quantos comunistas temos no Parlamento? Zero”, recorda.

O ex-Presidente apela ais portugueses que não votem no PCP e acusa os comunistas de serem “muito prejudiciais” para o país. “Não porque eu odeie alguns portugueses [que votem no PCP], mas fiz o mesmo apelo na Ucrânia e isto ajudou-nos muito. Não sei como é em Portugal, mas na Ucrânia os comunistas eram a quinta coluna do Putin, muito perigosa, muito prejudicial para todos”, remata

  ZAP //

53 Comments

  1. Já nem na terra dele manda e quer vir mandar na nossa??! Que vá dar uma volta! A diversidade política é uma prova de democracia!

    • O problema é que a diversidade partidária seguramente desapareceria logo que o PC tomasse conta da “tasca”… Foi assim em todo o lado. A ditadura do proletariado não sobrevive aem efectivamente se tornar na democracia do pior.

      • Conclusão de frequentador da “tasca”. Ou seja com a “ditadura do proletariado”, deixaríamos de ter vinho a “martelo”. Caro, a “ditadura do proletariado” é uma proposta teórica com mais de 150 anos, nunca foi colocada em prática. E duvido que o seja, o conceito de proletariado, 150 anos depois, não faz qualquer sentido, a divisão é entre exploradores e explorados. O facto é que 150 anos depois, 90% da riqueza produzida, é açambarcada por 10%. Logo, apesar da ingenuidade de Marx quanto aos instrumentos necessários à sua proposta, ditaduras do proletariado e partidos comunistas, não deixa de, basicamente, continuar viva. E atual. Mesmo que a “vanguarda” dos explorados faça trabalho sujo a favor dos exploradores. Ou seja, felizes aqueles que vivem contentes com os restos da exploração capitalista.

        • Caro Armando,
          Há uma certa verdade naquilo que escreveu. Embora o comunismo não seja solução, quando 99% da riqueza do mundo está nas mãos de apenas 1% das pessoas, algo está muito errado.
          No entanto importa lembrar todas as atrocidades cometidas em nome do comunismo e convém não esquecer o tipo de regime que foram e são todos os comunistas.

          • Ora caro, se formos pelas atrocidades cometidas em nome do comunismo -conceito ideológico também com mais de 150 anos e nunca colocado em prática – formos por aí, o que dizer das atrocidades cometidos em nome de “Deus”? Nenhum regime social pós Renascimento cometeu mais atrocidades que o capitalista. E por dinheiro, não em consequência de “guerras civis” internas ou “lutas de classe”. Com toda a consideração, poupe-me a essas tolices justificatórias. Já se esqueceu de Hiroxima e Nagasaki? As bombas não assassinaram, indiscriminadamente, crianças, mulheres grávidas ou não e velhos? Tudo em nome da “democracia” não foi?

            • Caro Armando, o capitalismo é mau e gera injustiças. Plenamente de acordo! Mas misturar Nagasaki e Hiroshima, vai desculpar-me, mas não tem qualquer sentido
              Como escrevi antes, até comungo, parcialmente, da sua posição. Mas, apenas, parcialmente. Cumprimentos!

    • Ele não esta a mandar! Não saber ler? O que está a fazer é dar um conselho. Muito sábio por sinal. O comunismo em Portugal tem sido o cancro que nos tem atrasado em relação ao resto do mundo civilizado e moderno. Há até um caso que ele esqueceu: em Portugal os comunistas sempre foram uma 5a coluna de Moscovo, a Rússia é a sua verdadeira pátria.

  2. Ele afirma orgulho, mas omite que o que levou o PCU para fora do parlamento foi a sua ilegalização, recorrendo à manipulação de provas e à perseguição dos seus militantes e dirigentes. Obviamente que impedido de participar nas eleições não poderia ter eleito deputados. Eis o que este senhor apresenta como métodos de exercer democracia… Ainda bem que deu esta entrevista, só deixa bem à mostra o que ele é e o que o Governo ucraniano é.

  3. Petro Poroshenko tem razão ao sugerir para não votar no Partido Comunista Português (PCP). Em Portugal também há políticos do tipo “Putin” ou “Putinas” maléficos. Em Ciências Políticas, os modelos de democracias representativas dos parlamentos por via das eleições livres e justas dos Estados também têm problemas graves, como por exemplo a Corrupção política e os Abusos de Poder Político no setor público administrativo e Empresariais. Há Universidades que estão sob controlo e tutela do Partido político do Governo. Muito tempo no poder leva ao Vício de Poder Político, e o Vício Corrompe a sociedade. No Governo há vários tipos de “Putins”!

    • Tenho 3 licenciaturas: Direito, História e Arqueologia. O que denoto desde há muito é que os comunistas via pc e be são quem dominam a vida universitária em Portugal! Fazem do meio universitário um centro de recrutamento. Há movimentis do ps e até do psd, mas nenhum como os comunistas. Repare que há ali alunos que usam autocolantes sobre mitos comunistas e t-shirts alusivas a esses partidos mesmo nas salas de aula. São os únicos queo fazem. Para mim tal espectáculo deveria ser evitado, pois as universidades e respectivas faculdades e institutos devem ser lugares sagrados de saber e não de propaganda. O civismo, exerce-se todos os dias e diz respeito a cada um, não um meio para burlar os mais ingênuos e menos capazes intelectualmente.

