EUA anunciam fim de tratado de amizade com Irão

Gage Skidmore / Flickr

O director da CIA, Mike Pompeo

Os EUA anunciaram, esta quarta-feira, o cancelamento unilateral de um tratado de amizade firmado com o Irão em 1955 que estabelecia relações económicas e direitos consulares entre Washington e Teerão.

O anúncio da saída do Tratado de Amizade, Relações Económicas e Direitos Consulares foi feito pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, e surge no mesmo dia em que o Tribunal Internacional de Justiça (TIJ), principal órgão judicial da ONU, deu razão aos argumentos do Irão e ordenou aos EUA o levantamento parcial das sanções restabelecidas por Washington a Teerão quando se retirou do acordo nuclear assinado em 2015.

A deliberação do TIJ incide nas sanções que afetam a importação de bens essenciais. A tensão entre Washington e Teerão aumentou de forma considerável desde que Donald Trump chegou à Casa Branca, em janeiro de 2017, e intensificou-se depois dos EUA terem abandonado unilateralmente, em maio último, o acordo multilateral sobre o dossiê nuclear iraniano e terem decretado a reposição de sanções a Teerão.

O Irão argumenta que as sanções impostas por Washington representam uma violação do tratado de amizade. Em declarações aos jornalistas, Pompeo afirmou que o cancelamento deste tratado está atrasado em décadas, defendendo ainda que as autoridades iranianas estão a usar o TIJ para fins políticos e de propaganda.

As alegações do Irão sobre o tratado são “absurdas”, segundo frisou o chefe da diplomacia norte-americana, citado pelas agências internacionais. Ainda aos jornalistas, o secretário de Estado norte-americano garantiu que Washington já está a tomar medidas para não prejudicar as necessidades humanitárias do povo iraniano.

Na decisão anunciada, o tribunal das Nações Unidas considerou que impedir ao Irão a compra de material médico, medicamentos, alimentos, produtos agrícolas, peças para garantir a segurança da aviação civil e bens com fins humanitários é uma violação do tratado de 1955.

Em comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano afirmou, entretanto, que a decisão do TIJ demonstra “a ilegitimidade e a crueldade das sanções dos EUA contra os cidadãos”. A decisão “é mais um sinal que confirma claramente que a República Islâmica do Irão estava no seu direito”, lê-se no comunicado.

“Hoje, os EUA retiraram-se do tratado americano-iraniano após o TIJ lhes ter ordenado que deixassem de violar esse tratado, ao punirem o povo iraniano. Regime fora da lei“, escreveu no Twitter o chefe da diplomacia iraniana, Mohammad Javad Zarif.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Quase 40% dos americanos com dificuldades financeiras. Doar sangue é a sua maior receita

A economia dos Estados Unidos (EUA), considerada uma das maiores do mundo, permitiu avanços sociais e tecnológicos inestimáveis. Contudo, atualmente, cerca de 40% dos norte-americanos afirmam ter dificuldade em pagar por comida, por habitação, por …

"Políticos devem ser colocados contra a parede". Greta pede desculpa

A ativista do clima Greta Thunberg pediu desculpa por ter dito que os políticos devem ser colocados “contra a parede”, após diversas pessoas terem considerado que a jovem estava a defender a violência. A sueca de …

Carnaval belga retirado da lista de Património Imaterial da UNESCO após queixas de antissemitismo

As festas da cidade de Aalst, na Bélgica, foram retirada da lista do Património Imaterial da Humanidade, depois de a UNESCO ter sancionado a presença de carros carnavalescos contendo imagens antissemitas. O presidente da Câmara …

Conselho de Ministros aprova proposta de OE2020 (e foram quase 10 horas de reunião)

O Conselho de Ministros aprovou hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2020, dez horas depois de a reunião extraordinária ter começado, anunciou hoje o primeiro-ministro na sua página na rede social Twitter. "O Conselho …

Nova espécie de baleia mostra como este animal evoluiu para conseguir nadar

Cientistas descobriram uma nova espécie de baleia, que existiu há 35 milhões de anos, que pode dar novas pistas sobre como as baleias evoluíram para conseguir nadar. De acordo com a revista Newsweek, os investigadores analisaram …

Casal separado após sobreviver a Auschwitz reencontra-se 72 anos depois em Nova Iorque

Em 1944, David Wisnia e Helen "Zippi" Spitzer eram dois prisioneiros judeus e secretamente namorados que, miraculosamente, conseguiram sobreviver ao campo de concentração nazi Auschwitz, na Polónia. Porém, no final da guerra, foram separados depois de …

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …

Mundial de Clubes proíbe demonstrações públicas de afeto

Começou na passada quarta-feira, dia 11 de dezembro, em Doha, capital do Catar, o Mundial de Clubes da FIFA, prova onde estão inseridos clubes como Flamengo e Liverpool. E esta até poderia ser mais uma …