  4. Ora, em Política, a sociedade civil não está verdadeiramente preocupada com a verdade e com a Justiça coletiva. Concordo que há universidades públicas portuguesas controladas pelo Partido político do Governo. Eu sou testemunha de que uma pessoa humana com um currículo profissional e científico excelente apresentou a sua Candidatura ao programa de Doutoramento no ISTE-IUL, e por ser de outro partido político, a Dirigente Pública do ISCTE-IUL nomeada pelo Governo colocou como Suplente a Doutorando do Curso do ISCTE—IUL. Anda tudo a olhar para a Liberdade de expressão. Em Portugal há Discriminação cultural e política e há opressão política no contexto académico e nas universidades portuguesas. Vergonhoso! Uma verdadeira vergonha para o ISCTE-IUL deixarem se influenciar e deixar a intromissão política do Partido político do Governo Português.

    • Sem dúvida. O que reporta é comum. Como digo acima, não se centra apenas no partido do governo. Muitos os menos capazes, aproveitam a politica para ascender sem trabalho nrm mérito.

  5. Portugueses apelam aos políticos ucranianos para não meterem o nariz nos nossos assuntos internos…

  6. Desde o seu início em 1921, que o PCP foi sempre a Quinta Coluna do imperialismo russo em Portugal. E o resultado está à vista. Apesar da União Soviética ter acabado em 1991, o PCP nunca deixou de apoiar o governo russo, com uma fidelidade canina. Tudo leva a crer que continua a ser subsidiado pela Rússia. É a única explicação para as suas ferrenhas posições pró-Rússia.

    • Outra explicação é a Rússia ser uma peça essencial na estratégia para libertar a Europa da presença opressiva americana.

      • Qual escolherias entre EUA, Russia, China, Cubas, Venezuelas, etc, Paises arabes?
        Mas podes ir sempre viver para a Rússia.

        • Eu escolho a Europa. Sem a presença indesejada dos americanos. E a Rússia tem mais a ver com a Europa do que os EUA.

          • A Rússia? Deve ser por causa disso que o ditador russo se diz euroasiático! Os EUA a nós não incomodam, só aos comunistas: “russos” que foram mal paridos por estas bandas.

      • Hahahaha! É de partir o coco!
        O melhor testemunho das maravilhas da vida na Rússia, e dos horrores da vida no Ovicente sob o jugo da opressão americana, é a multidão de gente que se evade do Ocidente para ir viver feliz na Rússia! Em contraste com o deserto de evasões no sentido contrário, claro.
        Hahahahaha! Obrigado, a sério, agora fiquei bem disposto! 😀

        • Somos dois. Nunca vi filas nem migrantes fugirem para esses “paraísos”, nem os que foram “milagrosamente parar na Bielorrússia” aproveitaram o ensejo! Vêm sempre para o “inferno” Ocidental, até dão a vida para vir para este horror.

      • A Rússia? Deve ser por causa disso que o ditador russo se diz euroasiático! Os EUA a nós não incomodam, só aos comunistas: “russos” que foram mal paridos por estas bandas.

  7. Os imperadores andam aí. De regresso ao passado! A natureza da Vida repete-se tal como as cerejas. A vida agrícola renova-se em cada ano no contexto das 4 estações climáticas. O que significa um partido político muito tempo no poder?

  8. Caro Nuno Cardoso da Silva, libertar a Europa pela Rússia significa violações, tortura e assassiníos em massa da população civil, para criar um regime de terror. Não obrigado.

  9. Os comunistas podem chorar o que quiserem, mas estão quase extintos pelo voto.

    Restaram sempre os extremistas radicais, ditadores, que gostam a seu belo prazer de oprimir o povo, alem de este continuar o mais miserável possível.

    São exemplos atuais disso: As ditaduras existentes, desde a Bielorrússia, Venezuela, cuba ou coreia do norte. Tudo altamente democráticos, países ricos e super desenvolvidos 🙂

    • Em Portugal é que é bom: pobreza envergonhada em centenas de milhar de agregados familiar; ordenados miseráveis de uma boa parte da população; milhares de pessoas que trabalham e estão abaixo do limiar de pobreza; fuga escandalosa aos impostos de grande parte das empresas (sejam grandes, pequenas ou médias); economia informal ao nível de países de Àfrica; custo de vida altíssimo devido a margens de lucro exorbitantes por parte de quem armazena e distribui. O país da Europa onde existe maior desigualdade na distribuição da riqueza. Chega ou quer mais?

      • Esse discurso já existe há décadas, e que jeito tem dado à narrativa hipócrita dos comunistas! Até parecem o Paoa a falar! Agora aponte um pais, apenas um, onde o comunismo, pelas suas próprias vias e valores alguma vez conseguiu colmatar esses problemas? O comunismo é uma ideologia política obscurantista e populista, não tem como fim uma sociedade de bem-estar nem pretende sequer a evolução da sociedade como um todo, pois tal capacita a dita sociedade de sentido crítico o que pode levar à revolta cobtra as numenclaturas dirigentes. Nem o comunismo, por mais que os comunistas tentem é uma religião tem como fim a caridade. Curioso é que ao longo da minha já longa vida nunca conheci um comunista de relevo pobre, bem o pc sendo o mais rico partido do país algu a vez tomou alguma iniciativa de ajuda aos mais desfavorecidos, nunca mesmo. Sempre preferiu usar o megafone e pertubar a sociedade com exibicoes4de força. Basta verificar como iremos ou já estamos a viver a nossa “paz social”. As manifestações com exigências absurdas e greves selvagens já começaram, porque já não existe uma “geringonça”. Chega?

        • Bandalhos comunistas que delapidaram o país: centenas de milhões obtidos de forma fraudulenta pelas empresas com os fundos comunitários; centenas de milhões para a banca pagos pelo erário público (leia-se, pagos pelos impostos dos trabalhadores por conta de outrém, que são os que não fogem aos impostos…), centenas de milhões com todo o tipo de fraudes e corrupção a delapidarem o erário público. Chega?

      • Tudo errado!!
        Portugal está longe de ser o país com mais desigualdade na Europa; Espanha, Luxemburgo, Italia, Reino Unido, etc, etc tem mais desigualdade do que Portugal!

          • Não tinha visto mais este disparate… o Eurostat serve?
            “Estes dados de 2019 estão incompletos, quando comparados com a realidade do ano anterior, em relação à qual o Eurostat já dispõe de informação sobre mais países. E, nesse ano de 2018, Portugal surge várias posições acima na tabela — ou seja, aparece como ainda menos “desigual”. Nesse ano, encontram-se não quatro, mas 12 países com níveis de desigualdades superiores aos de Portugal. São os casos da Grécia, Reino Unido (que concretizaria o Brexit em janeiro deste ano), Luxemburgo, Espanha, Itália, Macedónia do Norte (adesão em curso), Letónia, Lituânia, Bulgária, Roménia (o mais desigual da União Europeia), Sérvia e Turquia (ambos candidatos à adesão).”

  10. Tem toda a razão, quer que votem nos Nazis e Fascistas. Vamos criar uma brigada Berlenga com mercenários para combater os comunistas, já começaram pelas pinturas.

    • Você deve ter batido com a moleirinha ao nascer! Vejam só, como alternativa, você só tem os seus amigalhaços nazis e fascistas para nos dar! Nesse exemplo se vê como o vosso mundo é mesmo muito fechado, cinzento e triste. Olhe à volta, ďê um salto, há mais mundo por aí.

  11. Quando se quer combater a Rússia mas não se têm argumentos, vai-se buscar o fantasma do comunismo, como se Putin fosse comunista. Sinal de paralisia mental fomentada pela propaganda americana…

  12. O que vale é que já são tão poucos a votar nos PCs, que pouco importam no nosso país. Levou tempo, mas a maioria já percebeu.
    Pois é, a propaganda americana é que a culpada das guerras todas, dos males da humanidade, da fome, enfim, o cosutme. Nem vale a pena ligar muito a esta conversa estragada e gasta de há tanto tempo.

  13. Aos alucinados e freneticos anti-comunistas aqui, tenho noticias frescas para voces: A Russia ja’ nao e’ a Uniao Sovietica, o Putin subscreve todas as vossas inflamdas declaracoes anti-comunistas. Ou seja, Putin e’ vosso irmao, podem ir cantar em coro com ele as odes anti-comunistas.

    De resto, foi com o apoio do tao amado “Ocidente”, que a Uniao Sovietica foi substituida pelo regime de Oligarcas, das quais emergiu Putin.

    Como foi os USA, e a NATO a apoiar e armar o Glorioso “Combatente pela Liberdade” (sic, expressao usada por Ronald Reagan) do.. Bin Laden.

    Mas depois culam “os comunistas”.

    Antes , eles comiam criancinhas. Hoje, tem as costas largas…

    Assinado por alguem que nunca jamais pertenceu ou quis apoiar o PCP. Mas nao sou parolo…

  14. Não sei se Poroshenko explicou na entrevista como conseguiu reduzir a representação parlamentar do partido comunista de 200 deputados a “zero” deputados. Uma vez que isso não está no artigo, eu esclareço. Em primeiro lugar correram com os deputados comunistas do parlamento a murro e a seguir proibiram o partido comunista de concorrer a eleições, proibição que se mantém até hoje na Ucrânia. Que cada um depois avalie a qualidade dessa democracia.

  15. Um anonimo que não concorda com a guerra

    Todos aqueles que apoiam Putin, deviam sentir no pelo o que aquelas famílias ucranianas estão a sentir com todos os seus bens destruídos. Putin está a gastar o dinheiro do povo do seu país, para fazer mal a um povo que vivia em paz tudo por ganancia.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.